A Amazon quer pôr ordem na sua casa

Gigante do comércio eletrônico cria uma divisão com serviços de limpeza doméstica

Tela inicial do site Amazon Home Services.
Tela inicial do site Amazon Home Services.

A piada que corre no Vale do Silício diz que a uberização generalizada dos serviços está transformando os adultos da região em seres incapazes de fazer qualquer coisa sozinhos. Os preços caem e as opções se multiplicam. Há cada vez mais dinheiro para delegar tarefas.

MAIS INFORMAÇÕES

A Amazon é a mais recente empresa a aderir a essa febre. E começou em grande estilo, com uma ampla gama de opções dentro do seu novo site Amazon Home Services. Ele funciona em 41 Estados dos EUA, intermediando os serviços de profissionais como encanadores, jardineiros, eletricistas, limpadores de vidraças e desentupidores de chaminés.

Além disso, penetra num terreno em expansão, o educacional. É possível contratar aulas particulares de reforço escolar ou professores de violão, por exemplo. A Amazon também imagina transformar a sala de casa em ambiente de academia. Mas nem todas as opções funcionam em todos os Estados.

O conceito é muito parecido com o de uma start-up que funciona há três anos na Grande San Francisco, chamada TaskRabbit, na qual um particular oferece seus serviços e os consumidores posteriormente avaliam a qualidade. A diferença é que, em vez de confiar na autorregulamentação da comunidade, a própria Amazon garante uma qualidade mínima. Outra sutileza: no TaskRabbit a cotação é feita por leilão, e o preço inicial quase sempre acaba sendo reduzido. Já na Amazon, o valor é fixo.

A empresa de Jeff Bezos garante que os profissionais que aparecem no seu site passaram por diversos controles, tanto de qualidade do serviço como no aspecto jurídico. Assim, todos os prestadores de serviços vivem há pelo menos sete anos nos EUA e estão cadastrados na previdência social norte-americana, por exemplo. Além disso, nenhum deles tem ficha policial por roubo, agressão sexual ou crimes menos graves.

Se o cliente não ficar satisfeito, recebe o dinheiro de volta. Como é norma no universo comercial de Bezos, o cliente é convidado a fazer comentários sobre o serviço, o que permite criar diferentes categorias, premiar os melhores profissionais dando-lhes mais trabalhos e saber com mais precisão o que os clientes apreciam. O site aceita a inscrição de particulares e de empresas que aceitem ceder parte do seu lucro em troca de um lugar na vitrine Amazon. Sabe-se extraoficialmente que o gigante do varejo eletrônico fica com 20% do valor de cada serviço.

Ao mesmo tempo, a Amazon abre uma via para faturar na sua loja própria, junto com a instalação de um home theater ou de um som automotivo, por exemplo. Em breve deve ser oferecida a opção de compra com instalação. Todas as possibilidades imagináveis estão na mira: de cursos de fotografia junto com a compra de uma câmera a aulas de culinária junto com os ingredientes para preparar determinado prato.

Arquivado Em: