FINAL DA NBA

Cavaliers viram e levam o título da NBA com um espetacular LeBron James

Cleveland e um decisivo Irving ganham (89-93) e coroam a inédita virada (3-4) contra os Warriors

LeBron James com o troféu. ATLAS (atlas)

LeBron James, Kyrie Irving e os Cavaliers fizeram história em Oakland ao vencer a sétima e definitiva partida da final contra os Warriors por 89-93 e ganhar o anel de campeões. É o primeiro título de Cleveland desde sua fundação há 45 anos e a primeira vez em que uma equipe vira um 1-3 na história das finais da NBA. Nas 32 vezes em que essa situação ocorreu, a equipe que conquistou a vantagem foi a vencedora.

GOLDEN STATE, 89; CLEVELAND, 93 (3-4)

Golden State Warriors: Curry (17), Klay Thompson (14), Barnes (10), Draymond Green (32), Ezeli (0) -equipe inicial-; Iguodala (4), Varejão (1), Livingston (8), Leandrinho (3) e Speights (0).

Cleveland Cavaliers: Irving (26), JR Smith (12), LeBron James (27), Love (9), Tristan Thompson (9) –equipe inicial-; Jefferson (2), Shumpert (6) e M. Williams (2).

Parciais: 22-23, 27-19, 27-33 e 13-18.

Oracle Arena de Oakland. 19.596 espectadores.

O título aumenta a lenda de LeBron James, que soma seu terceiro anel em sua sétima final. Provavelmente este é o mais emocionante, porque o consegue para a equipe de sua casa, de Cleveland, bem próxima de Akron, onde nasceu há 31 anos. Deixou a equipe na qual estreou na NBA, com 19 anos em 2003, para jogar quatro finais e ganhar dois anéis em Miami com Dwyane Wade e Chris Bosh (2012 e 2013). Mas retornou à franquia de Ohio como o grande redentor, a esperança para colocar a cidade no primeiro plano do esporte mundial. Conseguiu. Finalmente é profeta em sua terra. E é claro que foi eleito o MVP da final, na qual não falhou e voltou a protagonizar uma atuação descomunal com um triplo-duplo: 27 pontos, 11 rebotes, 11 assistências, duas roubadas de bola e três tocos.

Os Cavaliers precisaram disso e muito mais para vencer os Warriors, os campeões, a equipe que fez história nessa temporada ao superar com 73 vitórias na fase regular o histórico recorde em poder dos Bulls de Michael Jordan desde 1996. O imenso talento de Stephen Curry e Klay Thompson, os Splash Brothers, a dupla de arremessadores que abriu uma nova dimensão na condução da bola e que inundou a temporada de tiros de três, não funcionou na última partida da temporada. Somaram 6 bolas de três em 24 tentativas. Curry fez 17 pontos e Klay Thompson 14. Mas ainda assim a partida foi muito equilibrada. Draymond Green, impressionante, liderou sua equipe com 32 pontos, 15 rebotes e 9 assistências. A partida chegou igualada ao final após as duas equipes se recuperarem de seus pequenos baques.

Os Warriors, sempre com seu estilo voltado aos arremessos abertos e mais uma vez sentindo a falta de seu pivô titular Andrew Bogut, abriram fogo no terceiro quarto (54-46). Mas os Cavaliers, que atacaram decididamente o garrafão de seu rival, viraram o marcador com uma parcial de 7-22, graças ao trabalho de Irving, LeBron e sua superioridade nos rebotes (61-68).

Green e as bolas de três voltaram a empatar a partida em um último quarto tenso, repleto de erros, no qual o marcador quase não se moveu. O jogo chegou empatado aos últimos quatro minutos. E nesse agônico e tenso final, os Warriors naufragaram por completo. Não foram capazes de pontuar, enquanto os Cavaliers decidiram graças a uma bola de três de Kyrie Irving a 49 segundos do final. LeBron James, que pouco antes havia dado um toco em Iguodala, estabeleceu o placar definitivo em 89-93 com um lance livre. Os Cavaliers, com a colaboração de Kevin Love, com 9 pontos e 14 rebotes, foram especialmente superiores nos rebotes (32-48) e fizeram 21 pontos de lances livres para somente 10 dos Warriors.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete