Cinema

Zoe Saldana é a mulher mais criticada de Hollywood?

Atriz passa por crise na carreira por sua transformação física no filme de Nina Simone

Zoe Saldana, ao natural, à esquerda, e caracterizada como Simone, à direita.
Zoe Saldana, ao natural, à esquerda, e caracterizada como Simone, à direita. (Pôster do filme. Foto: Getty)

MAIS INFORMAÇÕES

Quando Zoe Saldana tuitou na quarta-feira uma das frases mais célebres de Nina Simone (“a liberdade é viver sem medo”) não sabia o que estava por vir. A atriz é a encarregada de dar vida à diva do jazz em Nina, o filme biográfico que estreará em 2 de abril nos EUA (coprotagonizado por David Oyelowo no papel de seu empresário Clifton Henderson). Para Saldana entrar na pele de Simone foi preciso colocarem uma prótese no nariz dela, assim como escurecer sua pele para conseguir uma semelhança mais realista, fatores que não passaram desapercebidos para os fãs e os familiares da artista, que se posicionaram contra a escolha desde seu anúncio. O filme pôde ser visto no festival de Cannes há um par de anos, mas a pressão da comunidade afro-americana foi tão forte que parecia que nunca veria a luz. Que uma atriz tenha que pintar-se de negro para arvorar o Black is Beautiful que a cantora tanto defendeu é mais irônico quando, como defendeu a filha de Simone, havia atrizes muito mais parecidas com Simone (Viola Davis ou Kimberley Elise) para interpretar o papel (“Gosto de Zoe Saldana e respeito seu trabalho, mas há outras grandes atrizes prontas para interpretar minha mãe”, disse à Ebony).

Foi tuitar a frase de Simone na quarta-feira e Saldana (que é metade porto-riquenha e metade dominicana) se viu envolta em uma onda de críticas que deveria ter previsto, considerando quanto o ambiente está inflamado em relação a um filme que os círculos mais próximos denunciaram desde o primeiro minuto. Da conta oficial de Nina Simone lhe responderam com um tuíte fulminante: “Grande história, mas por favor tire o nome de Nina da sua boca. Para o resto da sua vida”, para depois publicarem um tuíte no qual afirmavam estar vivendo um autêntico pesadelo ante a estreia do filme: “Esperamos que as pessoas comecem a entender que isso é doloroso. É lancinante, vomitivo e nos parte a alma. Passará, mas por ora...”

A coisa não ficou por aí. Ante a onda de tuítes e gifs que reagiam a uma ação cortante de tremenda magnitude, os fãs também começaram sua cruzada contra Saldana. Questlove, baterista de The Roots e integrante da banda que toca ao vivo no programa de Jimmy Fallon, também se posicionou contra (com linguagem emoji) e nas publicações especializadas norte-americanas, antes de o filme sequer ter estreado, já se publicam rankings com atrizes que deveriam ter interpretado Simone.

Na Vulture deram o nome de sete atrizes com mais possibilidades de ganhar o calor do público: Uzo Aduba (Orange is the New black), Audra McDonald, Adepero Oduy, Viola Davis, Alfre Woodard, Cynthia Erivo e Fantasia Barrino. “As primeiras imagens e o trailer do filme só confirmaram nossas suspeitas de que a torpeza de escolher Saldana se sustentaria com um sotaque pouco crível, um nariz falso e uma pele claramente escurecida. É uma vergonha, considerando que interpretar a biografia de Nina Simone poderia ter sido o papel da vida de um grande número de atrizes”, argumentam na publicação. Entrementes, Saldana contorna o temporal como pode enquanto roda a segunda parte de Guardiões da Galáxia. Com esse é certo que não será armado esse alvoroço.

Poster do filme.
Poster do filme.

Arquivado Em: