EL COMIDISTA

Encare algumas verdades sobre como fazemos dietas

Você quer emagrecer, mas sente menos atração pelo esporte que Pitbull pela ópera Então, não há outro remédio que dar menos alegria ao seu corpo: feche a boca

Emagreça agora. Eu disse AGORA.
Emagreça agora. Eu disse AGORA.FLICKR.COM/CHRISTIANMONTONE

Ficou claro: fazendo ginástica, você só vai conseguir aplausos na emergência do hospital. Portanto, a única coisa que resta fazer para perder peso é dieta. Se você tem metabolismo lento, provavelmente já passou por muitas: a dieta da alcachofra, a dissociada, a Dukan, a de ficar amarrado num poste... e ainda por cima, o seu cunhado engraçadinho já lhe terá recomendado a dieta do cucurucho [comer pouco e fazer muito sexo] e sempre cutuca seus pneuzinhos morrendo de rir.

Mais informações

Para perder peso, o primeiro passo é superar as desculpas que você mesmo se impõe:

- “É que retenho líquidos”. Sim, claro que retém: principalmente o bechamel e o molho rosé.

- “Meu metabolismo mudou”. Como não vai mudar, já que a única coisa que você faz no vapor é passar as camisas?

- “Não sei por que engordo tanto, pois como feito um passarinho”. Se um passarinho comesse como você, as patas não tocariam o chão.

- “Estou gordinho de nervoso”. Não, meu amigo, os nervos não engordam, o que engorda é comer pão até dizer chega.

Qual a solução? Se for consultar os especialistas (realmente você não consulta; eles é que se metem sem ser chamados), verá que cada um deles tem uma opinião diferente. Sua mãe diz que o que engorda é o seu jantar, a vizinha do 44B garante que são os pães e as pizzas e que é preciso seguir a dieta mediterrânea – embora ela pese 100 quilos –, e o porteiro conta que o primo dele parou de comer e agora corre a São Silvestre.

Quando as pessoas querem perder peso, é muito normal que encham a cozinha de alimentos saudáveis que acabam estragando: um pimentão enrugado, meio tomate, um pacote de cenouras... você vê como esses vegetais agonizam e murcham enquanto acumula cada vez mais produtos do gênero.

Outra opção é ir ao endocriminologista, um senhor que proíbe tudo aquilo pelo que vale a pena viver. Diz que o álcool engorda, que a parte branca do presunto e os croquetes não são verduras e que você precisa ingerir mais fibra, embora fibra você já tenha de sobra. E aí o sujeito coloca você numa dieta de 1.500 kcal por dia – que consome só de engolir a saliva e lamber as tampas de alumínio do requeijão.

Quando vai tomar café da manhã e lê “50 gramas de presunto York”, você tem a impressão de estar traficando o embutido e que, se passar um pouco da conta, deixa de ser autoconsumo. Pior: essas dietas hipocalóricas nos deixam de péssimo humor. E assim decidimos emagrecer por conta própria. Realmente, perder peso não é tão complicado se adotamos algumas medidas simples:

- Comer cinco vezes por dia. Isso é fácil de cumprir. Eu às vezes como até sete ou oito vezes.

- Ingerir cinco porções diárias de fruta e verdura. Outro dia, por exemplo, comi três melões e dois repolhos e não passei fome alguma.

- Jantar uma salada. Eu boto alface, cebola frita, bacon, pão frito na manteiga, queijo, milho, torresmo e frango empanado. Assim você vai para cama sem fome e dorme feito um anjinho. O ronco indicará que o trânsito flui bem.

- Uma fruta de sobremesa. Por exemplo, uma torta de maçã, que é fruta e sobremesa ao mesmo tempo.

Com todos esses conselhos, você conseguirá manter o regime por duas ou três semanas, que é quanto costuma durar uma dieta. Transcorrido esse prazo, o mais normal é que você se levante de madrugada, vá até a cozinha descalço e em roupa interior e assalte a geladeira sem fazer reféns, comendo a linguiça até a corda. E vai ser tão difícil sair da geladeira como é abandonar o provador da sua loja preferida.