Sinéad O’Connor

Sinéad O’Connor no Facebook: “Tomei uma overdose”

Cantora irlandesa publica nota de suicídio na rede social, mas polícia consegue localizá-la

Agencias
A cantora irlandesa Sinéad O’Connor, em foto dos anos oitenta.
A cantora irlandesa Sinéad O’Connor, em foto dos anos oitenta.

A cantora irlandesa Sinéad O’Connor foi salva de uma tentativa de suicídio após publicar no domingo uma mensagem de despedida em sua página do Facebook na qual anunciava que havia se autoinfligido uma overdose. A artista foi resgatada pela polícia, recebeu atendimento médico e passa bem.

Mais informações

Na nota de suicídio, a cantora falava da sua dor por não ter relações com sua família devido a uma “série horrível de traições”. “Tomei uma overdose”, alertou ela, sem especificar se havia consumido drogas ilícitas ou medicamentos. “Não há outra maneira de conseguir respeito. Não estou em casa, estou num hotel em algum lugar da Irlanda, com outro nome (...). Se eu não tornasse isso público, meus filhos e minha família nem sequer ficariam sabendo. Eu poderia passar semanas morta sem eles saberem”, acrescentava.

Consultado sobre o fato, um porta-voz da polícia irlandesa se limitou a responder à agência de notícias AFP que as autoridades não prestam informações sobre “indivíduos particulares”. Mas uma fonte policial declarou à mesma agência que a cantora havia sido “localizada” e recebeu atendimento médico. Os representantes da artista, por sua vez, disseram não ter nada a comentar neste momento.

No começo deste ano, Sinéad O’Connor cancelou todos os seus shows porque seu filho sofria de “problemas de saúde que punham sua vida em perigo”. Ela mesma passou em agosto por uma histerectomia (remoção cirúrgica do útero), segundo relatou nas redes sociais.

No sábado, O’Connor fez declarações muito duras. “A música acabou para mim”, disse. “Nunca mais vou voltar para a música.”

Sua cotação como artista diminuiu muito nos últimos tempos, a ponto de cobrar apenas 500 euros (pouco mais de 2.000 reais) por três shows.

A artista de 48 anos, inesquecível intérprete da canção Nothing Compares 2 U, de Prince, que ela gravou 25 anos atrás, é conhecida por sua militância em prol dos direitos das mulheres e contra os abusos sexuais na Igreja Católica irlandesa. Também em várias ocasiões falou publicamente sobre sua batalha contra a depressão.

Mais informações