JOHNNY DEPP

Johnny Depp vai embora da Austrália após ameaça contra seus cães

O ator estava no país filmando a sequência de 'Piratas do Caribe'

Johnny Depp e sua esposa Amer Heard ao chegar à Austrália.
Johnny Depp e sua esposa Amer Heard ao chegar à Austrália.

Os cães Pistol e Boo vão deixar da Austrália num jato privado e acompanhados por seus donos, o ator Johnny Depp e sua esposa, Amber Heard. Os yorkshire terrier mais famosos do momento evitarão assim morrer nas mãos das autoridades australianas, que ameaçaram abatê-los porque não haviam se submetido ao protocolo de dez dias de quarentena obrigatórios para qualquer animal que entre no país.

Mais informações

Depp e Heard informaram sua decisão ao Ministério da Agricultura depois que o titular da pasta, Barnaby Joyce, ameaçou sacrificar Pistol e Boo caso não deixassem a Austrália antes de sábado. “O senhor Depp decidiu ignorar as leis de nosso país”, declarou Joyce à imprensa após anunciar que o ator, a esposa e os cães abandonariam o país em poucas horas.

A Austrália é um dos países mais exigentes do mundo com relação à entrada de animais. “É essencial que mantenhamos nosso estado único, livre de pragas e doenças, e apreciamos a colaboração do senhor Depp à hora de resolver essa questão”, disse Joyce.

O ministro anunciou que haverá uma investigação para determinar como os cachorros entraram. Depp e Heard chegaram à Austrália em 21 de abril no jato particular do ator, onde supostamente também viajaram Pistol e Boo. Em princípio, quem chega em jatinho passa pelos mesmos controles de segurança que os demais passageiros, mas os cães burlaram o protocolo de fiscalização. Foram descobertos quando um empregado de Depp os levou para um pet shop de Gold Coast, onde o ator roda o próximo episódio da saga Piratas do Caribe.

Johnny Depp, com um dos seus cachorros.
Johnny Depp, com um dos seus cachorros.

Nem o ministro nem os representantes de Depp esclareceram quando o ator voltará à Austrália para continuar filmando, nem se haverá atrasos no filme por causa do contratempo. No entanto, Joyce disse que as autoridades australianas não são contrárias à produção do filme e explicou que dois macacos capuchinhos que aparecem no quinto episódio da saga multimilionária da Disney passaram pelos controles de fiscalização.

“Tivemos casos de celebridades que trouxeram, por exemplo, rãs para comer. Tivemos que sacrificá-las”, explicou Joyce. O ministro, que apareceu em todas as redes de televisão e rádio falando sobre o tema, alertava durante a manhã quanto à possibilidade de que os cães de Depp não possam voltar a entrar nos Estados Unidos. “A questão é: se ignoraram nossas leis, seguiram corretamente as leis norte-americanas?”, questionou Joyce durante uma entrevista ao canal público ABC. “Minha preocupação é: deixarão que os cães entrem nos Estados Unidos? E, caso contrário, terão aonde ir?”, acrescentou, lembrando que Pistol e Boo poderiam acabar virando “cães sem Estado”.

Mais tarde, o Ministério da Agricultura informou em comunicado que “emitirá um certificado de exportação detalhando as circunstâncias de sua chegada à Austrália para facilitar o seu acesso aos Estados Unidos.”

O caso foi sensação nas redes sociais, onde os internautas levam horas argumentando contra e a favor do astro. Uma petição na plataforma Change.org para salvar Boo e Pistol já possui quase 18.000 assinaturas, e o hashtag #WarOnTerrier está entre os assuntos mais comentados no Twitter na Austrália desde a quinta-feira de manhã.

Petição para salvar Boo e Pistol já possui 18.000 assinaturas, e o hashtag #WarOnTerrier está entre os assuntos mais comentados no Twitter

Na Austrália, não são poucos os que acusaram Joyce de aproveitar o efeito midiático de Depp para aumentar seu próprio protagonismo nos jornais. O locutor da Kiss FM Kyle Sandilands, famoso por seu estilo direto e agressivo, cutucou-o durante uma entrevista: “O senhor parece um absoluto palhaço ao dizer a esse sujeito que vá embora para Hollywood ou mataremos seus cachorros. O senhor parece um idiota. É um ministro do Governo, não um idiota qualquer na rua desabafando diante das câmeras. Tenha um pouco de decência.” Ao que o ministro respondeu: “Bem, isso é interessante vindo do senhor. O senhor é um pequeno selvagem.”

Humilhações à parte, vários comentaristas políticos acusaram o ministro de oportunista por trazer a questão à tona no momento em que a popularidade do Governo está num dos pontos mais baixos de sua história. No início da semana, a decisão de retirar as subvenções para as mães trabalhadoras ocupou a capa dos jornais, e a apresentação dos orçamentos do Estado foi recebida com ceticismo porque o Governo baseou as projeções de crescimento da economia em números extremamente otimistas e evitou falar da queda da economia australiana.

A jornalista Judith Ireland, do Sydney Morning Herald, acusou o Governo conservador de desviar as atenções com essa polêmica. “Os cães de Depp serviram para tirar o foco do debate político apenas 24 horas depois da apresentação dos orçamentos do Estado”, lamentou.