Videogame

Super Mario Bros completa 30 anos

O encanador mais emblemático dos videogames se mantém como ícone popular

Álvaro de la Rúa, Daniel Núñez, A.L.S.

Com seu inconfundível macacão azul, seu boné vermelho e seu vasto bigode, o Super Mario soprou ontem três velas para comemorar o seu trigésimo aniversário. A Nintendo convidou 700 seguidores para a festa de aniversário enquanto vários artistas interpretaram para o mascote a contagiante melodia que aparece no seu primeiro videogame. Não é para menos. O Super Mario chega aos 30 anos como um ícone popular que conquistou um espaço privilegiado na história dos videogames e cuja franquia continua a faturar milhões de euros no mundo todo.

MAIS INFORMAÇÕES

O Super Mario Bros foi lançado no Japão em 13 de setembro de 1985 e chegou aos Estados Unidos alguns meses depois. Tornou-se um sucesso imediato, em um momento em que o mercado internacional de videogames vivia uma crise. As aventuras do encanador, cuja missão era resgatar a princesa Peach passando por encanamentos e evitando as plantas carnívoras, foram revolucionárias, seja pelo design, seja pelo enredo ou por sua capacidade de prender os jogadores. A primeira versão vendeu mais de 40 milhões de cópias. Houve quem comparasse a influência adquirida por Mario à de Mickey Mouse.

Sua fama fez com que ele se transformasse no protagonista de centenas de jogos de outros tipos: de lutas a esportes, inclusive corridas de kart. A franquia comercializou mais de 310 milhões de jogos desde a sua criação, ou seja, mais de 10 milhões por ano. E o próprio Mario também evoluiu: inicialmente com um rosto praticamente irreconhecível (embora identificável) nos anos oitenta por causa da limitação de 16x32 pixels, tornou-se mais expressivo e, por fim, tridimensional. Lançaram-se amigos, novos inimigos e missões cada vez mais complicadas para cumprir.

A franquia comercializou mais de 310 milhões de jogos desde a sua criação, ou seja, mais de 10 milhões por ano

Muitas pessoas, porém, continuam até hoje sob o fascínio do seu começo. “Gosto do Mario. Jogo desde os quatro ou cinco anos de idade”, afirma Masako Iwata, 26 anos, uma das convidadas para a festa particular realizada em Tóquio, segundo a France Presse. O segredo de seus jogos, justamente, é que cativam tanto os aficionados de primeira hora quanto os recém-chegados, adultos e crianças, homens e mulheres. Seu criador, Shigeru Miyamoto, considerado um dos grandes gênios da indústria e ganhador do prêmio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades em 2012, diz que a ideia nasceu enquanto ele viajava de trem e imaginava a si mesmo saltitando pelas paisagens próximas a Kioto, sua cidade natal.

Por ocasião desse aniversário, a empresa está lançando um novo game (Super Mario Maker), em que os usuários podem criar as suas próprias paisagens e compartilhá-las com amigos pela internet. Pela primeira vez, os seguidores poderão decidir, por exemplo, quantos tijolos colocar ou de onde sairá o cogumelo que permite que Mario se transforme em Super Mario. É o passo mais recente dado pela empresa a fim de obter mais interatividade com o jogador diante da crescente concorrência e da complicada transição dos consoles para os equipamentos portáteis. A Nintendo vinha resistindo a entrar nesse mercado, mas já existem planos de fazê-lo com outras franquias famosas, como a do Pokémon, e o Super Mario certamente seguirá o mesmo caminho. Os jogos protagonizados pelo encanador representaram um terço das receitas da Nintendo em 2014; por esse motivo, sua continuidade é considerada essencial para a empresa. Mario resiste à revolução no mundo dos videogames, exibindo uma saúde de ferro e reunindo milhões de fãs.

Arquivado Em: