FINAL DA NBA

Cavaliers viram e levam o título da NBA com um espetacular LeBron James

Cleveland e um decisivo Irving ganham (89-93) e coroam a inédita virada (3-4) contra os Warriors

LeBron James com o troféu. ATLAS (atlas)

LeBron James, Kyrie Irving e os Cavaliers fizeram história em Oakland ao vencer a sétima e definitiva partida da final contra os Warriors por 89-93 e ganhar o anel de campeões. É o primeiro título de Cleveland desde sua fundação há 45 anos e a primeira vez em que uma equipe vira um 1-3 na história das finais da NBA. Nas 32 vezes em que essa situação ocorreu, a equipe que conquistou a vantagem foi a vencedora.

GOLDEN STATE, 89; CLEVELAND, 93 (3-4)

Golden State Warriors: Curry (17), Klay Thompson (14), Barnes (10), Draymond Green (32), Ezeli (0) -equipe inicial-; Iguodala (4), Varejão (1), Livingston (8), Leandrinho (3) e Speights (0).

Cleveland Cavaliers: Irving (26), JR Smith (12), LeBron James (27), Love (9), Tristan Thompson (9) –equipe inicial-; Jefferson (2), Shumpert (6) e M. Williams (2).

Parciais: 22-23, 27-19, 27-33 e 13-18.

Oracle Arena de Oakland. 19.596 espectadores.

O título aumenta a lenda de LeBron James, que soma seu terceiro anel em sua sétima final. Provavelmente este é o mais emocionante, porque o consegue para a equipe de sua casa, de Cleveland, bem próxima de Akron, onde nasceu há 31 anos. Deixou a equipe na qual estreou na NBA, com 19 anos em 2003, para jogar quatro finais e ganhar dois anéis em Miami com Dwyane Wade e Chris Bosh (2012 e 2013). Mas retornou à franquia de Ohio como o grande redentor, a esperança para colocar a cidade no primeiro plano do esporte mundial. Conseguiu. Finalmente é profeta em sua terra. E é claro que foi eleito o MVP da final, na qual não falhou e voltou a protagonizar uma atuação descomunal com um triplo-duplo: 27 pontos, 11 rebotes, 11 assistências, duas roubadas de bola e três tocos.

Os Cavaliers precisaram disso e muito mais para vencer os Warriors, os campeões, a equipe que fez história nessa temporada ao superar com 73 vitórias na fase regular o histórico recorde em poder dos Bulls de Michael Jordan desde 1996. O imenso talento de Stephen Curry e Klay Thompson, os Splash Brothers, a dupla de arremessadores que abriu uma nova dimensão na condução da bola e que inundou a temporada de tiros de três, não funcionou na última partida da temporada. Somaram 6 bolas de três em 24 tentativas. Curry fez 17 pontos e Klay Thompson 14. Mas ainda assim a partida foi muito equilibrada. Draymond Green, impressionante, liderou sua equipe com 32 pontos, 15 rebotes e 9 assistências. A partida chegou igualada ao final após as duas equipes se recuperarem de seus pequenos baques.

Os Warriors, sempre com seu estilo voltado aos arremessos abertos e mais uma vez sentindo a falta de seu pivô titular Andrew Bogut, abriram fogo no terceiro quarto (54-46). Mas os Cavaliers, que atacaram decididamente o garrafão de seu rival, viraram o marcador com uma parcial de 7-22, graças ao trabalho de Irving, LeBron e sua superioridade nos rebotes (61-68).

Green e as bolas de três voltaram a empatar a partida em um último quarto tenso, repleto de erros, no qual o marcador quase não se moveu. O jogo chegou empatado aos últimos quatro minutos. E nesse agônico e tenso final, os Warriors naufragaram por completo. Não foram capazes de pontuar, enquanto os Cavaliers decidiram graças a uma bola de três de Kyrie Irving a 49 segundos do final. LeBron James, que pouco antes havia dado um toco em Iguodala, estabeleceu o placar definitivo em 89-93 com um lance livre. Os Cavaliers, com a colaboração de Kevin Love, com 9 pontos e 14 rebotes, foram especialmente superiores nos rebotes (32-48) e fizeram 21 pontos de lances livres para somente 10 dos Warriors.