Diretora do FMI diz que o crescimento global em 2016 será “decepcionante”

Christine Lagarde acredita que as fragilidades financeiras e os desafios dos emergentes levarão a evoluções desiguais entre países

A diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde
A diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde (EFE)

O crescimento econômico global será “decepcionante e desigual” no próximo ano, adverte a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, em um artigo para o jornal alemão Handelsblatt publicado nesta quarta-feira.

MAIS INFORMAÇÕES

“Em muitos países, o setor financeiro ainda tem fraquezas e nos mercados emergentes os riscos financeiros estão aumentando. Tudo isso significa que o crescimento global será decepcionante e desigual em 2016”, afirma Lagarde, que faz referência ao aumento das taxas de juros nos Estados Unidos, à desaceleração econômica na China e aos efeitos da queda dos preços do petróleo em muitas economias emergentes produtoras do insumo.

Além disso, a diretora-gerente do FMI acrescenta que a baixa produtividade, o envelhecimento da população e os efeitos da crise financeira global freiam o crescimento, o que enfraqueceu as perspectivas a médio prazo.

E com o aumento das taxas de juros nos EUA, Lagarde manifesta sua preocupação com o efeito sobre outras economias. “Muitos países fizeram dívidas, que incluem uma parcela significativa em dólares”, diz. “As taxas em alta e o dólar forte poderiam levar à inadimplência de empresas e se estender perigosamente aos bancos e estados”, adverte.

Arquivado Em: