Futebol

Zubi e Puyol pagam pela crise no Barça

Presidente do time demite diretor de futebol do clube azul-grená Logo depois, Carles Puyol renunciou como auxiliar da secretaria técnica

Andoni Zubizarreta, durante entrevista em outubro.
Andoni Zubizarreta, durante entrevista em outubro.Vicens Gimenez

A crise no FC Barcelona entrou em erupção horas depois da derrota da equipe azul-grená em Anoeta, no mesmo dia em que Messi se ausentou de um treinamento aberto ao público alegando uma gastroenterite e seis dias depois de o Tribunal de Arbitragem do Esporte (TAS) ter confirmado a punição que proíbe o clube de fazer contratações até 2016. O presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu, demitiu no começo da tarde da segunda-feira o diretor esportivo Andoni Zubizarreta. Logo depois, Carles Puyol renunciou como auxiliar da secretaria técnica. E é esperado o adeus dos colaboradores de Zubizarreta, Albert Valentí e Narcís Julià.

MAIS INFORMAÇÕES

Zubizarreta estava há quatro anos e meio no cargo, desde julho de 2010, depois que Guardiola convenceu o então recém-eleito presidente, Sandro Rosell, para que apostasse no ex-goleiro do Barça e do Athletic. A destituição do diretor de futebol era cogitada há várias semanas, principalmente devido às divergências causadas pela sanção da FIFA por infrações relacionadas com a contratação de jogadores menores de 18 anos, e também pela nula participação de dois jogadores contratados recentemente, o zagueiro belga Vermaelen e o lateral brasileiro Douglas. O primeiro, com uma lesão, não estreou em partidas oficiais, e o segundo apenas disputou um jogo da Liga, apesar dos problemas que a equipe teve em ambas posições.

A declaração que desencadeou a demissão

Na conclusão da partida de Anoeta, Zubizarreta respondeu às perguntas do Canal + em relação à sanção da FIFA ao Barcelona, devido às irregularidades na contratação de jogadores menores de 18 anos. Esta foi a resposta de Zubizarreta: "Tanto Sandro, quando era presidente, como Barto, sabem que sempre assumo minhas responsabilidades. A partir disso, como o vice-presidente esportivo que trabalhava comigo era o Bartomeu, [ele] é o que melhor conhece a situação, como o processo todo se desenvolveu. Assumir a responsabilidade significa explicá-la e dizer como as decisões foram tomadas. Mas tive que dar poucas explicações porque o vice-presidente esportivo na época era o atual presidente".

Toni Freixa, um dos diretores que mais havia perdido relevância, solicitou uma reunião do conselho para avaliar as medidas depois da sanção que proibiu contratações por duas temporadas. A reunião ficou marcada para quarta-feira. Os rumores se espalharam. Havia a possibilidade de que o conselho demitisse Zubizarreta. Declarações do diretor esportivo ao final da partida de Anoeta precipitaram sua saída, sem que a decisão fosse submetida ao conselho em uma reunião oficial. O comunicado do clube foi explícito: "O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, decidiu rescindir o contrato do até hoje diretor de futebol do clube, Andoni Zubizarreta". Bartomeu convocou uma coletiva de imprensa para a quarta-feira à tarde.

Compra e vendas de Zubizarreta

2010-2011. Contratações: Adriano (9,5 milhões de euros ou 30,7 milhões de reais), Mascherano (20 milhões de euros) e Afellay (3 milhões de euros). Transferências: Touré (30 milhões de euros) e Chigrinsky (15 milhões de euros).

2011-2012. Contratações: Alexis (26 milhões de euros) e Cesc (34 milhões de euros). Transferências: Ibrahimovic (24 milhões de euros), Jeffren (3,7 milhões de euros), Maxwell (3,5 milhões de euros) e Cáceres (3 milhões de euros).

2012-2013. Contratações: Song (19 milhões de euros) e Alba (14 milhões de euros).

