Crise na Grécia

Crise grega derruba as principais bolsas internacionais

Preocupações com bancos fazem índice Ibex, de Madri, liderar perdas na Europa

Aposentado grego descansa junto a agência bancária fechada. Muitos correntistas se aglomeravam nos bancos desde o começo da manhã.
Aposentado grego descansa junto a agência bancária fechada. Muitos correntistas se aglomeravam nos bancos desde o começo da manhã.IANNIS BEHRAKIS (REUTERS)

As Bolsas europeias abriram nesta segunda-feira com fortes quedas, reagindo à incerteza criada pela crise da Grécia, que vive nesta segunda-feira seu primeiro dia de corralito (retenção de depósitos bancários), o que fará com que os bancos e a Bolsa de Atenas fiquem fechados a semana toda. O índice Ibex, da Bolsa de Madri, abriu o pregão com queda de 5,6% com relação ao fechamento da sexta-feira, mas no final da manhã (hora local) já moderava sua desvalorização, que ficava em 3,3% —ainda assim, o pior comportamento entre os principais mercados europeus na primeira parte da jornada.

Os papéis dos bancos espanhóis foram os que mais sofreram o contágio grego. Às 11h (6h em Brasília), havia registro de baixas nas ações do Santander (4,8%), BBVA (4,45%), Bankia (4%), Popular (5,33%), CaixaBank (3,67%), Sabadell (4,72%) e Bankinter (2,9%).

Mais informações

Todos os mercados acionários seguiam a mesma tendência, com fortes quedas na abertura, suavizadas à medida que o pregão avançava. Às 6h (hora de Brasília), o índice DAX alemão registrava queda de 3%, o CAC francês cedia 3,04%, e o FTSE Mib, de Milão, perdia 3,17%. O FTSE 100 da Grã-Bretanha, país que não está na zona do euro, tinha uma queda mais suave, de 1,44%. O índice EuroStoxx, que reúne ações importantes da zona do euro, caía 3,27%

A confusão grega também afetava a nota de risco dos países periféricos. O spread (ágio sobre títulos de referência) dos bônus espanhóis com vencimento em 10 anos disparou na abertura, chegando a 185 pontos, frente aos 118 do fechamento da sexta-feira. Assim como ocorreu nas Bolsas, essa queda também foi atenuada durante a jornada, estacionando em 137 pontos no meio do dia.

Do mesmo modo, as praças financeiras castigaram o euro pela possível saída da Grécia da moeda única. Assim, a divisa europeia caía mais de 1,17% frente ao dólar, sendo cotada a 1,10. Já o ouro – sinônimo de segurança para os investidores – subiu para os 41,80 dólares o grama.

Mercados asiáticos

Antes dos europeus, os mercados asiáticos já haviam aberto com forte queda por causa dos temores quanto a uma possível saída da Grécia da zona do euro. O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, caiu 2,88% durante o dia, e o Hang Seng, de Hong Kong, registrou perda de 2,68%. Na China continental, o índice de Xangai chegou a cair 5% durante a jornada, para em seguida se recuperar parcialmente e fechar em baixa de 1,4%.