MTV Video Music Awards

VMA 2015: Taylor Swift surge como nova rainha dos prêmios da MTV

A cantora levou três prêmios no MTV Vídeo Music Awards, incluindo o de melhor vídeo por 'Bad Blood'

(reuters_live)

O sucesso de Taylor Swift na edição 2015 do Video Music Awards (VMA) realizado pela MTV não pegou ninguém de surpresa. A intérprete não só era a favorita desta edição como este foi o ano dela. A cantora de 25 anos, portanto, não teve qualquer problema para levar o prêmio de vídeo do ano, com Bad Blood, além do de melhor vídeo pop com Blank Space e do de melhor vídeo feminino. Assim, deixou a maior surpresa da noite, realizada no palco do teatro Microsoft de Los Angeles, para seu grande inimigo de 2009. Se na época Kanye West tirou o microfone de Swift no palco nesta mesma festa, a cerimônia deste domingo virou notícia quando o rapper e marido de Kim Kardashian fez um anúncio inesperado: “Decidi que em 2020 vou me candidatar à presidência”.

MAIS INFORMAÇÕES

Swift dominou a cerimônia desde o início, quando fez uma aparição surpresa no palco enquanto, como tinha sido anunciado, Nicki Minaj interpretava o primeiro tema da noite. A cantora nascida em Trinidad apresentou a música Trini Dem Girls antes de ir para The Night Is Still Young, momento em que Swift a interrompeu no palco para cantar com ela alguns trechos de Bad Blood. Uma forma musical das duas cantoras fazerem as pazes, aproveitando o palco que lhes rendeu prêmios conhecidos por suas surpresas, desejadas ou não. Também foi uma forma de o programa atrair a atenção dos fãs das duas nas redes sociais, onde a briga entre as duas cantoras foi trending topic quando Minaj recorreu a sua conta do Twitter para se queixar da ausência de Anaconda entre os indicados a melhor vídeo do ano, comentário que Swift, a favorita desde sempre, encarou de forma pessoal.

Além de selar uma nova amizade, Minaj levou o pequeno astronauta da MTV de melhor vídeo de hip hop. Na categoria rock, o prêmio foi para Fall Out Boy por Uma Thurman. O primeiro prêmio da cerimônia foi para Mark Ronson, com o tema de Bruno Mars Uptown Funk, uma vitória como melhor vídeo masculino que também foi eclipsada pela onipresença de Swift, já que a cantora teve sua primeira vitória, na categoria de melhor vídeo pop, por Blank Space, quando ainda estava no tapete que levava ao teatro Microsoft e que em vez de vermelho simulou as barras coloridas da tela de ajuste da televisão. Além de ser a vencedora, ela aproveitou a noite para apresentar seu novo vídeo, Wildest Dreams, que protagoniza ao lado de Scott Eastwood, filho e fisicamente um clone da lenda cinematográfica Clint Eastwood. “Espero que as pessoas gostem”, acrescentou Swift em seu habitual tom cândido, mas segura de seu novo sucesso.

O outro nome da noite foi o de Kanye West. A estrela chegou como o vencedor do prêmio de honra e foi embora com o sonho de ser o futuro presidente dos Estados Unidos. Swift se encarregou de apresentar o marido de Kim Kardashin como “amigo”, apesar de suas rivalidades anteriores. “Conheci Kanye West pela primeira vez há seis anos neste palco”, brincou. “Desde então tivemos muito tempo para falar de muitas outras coisas”. West recebeu o prêmio Michael Jackson de vídeo de vanguarda, prêmio entregue ao autor cuja obra mais impactou a mídia visual. As mais de 30 indicações aos prêmios da MTV deste polêmico intérprete lhe valeram lugar de honra junto aos premiados anteriores como Beyoncé e Justin Timberlake. Kanye também levou em parte o pequeno homem na lua que representa os prêmios com o melhor vídeo com mensagem social, que foi para Big Sean interpretando sua versão da música do rapper e de John Legend, intitulado One Man Can Change the World.

O terceiro nome da noite não foi outro senão o de sua mestre de cerimônias, Miley Cyrus, que assim que pisou no tapete multicolorido com sua família, vestida como uma gladiadora prateada com apenas umas tiras cobrindo os seios, ganhou os olhares de todos. “Fiz literalmente de tudo neste palco e nada demonstrou que tivesse qualidades como mestre de cerimônias”, brincou a atriz e cantora, referindo-se à interpretação com forte carga sexual que fez em 2013 ao lado de Robin Thicke, e que associou para sempre seu nome ao desses prêmios.

Tory Kelly, Demi Lovato, Iggy Azalea, Macklemore & Ryan Lewis, assim como Kool Moe Dee e The Weeknd foram outros que passaram pelo teatro situado no coração de Los Angeles. Mas nada comparado a Justin Bieber, em um retorno que colocou lágrimas nos olhos até do próprio cantor. Em uma impressionante coreografia que incluiu seu “voo” por cima do público, o cantor e bailarino interpretou Where Are U Now? e What Do You Mean? em uma montagem visual que, como tinha prometido antes da cerimônia, anunciou a volta em plena forma de um cantor mais conhecido nos últimos meses por seus escândalos do que por seu sucesso musical.