2013-2014. Contratações: Neymar (86,2 milhões de euros). Transferências: Thiago (25 milhões de euros), Villa (2,1 milhões de euros) e Fontàs (1 milhão de euros).

2014-2015. Contratações: Ter Stegen (12 milhões de euros), Bravo (12 milhões de euros), Rakitic (18 milhões de euros), Mathieu (20 milhões de euros), Vermaelen (10 milhões de euros), Luis Suárez (81 milhões de euros) e Douglas (4 milhões de euros). Transferências: Alexis (42,5 milhões de euros), Cesc (33 milhões de euros), Bojan (2,1 milhões de euros) e Dos Santos (1,5 milhão de euros).

Total - Contratações: 368,7 milhões de euros (1,2 bilhão de reais). Transferências: 186,1 milhões de euros (601,3 milhões de reais)

As declarações de Zubizarreta ao Canal + em Anoeta indicam que Bartomeu vai alegar a perda de confiança como causa da demissão. "Tive que dar poucas explicações sobre a sanção da FIFA, porque o vice-presidente esportivo na época era o atual presidente", afirmou Zubizarreta apontando o dedo diretamente para Bartomeu. O presidente, por outro lado, sempre esteve ao lado de Zubizarreta na gestão do clube. Zubizarreta fez parte da última etapa de Guardiola como treinador do time azul-grená, apostou pesado em Tito Vilanova, depois em Gerardo Martino e, em maio, se reuniu com o então treinador do Celta, Luis Enrique, a quem confiou o atual projeto.

A queda de Zubizarreta provocou a renúncia imediata de Puyol. Depois de encerrar sua carreira como jogador, passou a atuar como auxiliar da secretaria técnica. "Decidi dar por finalizada minha relação de trabalho com o Barcelona. Esses três meses e meio me deram a oportunidade de ver o outro lado do clube. Aprendi muito, sou muito grato e, agora, gostaria de experimentar outras coisas sob outra perspectiva e outros lugares. Quero crescer tanto pessoal quanto profissionalmente para que, no futuro, quem sabe possa regressar a esta casa", afirmou Puyol, que agradeceu a confiança que Bartomeu e Zubizarreta depositaram nele.

A crise atinge todas as camadas do clube e a oposição exige que Bartomeu convoque eleições, já que exerce um cargo para o qual não foi eleito (substituiu Rosell, quando este pediu demissão há um ano). Bartomeu quer ir até o fim do mandato em 2016. Enquanto isso, promove uma série de mudanças no clube. Ignacio Mestre substituiu Antoni Rossich como diretor-geral em 23 de dezembro; e Albert Soler, diretor de relações institucionais, coordenará também o trabalho dos responsáveis das áreas esportivas. Antes disso, Bartomeu nomeou um substituto para os cargos de porta-voz e secretário do conselho, até então ocupados por Freixa, e colocou Gabi Pérez à frente do departamento de segurança. O carrossel continua com Zubizarreta.

Comunicado de Puyol

Pelo presente comunicado quero anunciar que decidi dar por finalizada minha relação de trabalho com o Futebol Clube Barcelona. Esses três meses e meio me deram a oportunidade de ver o outro lado do clube. Aprendi muito, sou muito grato e, agora, gostaria de experimentar outras coisas sob outra perspectiva e outros lugares. Quero crescer tanto pessoal quanto profissionalmente para que, no futuro, quem sabe possa regressar a esta casa, e devolver tudo o que me deram durante esses anos inesquecíveis. Continuo enormemente grato aos funcionários, diretores, presidente e à direção esportiva por confiar e me ajudar nesta transição que não é nada fácil. E sobretudo à torcida que, se como jogador sempre a senti muito perto, agora, com minha partida, a sinto muito mais. Gostaria de poder me despedir lutando, mas a vida nem sempre é como se deseja. Tive e tenho muita sorte de sentir tanto carinho, por isso apenas posso dizer a vocês, OBRIGADO, e que saibam que sempre os levarei em meu coração. Vida longa ao Barça.

Arquivado Em: