Seleccione Edição
Login

As crianças da guerra

O inverno se aproxima e milhares de solicitantes de asilo provenientes de Síria, entre outros países, seguem às portas da Europa. Os mais jovens passam pelo pior

  • A Europa está sofrendo a maior onda de imigrantes desde a Segunda Guerra Mundial, e estima-se que mais da metade dos deslocados vêm da Síria. Milhares de refugiados e migrantes provenientes deste e de outros países em guerra estão sofrendo bloqueios perto dos postos fronteiriços na Hungria, Croácia, Sérvia e Eslovênia, devido aos contínuos fechamentos de fronteiras e também às limitações impostas por alguns desses países, segundo denúncia da organização Médicos Sem Fronteiras. Na foto, um bebê com um gorrinho que diz “Princesa Dora” chora nos braços de sua mãe. Ambas esperam um ônibus para ajudá-las a continuar sua jornada na cidade de Miratovac entre a fronteira sérvia-macedônia, em 22 de outubro.
    1A Europa está sofrendo a maior onda de imigrantes desde a Segunda Guerra Mundial, e estima-se que mais da metade dos deslocados vêm da Síria. Milhares de refugiados e migrantes provenientes deste e de outros países em guerra estão sofrendo bloqueios perto dos postos fronteiriços na Hungria, Croácia, Sérvia e Eslovênia, devido aos contínuos fechamentos de fronteiras e também às limitações impostas por alguns desses países, segundo denúncia da organização Médicos Sem Fronteiras. Na foto, um bebê com um gorrinho que diz “Princesa Dora” chora nos braços de sua mãe. Ambas esperam um ônibus para ajudá-las a continuar sua jornada na cidade de Miratovac entre a fronteira sérvia-macedônia, em 22 de outubro. AFP PHOTO
  • Em todos esses lugares, refugiados e migrantes estão expostos a situações que representam uma verdadeira ameaça para a sua saúde, já que não recebem assistência mínima nem abrigo. A menos que medidas urgentes de proteção sejam tomadas, milhares de mulheres grávidas, crianças pequenas e idosos ficarão expostos neste próximo inverno a condições de vida extremamente difíceis, o que deixará suas vidas em sério perigo, afirmam na MSF. Na foto, um homem abraça seus três filhos que se protegem com cobertores térmicos na chegada à ilha grega de Lesbos em 28 de outubro.
    2Em todos esses lugares, refugiados e migrantes estão expostos a situações que representam uma verdadeira ameaça para a sua saúde, já que não recebem assistência mínima nem abrigo. A menos que medidas urgentes de proteção sejam tomadas, milhares de mulheres grávidas, crianças pequenas e idosos ficarão expostos neste próximo inverno a condições de vida extremamente difíceis, o que deixará suas vidas em sério perigo, afirmam na MSF. Na foto, um homem abraça seus três filhos que se protegem com cobertores térmicos na chegada à ilha grega de Lesbos em 28 de outubro. AFP PHOTO
  • Uma mulher segura um bebê. É acompanhada por um grupo de imigrantes que cruzam a fronteira com a Grécia, em Gevgelija, Macedônia, 19 de outubro de 2015.
    3Uma mulher segura um bebê. É acompanhada por um grupo de imigrantes que cruzam a fronteira com a Grécia, em Gevgelija, Macedônia, 19 de outubro de 2015. EFE
  • Migrantes afegãos desembarcam na ilha grega de Lesbos depois de cruzar o Mar Egeu vindos da Turquia no último dia 28 de outubro. O Governo grego diz que está preparando um programa de assistência especial para atender o número cada vez maior de pessoas que vão enfrentar a chegada do inverno sem lugar para se abrigar.
    4Migrantes afegãos desembarcam na ilha grega de Lesbos depois de cruzar o Mar Egeu vindos da Turquia no último dia 28 de outubro. O Governo grego diz que está preparando um programa de assistência especial para atender o número cada vez maior de pessoas que vão enfrentar a chegada do inverno sem lugar para se abrigar. AFP
  • Uma mulher coberta com uma manta segura um bebê enquanto aguarda permissão para entrar no campo de registro na segunda-feira 19 de outubro de 2015 depois de cruzar a fronteira entre a Grécia e a Macedônia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia.
    5Uma mulher coberta com uma manta segura um bebê enquanto aguarda permissão para entrar no campo de registro na segunda-feira 19 de outubro de 2015 depois de cruzar a fronteira entre a Grécia e a Macedônia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia. EFE
  • Um grupo de imigrantes acompanhados de várias crianças espera permissão para entrar no campo de registro perto da cidade de Gevgelija, Macedônia.
    6Um grupo de imigrantes acompanhados de várias crianças espera permissão para entrar no campo de registro perto da cidade de Gevgelija, Macedônia. EFE
  • Um homem abraça uma criança dormindo enquanto espera com outros migrantes e refugiados para pegar um trem que vai levá-lo para a Sérvia a partir da fronteira greco-macedônia na cidade de Gevgelija em 28 de outubro.
    7Um homem abraça uma criança dormindo enquanto espera com outros migrantes e refugiados para pegar um trem que vai levá-lo para a Sérvia a partir da fronteira greco-macedônia na cidade de Gevgelija em 28 de outubro. AFP PHOTO
  • Algumas crianças refugiadas brincam enquanto esperam a permissão para entrar no campo de registro depois de cruzar a fronteira entre a Grécia e a Macedônia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, em 20 de outubro de 2015. Cerca de 10.000 refugiados entraram na Macedônia através da fronteira grega no fim de semana anterior, de acordo com a polícia do país. O elevado fluxo de pessoas, principalmente sírios e afegãos, levou a fechamentos ocasionais das fronteiras deste país.
    8Algumas crianças refugiadas brincam enquanto esperam a permissão para entrar no campo de registro depois de cruzar a fronteira entre a Grécia e a Macedônia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, em 20 de outubro de 2015. Cerca de 10.000 refugiados entraram na Macedônia através da fronteira grega no fim de semana anterior, de acordo com a polícia do país. O elevado fluxo de pessoas, principalmente sírios e afegãos, levou a fechamentos ocasionais das fronteiras deste país. EFE
  • Três homens empurrando um carrinho com um menino e uma menina a bordo cruzam a fronteira entre a Grécia e a Macedônia e caminham até o campo de registro, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, 20 de outubro de 2015.
    9Três homens empurrando um carrinho com um menino e uma menina a bordo cruzam a fronteira entre a Grécia e a Macedônia e caminham até o campo de registro, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, 20 de outubro de 2015. EFE
  • Um dos pontos em que aconteceu um aumento da pressão nos últimos dias foi na localidade sérvia de Presevo, perto da fronteira com a antiga república iugoslava da Macedônia. Os dados recolhidos pela MSF na sexta-feira, 16 de outubro, indicavam que uma média de 5.000 pessoas cruzam a área todos os dias. A maioria deles ainda estavam na fila, mesmo sob chuva forte, por dias sem o mínimo acesso a alimentação, água, abrigo ou higiene. Na foto, crianças refugiadas se protegem da chuva enquanto esperam para serem registradas no centro de Presevo, Sérvia, em 20 de outubro de 2015.
    10Um dos pontos em que aconteceu um aumento da pressão nos últimos dias foi na localidade sérvia de Presevo, perto da fronteira com a antiga república iugoslava da Macedônia. Os dados recolhidos pela MSF na sexta-feira, 16 de outubro, indicavam que uma média de 5.000 pessoas cruzam a área todos os dias. A maioria deles ainda estavam na fila, mesmo sob chuva forte, por dias sem o mínimo acesso a alimentação, água, abrigo ou higiene. Na foto, crianças refugiadas se protegem da chuva enquanto esperam para serem registradas no centro de Presevo, Sérvia, em 20 de outubro de 2015. EFE
  • Uma criança com um chapéu de Papai Noel caminha com outros migrantes e solicitantes de asilo depois de cruzar a fronteira entre a Macedônia e a Sérvia em 21 de outubro. “Durante as últimas semanas atendemos crianças muito pequenas com sintomas de hipotermia”, disse o Dr. Alberto Martinez Polis, coordenador médico da MSF na Sérvia. “Ficam na fila por horas ao ar livre, molhadas e tremendo. Não tinham lugar para se aquecer, secar-se ou trocar de roupa”.
    11Uma criança com um chapéu de Papai Noel caminha com outros migrantes e solicitantes de asilo depois de cruzar a fronteira entre a Macedônia e a Sérvia em 21 de outubro. “Durante as últimas semanas atendemos crianças muito pequenas com sintomas de hipotermia”, disse o Dr. Alberto Martinez Polis, coordenador médico da MSF na Sérvia. “Ficam na fila por horas ao ar livre, molhadas e tremendo. Não tinham lugar para se aquecer, secar-se ou trocar de roupa”. AFP PHOTO
  • Equipes médicas da MSF na Sérvia estão atendendo mais de 400 pacientes por dia; os números aumentaram muito nas últimas semanas, ao mesmo tempo que também aumentou o fluxo de refugiados. Um homem segura uma criança dormindo enquanto espera com outros refugiados para se inscrever no centro de refugiados de Presevo, na Sérvia, em 25 de outubro.
    12Equipes médicas da MSF na Sérvia estão atendendo mais de 400 pacientes por dia; os números aumentaram muito nas últimas semanas, ao mesmo tempo que também aumentou o fluxo de refugiados. Um homem segura uma criança dormindo enquanto espera com outros refugiados para se inscrever no centro de refugiados de Presevo, na Sérvia, em 25 de outubro. AFP PHOTO
  • Crianças brincam perto da fronteira eslovena vigiadas por soldados perto de Rigonce, Eslovênia, em 26 de outubro.
    13Crianças brincam perto da fronteira eslovena vigiadas por soldados perto de Rigonce, Eslovênia, em 26 de outubro. AFP
  • Uma menina com um agasalho e cobertor espera na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia), em 23 de outubro de 2015. A maior parte dos refugiados e migrantes precisa de atenção para problemas como tosse, resfriados, gripe, distúrbios gastrointestinais e doenças cutâneas, que muitas vezes ocorrem como resultado das condições que enfrentam durante a viagem.
    14Uma menina com um agasalho e cobertor espera na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia), em 23 de outubro de 2015. A maior parte dos refugiados e migrantes precisa de atenção para problemas como tosse, resfriados, gripe, distúrbios gastrointestinais e doenças cutâneas, que muitas vezes ocorrem como resultado das condições que enfrentam durante a viagem. Efe
  • Uma criança chora na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia), em 23 de outubro de 2015. “Nossos pacientes, incluindo bebês de poucas semanas de vida, idosos e mulheres, muitas vezes em um estágio avançado de gravidez, já estão cansados e fracos quando chegam à Sérvia”, explica o coordenador geral da MSF na Sérvia, Stephane Moissaing.
    15Uma criança chora na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia), em 23 de outubro de 2015. “Nossos pacientes, incluindo bebês de poucas semanas de vida, idosos e mulheres, muitas vezes em um estágio avançado de gravidez, já estão cansados e fracos quando chegam à Sérvia”, explica o coordenador geral da MSF na Sérvia, Stephane Moissaing. EFE
  • Uma criança se protege do frio com um cachecol que cobre toda sua cabeça na fronteira turco-macedônia em 21 de outubro.
    16Uma criança se protege do frio com um cachecol que cobre toda sua cabeça na fronteira turco-macedônia em 21 de outubro. afp
  • Adultos e crianças chegam a um campo de registro para embarcar em um trem na terça-feira 20 de outubro de 2015, na fronteira com a Sérvia, perto da cidade fronteiriça de Gevgelija entre Macedônia e Grécia, na antiga república iugoslava da Macedônia.
    17Adultos e crianças chegam a um campo de registro para embarcar em um trem na terça-feira 20 de outubro de 2015, na fronteira com a Sérvia, perto da cidade fronteiriça de Gevgelija entre Macedônia e Grécia, na antiga república iugoslava da Macedônia. EFE
  • Uma menina imigrante espera sua chegada a um campo de registro para embarcar em um trem em 20 de outubro de 2015, na fronteira com a Sérvia, perto da cidade fronteiriça de Gevgelija entre Macedônia e Grécia, na antiga república iugoslava da Macedônia.
    18Uma menina imigrante espera sua chegada a um campo de registro para embarcar em um trem em 20 de outubro de 2015, na fronteira com a Sérvia, perto da cidade fronteiriça de Gevgelija entre Macedônia e Grécia, na antiga república iugoslava da Macedônia. efe
  • Refugiados caminham até a estação de trem depois de desembarcar do ferry “Eletherior Venizelos” no porto de Pireu, em Atenas (Grécia) em 21 de outubro. Um total de 141.919 refugiados e migrantes entraram em setembro na Grécia através das ilhas do mar Egeu, vindos da Turquia, de acordo com dados publicados em outubro de 2015 pela Guarda Costeira grega. Em comparação com as chegadas registradas em agosto (107.843), o número de pessoas, principalmente sírios e afegãos, que entraram na Grécia no último mês aumentou em mais de 30.000.
    19Refugiados caminham até a estação de trem depois de desembarcar do ferry “Eletherior Venizelos” no porto de Pireu, em Atenas (Grécia) em 21 de outubro. Um total de 141.919 refugiados e migrantes entraram em setembro na Grécia através das ilhas do mar Egeu, vindos da Turquia, de acordo com dados publicados em outubro de 2015 pela Guarda Costeira grega. Em comparação com as chegadas registradas em agosto (107.843), o número de pessoas, principalmente sírios e afegãos, que entraram na Grécia no último mês aumentou em mais de 30.000. EFE
  • Várias crianças se aquecem junto a uma fogueira depois de cruzar a fronteira entre a Grécia e a Macedônia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia.
    20Várias crianças se aquecem junto a uma fogueira depois de cruzar a fronteira entre a Grécia e a Macedônia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia. EFE
  • Uma menina refugiada descansa em uma barraca no acampamento de Opatovac, Croácia, em 21 de outubro. Cerca de 3.000 refugiados que esperavam na passagem de Berkasovo, entre a Sérvia e a Croácia, conseguiram forçar nesse dia a entrada na Croácia depois de passar uma noite fria ao ar livre, enquanto entre a Croácia e a Eslovênia também foi liberada momentaneamente a aglomeração das pessoas que tentavam cruzar.
    21Uma menina refugiada descansa em uma barraca no acampamento de Opatovac, Croácia, em 21 de outubro. Cerca de 3.000 refugiados que esperavam na passagem de Berkasovo, entre a Sérvia e a Croácia, conseguiram forçar nesse dia a entrada na Croácia depois de passar uma noite fria ao ar livre, enquanto entre a Croácia e a Eslovênia também foi liberada momentaneamente a aglomeração das pessoas que tentavam cruzar. EFE
  • Vários migrantes esperam para cruzar a fronteira entre Eslovênia e Áustria perto Spielfeld (Áustria) em 22 de outubro de 2015. O Comissário Europeu para a Imigração, Dimitris Avramopoulos visitou nesse dia a Eslovênia, país que solicitou ajuda da União Europeia depois de ter registrado, na quarta-feira anterior, a chegada de 12.600 refugiados, uma quantidade que excede sua capacidade de organização.
    22Vários migrantes esperam para cruzar a fronteira entre Eslovênia e Áustria perto Spielfeld (Áustria) em 22 de outubro de 2015. O Comissário Europeu para a Imigração, Dimitris Avramopoulos visitou nesse dia a Eslovênia, país que solicitou ajuda da União Europeia depois de ter registrado, na quarta-feira anterior, a chegada de 12.600 refugiados, uma quantidade que excede sua capacidade de organização. EFE
  • Algumas crianças observam como grupos de migrantes e solicitantes de asilo esperam um ônibus depois de cruzar a fronteira entre a Macedônia e a Sérvia perto da aldeia de Miratovac em 21 de outubro de 2015.
    23Algumas crianças observam como grupos de migrantes e solicitantes de asilo esperam um ônibus depois de cruzar a fronteira entre a Macedônia e a Sérvia perto da aldeia de Miratovac em 21 de outubro de 2015. AFP PHOTO
  • Os invernos na Europa Central e nos Bálcãs podem ser terrivelmente frios, com temperaturas que podem chegar a 15 graus abaixo de zero. Durante o ano passado, as equipes da MSF na Sérvia atenderam várias pessoas que sofreram congelamentos graves. Um paciente perdeu parte de um pé e outros sofreram cortes na pele ao tirarem a roupa que estava grudada em seus ferimentos. Na imagem, vários adultos e menores se dirigem, sob a chuva e protegidos com capas de chuva, a um ônibus até a fronteira com a Sérvia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, 22 de outubro de 2015.
    24Os invernos na Europa Central e nos Bálcãs podem ser terrivelmente frios, com temperaturas que podem chegar a 15 graus abaixo de zero. Durante o ano passado, as equipes da MSF na Sérvia atenderam várias pessoas que sofreram congelamentos graves. Um paciente perdeu parte de um pé e outros sofreram cortes na pele ao tirarem a roupa que estava grudada em seus ferimentos. Na imagem, vários adultos e menores se dirigem, sob a chuva e protegidos com capas de chuva, a um ônibus até a fronteira com a Sérvia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, 22 de outubro de 2015. EFE
  • Uma criança refugiada segurando um tigre de pelúcia chora na fronteira com a Eslovênia perto de Spielfeld (Áustria) em 22 de outubro de 2015.
    25Uma criança refugiada segurando um tigre de pelúcia chora na fronteira com a Eslovênia perto de Spielfeld (Áustria) em 22 de outubro de 2015. EFE
  • As condições de higiene tendem a deteriorar durante o inverno, pois os refugiados e migrantes não encontram lugares para se higienizar e lavar a roupa, o que leva a um aumento de doenças cutâneas. Nesta foto, algumas crianças e suas famílias comem pão e conservas em lata enquanto esperam na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia) em 23 de outubro de 2015.
    26As condições de higiene tendem a deteriorar durante o inverno, pois os refugiados e migrantes não encontram lugares para se higienizar e lavar a roupa, o que leva a um aumento de doenças cutâneas. Nesta foto, algumas crianças e suas famílias comem pão e conservas em lata enquanto esperam na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia) em 23 de outubro de 2015. EFE
  • Embora não seja possível prever o número de pessoas que vão cruzar a fronteira neste inverno, as equipes da MSF estão se preparando para atender um grande número de pacientes. A organização está incorporando mais pessoal médico, e também está aumentando os estoques de barracas, kits de higiene, cobertores, capas de chuva e roupas de inverno. Na foto, uma criança esfrega os olhos na frente de uma fogueira feita por sua família para combater o frio na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia) no dia 23 de outubro de 2015.
    27Embora não seja possível prever o número de pessoas que vão cruzar a fronteira neste inverno, as equipes da MSF estão se preparando para atender um grande número de pacientes. A organização está incorporando mais pessoal médico, e também está aumentando os estoques de barracas, kits de higiene, cobertores, capas de chuva e roupas de inverno. Na foto, uma criança esfrega os olhos na frente de uma fogueira feita por sua família para combater o frio na fronteira com a Croácia em Rigonce (Eslovênia) no dia 23 de outubro de 2015. EFE
  • Uma mulher e seus filhos esperam um trem depois de cruzar a fronteira entre a Sérvia e a Macedônia, na cidade de Bujanovac, em 23 de outubro.
    28Uma mulher e seus filhos esperam um trem depois de cruzar a fronteira entre a Sérvia e a Macedônia, na cidade de Bujanovac, em 23 de outubro. AFP PHOTO
  • Vários refugiados aguardam permissão para subir em um trem que se dirige à fronteira com a Sérvia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, em 23 de outubro de 2015.
    29Vários refugiados aguardam permissão para subir em um trem que se dirige à fronteira com a Sérvia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, em 23 de outubro de 2015. EFE
  • “Milhares de pessoas vulneráveis continuam expostas a sofrimentos terríveis durante a viagem pelos Bálcãs”, alertou Aurelie Ponthieu, assessora humanitária da MSF. “A falta de serviços básicos começa a ter um impacto na saúde dos refugiados e migrantes, e a situação vai piorar a menos que sejam proporcionados rapidamente abrigos adequados, alimentos quentes e serviços higiênicos nos pontos de registo e de transporte “. Na foto uma família de refugiados olha através da janela do trem antes de partir para a fronteira com a Sérvia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, 23 de outubro de 2015.
    30“Milhares de pessoas vulneráveis continuam expostas a sofrimentos terríveis durante a viagem pelos Bálcãs”, alertou Aurelie Ponthieu, assessora humanitária da MSF. “A falta de serviços básicos começa a ter um impacto na saúde dos refugiados e migrantes, e a situação vai piorar a menos que sejam proporcionados rapidamente abrigos adequados, alimentos quentes e serviços higiênicos nos pontos de registo e de transporte “. Na foto uma família de refugiados olha através da janela do trem antes de partir para a fronteira com a Sérvia, perto da cidade de Gevgelija, Macedônia, 23 de outubro de 2015. EFE