Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Amante de Lady Di vende suas cartas

Oficial aposentado do Exército tem 26 cartas da princesa e oferece três por 570.000 reais

James Hewitt, amante de Lady Di.
James Hewitt, amante de Lady Di. CORDON PRESS

James Hewitt, ex-oficial do Exército britânico que foi amante de Lady Di quando seu casamento com o príncipe Charles ia por água abaixo, está tentando vender suas cartas e uma mensagem enviada pelo príncipe William quando este tinha 5 anos. A notícia foi divulgada nesta segunda-feira pelos meios de comunicação britânicos, mas Hewitt não quis fazer comentários quando questionado sobre o assunto.

Porém, as ações de Hewitt falam mais alto que seu silêncio. Esta não é a primeira vez que ele tenta vender sua correspondência com a falecida princesa, como também não é a primeira vez que fala de sua existência. Em uma entrevista à CNN em 2003, afirmou que lhe ofereceram 10 milhões de libras (57 milhões de reais pelo câmbio atual), mas que "nunca" faria tal coisa. Foi a época em que o oficial do Exército percorreu os canais de televisão de meio mundo para divulgar seu romance.

Parece que agora o preço da traição diminuiu e, aparentemente, Hewitt se conformaria em receber 570.000 reais. Depois de uma vida de excessos e de ter completado 57 anos, Hewitt, que nos bons tempos foi um belo oficial, agora mora com a mãe viúva em um apartamento de dois quartos perto da cidade de Exeter, na Inglaterra.

Um dos livros sobre os romances de Lady Di.
Um dos livros sobre os romances de Lady Di. CORDON PRESS

A tentativa de vender as cartas teria sido feita através de Gary Zimet, que dirige uma casa de leilões e alega ter 26 missivas. "Ele parece ter escolhido essas cartas cuidadosamente, porque são do início do relacionamento e menos escandalosas do que as escritas mais tarde", disse Zimet. As cartas datam de 1987, e as primeiras são assinadas com um "Atenciosamente, Diana", mas as seguintes terminam com “muito amor" e "kissey kissey" (sic).

Hewitt diz que foi amante da princesa Diana por cinco anos, entre 1986 e 1991, quando ela ainda era casada. Em 1994, o militar divulgou os detalhes da relação amorosa com a chamada princesa do povo, a quem descreveu como uma mulher "triste", carente de amor. Lady Di nunca o perdoou e, em uma famosa entrevista à rede BBC em 1995, no programa Panorama, acusou seu ex-amante de "traição". Diana escreveu mais de 60 cartas para Hewitt durante os cinco anos de relacionamento, período no qual o militar foi enviado à Alemanha, em 1989, e, posteriormente, para a Guerra do Golfo, em 1991. Eles se conheceram em uma festa em Londres, e depois disso o comandante ajudou Diana a superar o medo de cavalos e a ensinou a montar, segundo sua versão dos fatos.

As datas das cartas batem e confirmam que o romance começou antes do nascimento do príncipe Harry, em 1984. Por essa razão, há muitos anos especula-se no Reino Unido a paternidade do caçula de Diana que, além disso, não se parece muito com os Windsor. Quando o casal viveu o romance, o príncipe Charles havia reatado com sua então amante, Camilla Parker Bowles.

MAIS INFORMAÇÕES