Fórmula 1

Fernando Alonso deixa hospital três dias após sofrer acidente na Espanha

Piloto da McLaren passou três dias internado em observação

Fernando Alonso, ao deixar o hospital.
Fernando Alonso, ao deixar o hospital. (efe)

Depois de quase 72 horas de internação, Fernando Alonso recebeu alta nesta quarta-feira. O piloto espanhol foi internado na UTI do Hospital Geral da Catalunha, em Sant Cugat del Vallès (Barcelona), no domingo, depois do acidente que sofreu durante treino da pré-temporada de Fórmula 1, realizado em Montmeló. Ele bateu de lado no muro da pista, a cerca de 150 quilômetros por hora. Depois de perder a consciência por causa da colisão, os médicos do circuito decidiram encaminhá-lo para o hospital –distante cerca de 25 km–, onde foi periodicamente submetido a exames (tomografias e outras provas de contraste). Segundo a McLaren e o agente do piloto, os exames descartam lesão.

"Fernando está bem. Agora vai para casa para descansar. Vai voltar logo, quando estiver pronto”, disse Luis García Abad, agente do espanhol.

Apesar de ter recebido alta médica, Alonso não poderá dirigir o MP4-30 na última série de testes antes do início do Mundial (em 15 de março, em Melbourne, Austrália), de quinta-feira a domingo, também em Montmeló. A equipe McLaren confirmou que o dinamarquês Kevin Magnussen vai substituí-lo nos testes.

Alonso deixou o hospital em um carro particular, sem dar declarações para os meios de comunicação que o esperavam na saída. Algumas horas antes o piloto tinha recebido a visita de seu chefe de equipe, o francês Eric Boullier.

MAIS INFORMAÇÕES

A versão da McLaren sobre os acontecimentos indica o vento como principal causa do acidente, mas há quem duvide disso. A estratégia de comunicação da escuderia britânica não ajuda nada a diminuir os boatos. Ela prefere reter informações que permitiriam entender melhor a brutalidade do choque. A telemetria registrou a geração no impacto com o muro de 31 G —a sensação de força experimentada como resultado da aceleração ou desaceleração, comparada à gravidade—, informação que a McLaren não queria revelar. Também não se entende bem o esforço de destacar que o carro não sofreu muitos danos e ficou quase inteiro. Realmente, Jenson Button esteve a ponto de voltar à pista depois que a sessão foi retomada, à tarde. Os impactos laterais são muito delicados, porque o projeto dos carros se preocupa especialmente em resguardar o piloto ao máximo nos choques frontais.

“Fernando não se lembra de nada do acidente, mas é algo normal em casos assim”, declarou na terça-feira Flavio Briatore à RAI Radio. A amnésia pode ser o motivo para Alonso ter ficado sob observação por três dias.

Outros acidentes de Alonso

Desde sua estreia como piloto de Fórmula 1, em 2001, na Minardi, Fernando Alonso sofreu vários acidentes, de diferente gravidade.

O mais sério foi o sofrido no Grande Prêmio do Brasil de 2003, que teve que ser cancelado depois de o piloto espanhol ter sido o 12º a bater. Alonso ficou em terceiro (a posição em que estava na volta anterior da corrida). Não sofreu lesão grave.

Outro dos mais espetaculares, do qual no entanto saiu ileso (e manteve a liderança) foi a batida contra Grossjean e Lewis Hamilton no GP da Bélgica de 2012. Uma manobra do francês na largada fez decolar o carro de Alonso (na época, uma Ferrari).

Arquivado Em: