Telefónica continuará crescendo no Brasil apesar da recessão

A operadora concentrará seus investimentos nos mercados brasileiro e mexicano

29º Encontro de Telecomunicações, na UIMP de Santander.
29º Encontro de Telecomunicações, na UIMP de Santander.

A Telefónica continuará crescendo no Brasil, apesar do período de recessão vivido pelo país, e aumentará seus investimentos para ampliar sua rede de fibra óptica, devido ao grande potencial de crescimento da banda larga fixa no país, segundo afirmou o diretor de operações da empresa, José María Álvarez-Pallete.

Segundo o executivo, para a Telefónica o ano não está sendo ruim no Brasil e, no primeiro semestre, a cotação do real foi favorável à empresa. Mas reconheceu que a crise se fez notar no aumento da morosidade, o que está sendo acompanhado de perto.

Álvarez-Pallete afirmou que, independentemente da conjuntura econômica, as previsões da companhia são de continuar crescendo no país em curto e médio prazos. Neste sentido, disse que depois da compra da GVT da Vivendi, a Telefónica se consolidou como primeira operadora do país e as sinergias da operação estão sendo muito efetivas, com reduções de custos significativas. “A economia não vai ajudar, mas nós não vamos mudar nossos planos porque estamos crescendo fortemente”, destacou.

Por isso, a Telefónica redobrará seu esforço de investimento, a fim de ampliar as novas redes tanto móvel de 4G como de fixo por meio da fibra, tecnologias que ainda têm baixa cobertura no país, mas que são necessárias para se prestar novos serviços de dados e televisão por assinatura.

O diretor da Telefónica, em um encontro com jornalistas em Santander, também afirmou o outro “cenário prioritário” para o investimento do grupo é o México, onde pela primeira vez está sendo feita uma mudança de normas real, em relação à legislação aprovada pelo Governo de Enrique Peña Nieto para aumentar a concorrência e acabar com o domínio quase absoluto da América Móvil, de Carlos Slim. A Telefónica já controla 22% do mercado mexicano em número de clientes e 14% em faturamento.

Regulamentação da Internet

Álvarez-Pallete concordou com o diretor de operações da Orange, Gervais Pellissier, e com o diretor da Vodafone Europa, Philipp Humm, quanto à necessidade de que se aprofunde o processo de consolidação do setor na Europa, onde operam mais de 80 empresas de telecomunicações. Os três diretores participaram nesta segunda-feira de uma mesa redonda no 29o Encontro de Telecomunicações que acontece na Universidade Menéndez Pelayo de Santander, organizado pela AMETIC, associação das empresas de eletrônica e tecnologia da informação da Espanha.

Mais informações