Seleccione Edição
Login

Johnny Depp pode pegar 10 anos de prisão por culpa de seus cachorros

Ator burlou quarentena que deve ser cumprida pelos animais que entram na Austrália

Johnny Depp a su llegada a Australia
Johnny Depp em sua chegada à Austrália. Cordon Press

Boo e Pistol, os cães de Johnny Depp, voltam a ser manchete, mas desta vez porque poderiam ser responsáveis pela prisão do ator de Piratas do Caribe, que corre o risco de passar 10 anos na cadeia. Bem, na verdade, a culpa tem a ver com os caprichos de Depp. Se o ator que dá vida ao famoso pirata Jack Sparrow não tivesse desobedecido as regras e violado as leis de controle de animais na Austrália, hoje não estaria encurralado pela justiça. Foi ele quem decidiu não registrar os cães da raça Yorkshire terrier, para evitar que os animais ficassem 10 dias em quarentena, e agora o Senado australiano afirma que, se o caso chegar aos tribunais, Depp poderia ser condenado a 10 anos de prisão ou pagar uma multa superior a 940.000 reais.

O problema começou com o vazamento de fotos nas quais um dos empregados do ator levava Boo e Pistol em uma bolsa a um salão de beleza para cachorros, na cidade de Gold Coast. Quando o Ministério da Agricultura do país descobriu o fato, entrou em contato com Depp e informou que o ator deveria retirar seus animais de estimação do país, caso contrário seriam sacrificados. "Se começarmos a deixar que as estrelas de cinema entrem em nosso país com animais de estimação, então por que não ignoramos as leis para todo mundo?", disse à imprensa Barnaby Joyce, ministro da Agricultura. Depp não quis comprovar se as ameaças de Joyce eram verdadeiras e viajou em um jato particular com a esposa, a atriz Amber Heard, e seus dois cães mimados de volta à Califórnia. Mas, aparentemente, a decisão não foi suficiente para compensar a falta de respeito do ator e, durante uma audiência, o comitê do Senado argumentou que Depp não podia ficar impune.

Johnny Depp, com um de seus cães.
Johnny Depp, com um de seus cães.

A saga dos Yorkshire terrier provocou um movimento de solidariedade nas redes sociais. No Twitter, a hashtag #WarOnTerrier tornou-se o tema mais discutido na Austrália, segundos após as declarações do ministro. Até surgiram piadas em referência ao programa contra a imigração do Governo australiano; também foi lançada uma campanha na plataforma Change.org para colher assinaturas pedindo que o Governo perdoe Boo e Pistol.

MAIS INFORMAÇÕES