Cuba dá mais um passo em direção à unificação monetária

O Banco Central da ilha anunciou a emissão de notas de maior valor para facilitar as compras em pesos cubanos

Uma tabela de preços em um mercado de Havana.
Uma tabela de preços em um mercado de Havana.

O Banco Central de Cuba anunciou na quinta-feira a emissão de notas de maior valor em pesos cubanos, como parte do processo de eliminação da dualidade monetária, que começou em outubro de 2013. A partir do dia 1º de fevereiro começarão a circular na ilha notas de 200, 500 e 1.000 pesos cubanos (CUP), equivalentes a 8, 20 e 40 dólares, o que facilitará as compras de produtos em pesos conversíveis (CUC).

Mais informações

O sistema de duas moedas está em vigor em Cuba desde 1994. Desde então, circulam na ilha o peso cubano (CUP) e o peso conversível (CUC), que equivale a um dólar ou 25 CUP. Até agora, os salários dos trabalhadores e os bens e serviços básicos estão em pesos cubanos, enquanto que os preços dos produtos importados e serviços como o turismo estão em pesos convertíveis (CUC).

Desde outubro de 2013, as lojas que oferecem produtos em CUC começaram a aceitar “experimentalmente” pagamentos com pesos. Mas a diferença de preço entre os bens e serviços em CUC e os subsidiados pelo Estado é enorme, e os pagamentos com moeda nacional se tornaram complicados. Os consumidores devem levar maços de notas para pagar por móveis ou eletrodomésticos, pois a maior nota nacional que existia até agora era a de 100 pesos, equivalente a 4 dólares ou 4 CUC.

A nota nacional de maior valor até agora era a de 100 pesos, equivalente a 4 dólares

“Nos últimos meses aumentou a utilização do CUP nas lojas que vendem em CUC (...) Isso, claro, implica a manipulação de maior quantidade de dinheiro, não só para as pessoas, mas também para os comércios, transportadoras, entre outros”, admitiu o vice-presidente do Banco Central de Cuba, Francisco Mayobre Lence, em declarações ao jornal oficial Granma. “A circulação de notas de maior valor ajuda a diminuir gradualmente este problema, porque quando for necessário realizar um pagamento grande, as pessoas poderão usar notas de maior valor”, acrescentou Mayobre.

A eliminação da dualidade monetária foi citada pelas autoridades cubanas em abril de 2011, como parte das novas orientações para a atualização do modelo econômico de Cuba, e anunciada oficialmente dois anos depois, sem que tenha sido estabelecida uma data concreta para sua entrada em vigor. “A unificação monetária e cambial não é uma medida que vai resolver, sozinha, todos os problemas atuais da economia, mas sua aplicação é essencial para garantir o restabelecimento do valor do peso cubano e de suas funções como dinheiro, ou seja, como unidade de conta, meios de pagamento e acumulação”, diz o comunicado emitido pelo Governo de Havana que marcou o início do processo.