Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Gisele Bündchen, rejeitada 42 vezes no início de carreira

A top brasileira afirma que nas seleções diziam que ela tinha muito nariz e olhos pequenos

Em 2015, ano em que se aposentou das passarelas, Gisele Bündchen ganhou 44 milhões de dólares (aproximadamente 152 milhões de reais). Segundo a Forbes, embolsou 35 milhões de dólares a mais que as duas modelos seguintes da lista, Adriana Lima e Cara Delevingne. Em 2014 também encabeçou a lista, e em 2013… A modelo brasileira é a top mais poderosa das duas últimas décadas. Entretanto, acaba de admitir à revista People que seu início no Brasil, em 1995, não foi nada fácil. “Lembro que me diziam que meu nariz era muito grande ou que meus olhos eram muito pequenos, que eu nunca poderia aparecer na capa de uma revista”, conta a modelo na entrevista exclusiva à publicação por ocasião da reedição do livro que a editora Taschen publicou há alguns meses com fotos dela.

Após ser descoberta em um shopping, Bündchen partiu do Rio Grande do Sul para São Paulo, onde morava com outras modelos jovens, entre as quais se sentia “estranha” por ser “mais alta e madura que o resto”. Nessa época, precisou lutar contra as críticas constantes ao seu porte físico. Para isso, pediu ajuda ao pai, que respondeu: “Da próxima vez você diz: ‘Tenho um nariz grande que vem com uma grande personalidade’”. Aquilo a fez reagir. “Naquele momento, senti que se continuasse me esforçando e dando o melhor de mim tudo sairia bem.”

Bündchen confiou no seu futuro e aos 16 se instalou em Nova York, onde as coisas inicialmente não melhoraram. Passou dois anos indo a castings diários, nos quais seria rejeitada outras 42 vezes. Até que em 1998 conseguiu participar do desfile de Alexander McQueen e, meses depois, obteve sua primeira capa, para a Vogue britânica – um famoso ensaio fotográfico de Irving Penn que a elegia como representante da “volta da curva”. A brasileira substituía assim Elle McPherson como o novo “corpo”.

A modelo brasileira Gisele Bündchen na passarela da São Paulo Fashion Week, em 2000.
A modelo brasileira Gisele Bündchen na passarela da São Paulo Fashion Week, em 2000.

Depois daquela coberta, o resto veio sozinho, e em quatro anos ela se transformou na modelo com mais capas de revista, com mais contratos. Em 2000 se tornou um dos anjos da Victoria’s Secret, marca da qual recebia um salário de 25 milhões de dólares. Também nessa época, começou um relacionamento com Leonardo DiCaprio. Foi o empurrão definitivo que a levaria ao topo da indústria da moda, transformando-a em estrela a contragosto, porque nunca se acostumou à atenção midiática, e deixando muito distantes as rejeições e críticas iniciais.

Hoje, embora tecnicamente aposentada das passarelas, a modelo continua brilhando. Dedicada à família que compartilha com o jogador de futebol americano Tom Brady, Bündchen procura uma nova paixão. “Não me aposento, adoro aprender e criar, e sinto que isso sempre será parte da minha vida”, diz na entrevista. “Só estou esvaziando meu copo para poder voltar a enchê-lo com coisas que se adaptem melhor a quem sou hoje”.

Gisele Bündchen desfila como anjo da Victoria’s Secret, em 2006.
Gisele Bündchen desfila como anjo da Victoria’s Secret, em 2006.

MAIS INFORMAÇÕES