Editoriais
São da responsabilidade do editor e transmitem a visão do diário sobre assuntos atuais – tanto nacionais como internacionais

Hollande sai na frente

Presidente francês é o primeiro líder europeu a visitar Cuba depois do anúncio da retomada de relações com Washington

François Hollande se transformou nesta segunda-feira no primeiro líder de um país europeu a visitar Cuba depois do anúncio do restabelecimento de relações diplomáticas entre Havana e Washington. O presidente francês quer que seu país esteja na primeira linha do processo de abertura que está acontecendo na ilha: esse é o dado fundamental que pode ser concluído dessa visita.

Mais informações
França se antecipa na UE para normalizar suas relações com Cuba
EDITORIAL | O credo de Raúl Castro
“Francisco legitimará o caminho da distensão entre Cuba e os EUA”
Castro: “Se o Papa continuar assim voltarei a rezar e retorno à Igreja”

Além de sair na frente, Hollande pediu – algo não muito original – o fim do embargo norte-americano, algo que vai acontecer se terminar com êxito o processo de aproximação com os Estados Unidos. É o aceno obrigatório ao presidente Raúl Castro. Para equilibrar mensagens, condecorou com a Legião da Honra o arcebispo de Havana, Jaime Ortega: é um gesto voltado a uma Igreja que, sob a direção do papa Francisco, se transformou em interlocutor básico do Governo cubano e terá um papel fundamental nos acontecimentos futuros na ilha.

Mas, além disso, ao assumir a iniciativa das relações da UE com Havana, Hollande não se limitou a símbolos e declarações retóricas. Em uma demonstração de iniciativa política e econômica, o presidente francês viajou com várias dezenas de empresários. Seria conveniente que essa visita e seus efeitos futuros fossem seguidos de perto pelo Governo espanhol para não ficar para trás em uma etapa fundamental da reconfiguração política e econômica no Caribe. O trem da história não concede segundas oportunidades; Hollande entendeu isso muito bem.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS