Música

‘Yesterday’ faz 50 anos

Canção de Paul McCartney para os Beatles é recordista em número de versões na história

(reuters_live)

Tudo começou em uma manhã de maio de 1965. Paul McCartney ficou com uma melodia na cabeça após um sonho e não conseguiu esquecê-la. O que parecia uma brincadeira de sua mente se transformou em uma das melodias mais reconhecidas da história do pop pelas mãos dos The Beatles. Segundo suas próprias palavras, era como uma velha melodia de jazz, como as que seu pai costumava cantar e que o fazia voltar ao passado.

MAIS INFORMAÇÕES

A letra, entretanto, foi outra história. Conta a lenda que seu autor cantarolava como primeiro verso “scrambled eggs, oh baby, how I love your legs” (“Ovos mexidos; oh meu amor, como gosto de suas pernas”). Repetiu esta frase durante dias, mas no final, durante uma viagem a Portugal com sua namorada à época, Jane Asher, compôs os versos adequados.

A canção, finalmente, foi gravada em 14 de junho de 1965. Depois de uma passagem com John Lennon no órgão Hammond, o produtor George Martin sugeriu a McCartney usar um quarteto de cordas. McCartney a princípio resistiu e disse: “Não quero ser um Mantovani – em referência ao compositor de música instrumental italiano, que costumava tocar naquela época em auditórios de Londres –“. Mas sem esses acertos a canção não teria sido a mesma.

Yesterday foi lançada no álbum Help!. Tem a honra de ser a canção com mais versões da história, de acordo com o Livro Guinness dos recordes. Entre suas mais de 1.500 versões, são famosas as cantadas por Frank Sinatra, Aretha Franklin, Elvis Presley e Willie Nelson. Esse monólogo interior de McCartney tem uma melancolia mágica. É quase impossível não ser seduzido por ela.

Na sequência, listamos cinco das versões mais célebres de todos os tempos.

Uma canção eterna

1. Elvis Presley

O Rei do rock nunca se entendeu com os Beatles, aos quais via como o fruto de uma geração, a da contracultura, com a qual não sintonizava. De fato, o encontro entre os Fab Four e Presley não foi frutífero, nada parecido com o que tiveram com Bob Dylan. Presley, entretanto, gostava de criar versões de algumas das baladas dos Beatles, ideais para sua garganta galáctica.

O pai dos fora-da-lei do country traz Yesterday ao seu campo, fazendo uma das versões mais emocionantes de todos os tempos. Com sua voz profunda e pletórica, Nelson coloca jeans na balada de McCartney, substituindo as cordas por uma guitarra simples, mas efetiva, como se tivesse sido escrita para ser cantada em uma cantina do Texas.

3. Frank Sinatra

A Voz sempre renegou o rock e afirmava que este ritmo corrompia os jovens. Mas não pôde resistir a cantar uma canção que estava no topo de todo um movimento musical. Com sua grande roupagem pop, Yesterday era uma balada intergeracional e Sinatra soube conservar sua poderosa carga melancólica em sua proposta de jazz vocal. As cordas continuam tendo um papel essencial, mas, nessa ocasião, desdobram-se em um sentido jazzístico mais sugestivo e lento.

4. Aretha Franklin

A mais espetacular voz feminina do soul e, possivelmente, de toda a história da música popular não podia deixar de colocar seu espírito nessa canção eterna. Com seu timbre divino e penetrante, Aretha Franklin veste Yesterday com suas roupas de gala vocais. Entre o jazz e o soul, sua versão é talvez a mais nostálgica de todas as gravadas por qualquer outro artista.

5. Ray Charles

Um dos pilares da música afro-americana deu à música seu essencial toque ao piano, ao qual acrescentou seu modo particular de cantar, muito mais lento.