Seleccione Edição
Login

Zidane, o treinador incompreendido

Blaquart, dirigente da Federação Francesa, e Lacombe, seu tutor na Escola de Treinadores, defendem a capacidade do técnico do Real Madrid Castilla, punido na Espanha

Zinédine Zidane, durante uma partida com o Castilla. Ampliar foto
Zinédine Zidane, durante uma partida com o Castilla. AFP

Zinédine Zidane vive uma temporada de estreia difícil no banco. O ex-jogador francês, guia da seleção campeã do mundo em 1998 e astro no Real Madrid dos Galáticos, soma dois contratempos desde que estreou nesta temporada no vestiário do Castilla, a equipe reserva do Real Madrid que joga a Segunda B, terceira divisão do futebol espanhol. Zidane começou perdendo cinco dos seis primeiros jogos, e quando voltou ao caminho das vitórias, no começo de outubro, a Federação Espanhola o puniu com três meses de suspensão por treinar sem diploma. Sua situação passou da complexidade ao caos.

Em total desconcerto, Zidane pediu aconselhamento a Guy Lacombe. O treinador que o revelou como jogador de futebol nas categorias de base do AS Cannes no anos 1980 serviu como referência nos dias de dúvidas. Lacombe se deslocou para Madri em duas ocasiões, observou seu antigo pupilo atuando em vários treinos do Castilla e assistiu da arquibancada do estádio Alfredo di Stéfano a quatro jogos oficiais. Sua análise foi taxativa e salvadora.

Quando o visitei, ele tinha dificuldade para mandar nos jogadores

Guy Lacombe

“Na primeiro vez que fui vê-lo”, relembra em conversa por telefone, “Zidane era tímido no comando dos treinamentos, tinha dificuldade para assumir o controle de um grupo de jogadores e para mandar no vestiário. Quinze dias depois, estava mais confortável, mas continuava sem vencer partidas. Nós percebemos que faltava mudar o estilo de jogo de sua equipe, trocando a posse de bola por um jogo mais direto, mais eficaz”, explica Lacombe. Os resultados apareceram a partir deste momento, com quatro vitórias e dois empates em seis partidas na Segunda B. A sequência colocou o Castilla na metade da tabela.

A ajuda técnica de Lacombe não foi apenas um gesto de amizade, e sim um respaldo muito mais amplo, quase político. Paralelamente a seu trabalho no Real Madrid, Zidane realiza um curso de formação na França para obter o último grau de treinador profissional, o Nível 3 ou UEFA Pro (que custou a ele a punição de três meses na Espanha, suspensa de forma cautelar). Lacombe foi designado pela Federação Francesa como seu tutor pessoal, além de ser o encarregado da formação de treinadores na organização.

Zidane passa instruções a seu filho Enzo antes de estrear com o Castilla. ampliar foto
Zidane passa instruções a seu filho Enzo antes de estrear com o Castilla. AS

O técnico veterano, de 59 anos, assessora em um nível menor outros quatro ex-jogadores franceses de sucesso, como o também ex-jogador do Real Claude Makelele, que foi demitido do Bastia há duas semanas, e Willy Sagnol, atual treinador do Bordeaux. Reúne-se com eles a cada mês sob a forma de um seminário itinerante com o objetivo de transmitir sua experiência no banco de reservas de Paris St. Germain e Monaco nos anos 2000 e confrontá-los com a realidade vivida por alguns dos melhores técnicos da atualidade. Já o fez em Madri, onde no início da temporada apresentou seus alunos à comissão técnica de Carlo Ancelotti; em Rennes, onde estiveram reunidos na semana passada junto a Philippe Montanier, ex-treinador da Real Sociedad; e fará em Marselha, onde está previsto que sigam os passos de Marcelo Bielsa durante três dias. Em cada ocasião, o treinador anfitrião oferece uma conversa e entrega sua equipe reserva durante um ou vários treinos para que apliquem seus conselhos. Lacombe espera poder realizar um dos últimos seminários em Munique, a casa de Guardiola. A formação termina em maio de 2015 e, segundo Lacombe, Zidane tem “boas chances” de obter o diploma.

O castigo, de três meses de suspensão, continua perturbando a cabeça do técnico

A dúvida permanece agora sobre a capacidade de Zidane de enfrentar a punição que segue perturbando sua cabeça. O Tribunal Arbitral do Esporte, subordinado ao Conselho Superior do Esporte, suspendeu no mês passado de forma cautelar a punição imposta pela Federação Espanhola, enquanto as partes acusadas (Zidane, o Real Madrid, como empregador, e a Federação Francesa) apresentam ao organismo disciplinar a documentação que comprova sua formação na França. Mas a ameaça continua existindo. Zidane só pode continuar trabalhando no banco do Castilla graças a esta decisão provisória.

“Não está desanimado porque luta contra essa possível sanção com suas armas, mas se for suspenso, Zinédine poderia ficar muito afetado diante de tanta perseguição. Ele acredita que é uma sanção injusta, e eu também penso assim, além de ser injustificável”, afirma Lacombe.

A polêmica, que colocou Zidane em apuros, nasceu das mãos de Miguel Galán, diretor do Cenafe, um centro particular para formação de treinadores. No fim de agosto, Galán denunciou Zidane e seu auxiliar, Santiago Sánchez, por ceder seu certificado ao francês. O juiz da Federação Espanhola deu razão a ele ao castigar o comandante do Castilla, o que gerou satisfação no denunciante (“a infração ficou comprovada, Zidane está pagando o preço”, disse), ira em Florentino Pérez, que colocou todos os seus juristas no caso, e indignação na opinião pública francesa. O L’Equipe escreveu em sua manchete “Deixem ele trabalhar” e dedicou uma página dupla a Zidane.

Zidane pode dirigir o Real Madrid na Champions, mas não na Segunda B

François Blaquart

François Blaquart, diretor técnico nacional da Federação Francesa, passou a investigar os textos federativos da Espanha para compreender o que Zidane está enfrentando. Acabou por entender que a normativa obriga um treinador que deseja trabalhar em uma equipe que disputa uma competição em solo espanhol a ter o Nível 3, o que não acontece na França desde o ano passado e em outras federações filiadas à UEFA, em que um técnico com o Nível 2, o que representa continuar em formação, pode trabalhar no banco de reservas.

"Se aplicarmos rigorosamente a normativa europeia", observa Blaquart, "Zidane, com seus diplomas atuais, está habilitado a dirigir o Real Madrid na Liga dos Campeões, mas não o Castilla na Segunda B [o treinador de uma equipe absoluta deve ser titular do diploma UEFA Pro ou estar em formação, diz o texto da lei]. É o paradoxo do sistema. Cada federação é soberana, mas esse bloqueio precisa de maior fluidez, um estudo aprofundado".

"Assim Remi Garde dirigiu o Olympique de Lyon na Liga Europa nas duas últimas temporadas", afirma Lacombe. "Zidane é vítima de suas boas intenções", diz Blaquart. “Podia ter usado sua fama para treinar um grande clube, mas Zinédine decidiu se colocar nu na academia do Real Madrid. É uma coisa muito bonita que o honra”, acrescenta Lacombe. “Zinédine tem vontade de transmitir sua experiência, sua visão de jogo. É uma sorte inestimável para o futebol ter um grande campeão como ele”, conclui.

Zidane estreia com Zidane

Enzo Zidane, filho mais velho do ídolo do Real Madrid Zinédine Zidane, estreou neste domingo como jogador do Real Madrid Castilla sob comando de seu pai, técnico da filial do gigante espanhol. Enzo, de 19 anos, é jogador do Real Madrid C e foi convocado no sábado para se incorporar à equipe que disputa a Segunda B. O filho de Zidane, que joga de meio-campista, estreou na vitória do Real Madrid Castilla sobre o Conquense (2 x 1), penúltimo da tabela de classificação. Entrou em campo aos 42 minutos do segundo tempo, substituindo Burgui, autor do último gol do time.

O Castilla dominou a partida desde o começo, e Álvaro Jiménez marcou o primeiro gol da equipe aos seis minutos. Dez minutos depois, os visitantes igualaram o placar com um gol de Óscar. O Conquense conseguiu segurar o empate até os 20 minutos da etapa final, quando Burgui fez o segundo do Castilla. O time reserva do Real Madrid teve um começo de temporada ruim na Segunda B, chegando a ficar em último na sexta rodada. Desde então, começou uma recuperação excepcional, somando 17 pontos nos últimos 21 disputados. Após esta 13ª rodada, a equipe de Zidane está em nono na classificação, com 20 pontos, a apenas três do primeiro colocado na tabela, liderada pelo Huesca.