Seleccione Edição
Login

O Banco Santander e a Telefônica lançam no Brasil um site de cursos gratuitos

Mais de 700.000 pessoas se inscrevem no programa piloto do MiríadaX, em espanhol e português

Emilo Botín e César Alierta, no Rio de Janeiro
Emilo Botín e César Alierta, no Rio de Janeiro EFE

O Banco Santander e a Telefônica pensam que se um país não adapta a formação às novas tecnologias estará fora do mercado a médio e longo prazo. Por isso, neste domingo, no Rio de Janeiro, seus presidentes, Emilio Botín e César Alierta, lançaram o portal Miríada X que pretende ser um grande catalisador para democratizar o acesso à formação, oferecendo cursos gratuitos em massa e pela Internet (Moocs na sigla em inglês).

Já se trata da plataforma virtual mais importante em espanhol e português, pois durante o ano e meio que durou seu programa piloto —primeiro com universidades espanholas e depois também latino-americanas—, mais de 700.000 pessoas se inscreveram em seus 153 cursos, ministrados por 990 professores de 33 campus. O gasto foi até o momento equivalente a 11,9 milhões de reais e aumentará de acordo com a demanda.

O banco exerce o patrocínio através de Universia e a Telefônica oferece soluções tecnológicas

O banco oferece patrocínio através de seu espaço global de educação superior Universia e a Telefônica oferece soluções tecnológicas. Alierta afirmou que se em 2025 a demanda por formação universitária aumentar em 80 milhões de pessoas, segundo cálculos da Unesco, “a única solução viável tem que estar associada à educação digital”. E, mais ainda, agora “que a formação continua nas empresas até os 70 anos”.

Botín, por sua parte, chamou de “autêntica revolução” os cursos gratuitos online, e os comparou com o marco histórico da imprensa “que pela primeira vez deu acesso a muitas pessoas a formação e informação. O banqueiro organizou pela terceira vez, agora no Rio de Janeiro, um grande encontro de reitores (1.100) durante dois dias para conversar sobre o futuro da educação.

O Santander se justifica, após alertar clientes sobre reeleição

O presidente mundial do Santander, Emilio Botín, tentou neste domingo sair da saia justa criada por um informe enviado a alguns clientes no qual sugere que a melhora da presidenta Dilma Rousseff nas pesquisas poderia piorar o câmbio e as bolsas.

Botín disse neste domingo, no Rio, que a carta mandada aos clientes brasileiros não foi feita pelo banco, e sim por um analista "que enviou o informe sem consultar quem deveria consultar".

Conforme o site de notícias G1, após a declaração de Botín, um executivo  do banco informou que todos os responsáveis serão demitidos após uma investigação interna.

No programa piloto, 21,6% dos alunos inscritos terminaram o curso, com durações de entre quatro e oito semanas. “Não é um número baixo se comparado com os resultados de plataformas universitárias, que rondam 10-15%”, destacou Jaume Pagés, diretor da Universia.

No futuro a ideia é abrir os cursos também em inglês. “A conectividade está indo à frente da educação”, afirma Alierta, que cita como exemplo a América Latina, onde há 130% de celulares. “Há mais telefones do que pessoas no mundo”. O público potencial do MiríadaX é de 600 milhões de pessoas e Manuel López, presidente dos reitores espanhóis, tem claro que esta aventura cibernética não poderia ter sucesso de forma individualizada.