COPA DO MUNDO

Valcke diz que Suárez deveria ‘buscar um tratamento’

O secretário geral da FIFA aplaude a exemplar punição ao atacante uruguaio, que mordeu um zagueiro italiano durante jogo da Copa

Luis Suárez e sua mulher, em sua casa.VÍDEO E FOTO: REUTERS (reuters_live)

O secretário geral da FIFA, Jerome Valcke, aplaudiu nesta manhã a dura sanção imposta pela entidade máxima do futebol ao atacante uruguaio Luis Suárez, e chamou a mordida no zagueiro italiano Chiellini de uma “conduta inaceitável, muito distante do ‘fair play’ que deve marcar a Copa do Mundo quando os olhos de todo o planeta estão voltados para ela”.

Mais informações

Valcke, que repetiu varias que as decisões do Comitê Disciplinar não deveriam ser comentadas, voltou a falar sobre o assunto quando foi questionado pelos jornalistas no estádio do Maracanã e afirmou “a título pessoal”, que o camisa 9 uruguaio, eleito o melhor jogador do Campeonato Inglês nesta temporada por seus colegas de trabalho, “deveria buscar algum tratamento, porque algo claramente está errado”. “Não é a primeira vez que isso acontece”, continuou o número dois da FIFA para justificar a suspensão por nove partidas internacionais e quatro meses de afastamento forçado do futebol; “é acontece uma vez, é um acidente; se são três, é grave e merece uma pena exemplar. […] Morder não é algo que se faz na vida, havia milhões de pessoas e crianças vendo pela TV. Não é essa a imagem que queremos passar”.

A impiedosa punição a Suárez contrasta com a inatividade mostrada pela FIFA no que diz respeito a outras jogadas violentas que aconteceram nesta Copa, como a flagrante cotovelada do zagueiro francês Sakho no meio-campista equatoriano Osvaldo Minda em jogo disputado no Maracanã na quarta-feira passada. “Isso é parte do jogo?”, perguntou a Valcke um jornalista inglês. “O Comitê Disciplinar não viu motivos para abrir um expediente”, respondeu rapidamente o secretário geral da Fifa.

Giorgio Chiellini, o zagueiro mordido no ombro por Suárez aos 34 minutos do segundo tempo do Uruguai x Itália, após vários desentendimentos entre ambos, disse nesta manhã que a punição foi “excessiva” e que “espera sinceramente que lhe permitam [Suárez] ficar pelo menos próximo de sua equipe durante os jogos, porque uma proibição assim é alienante”. O ex-craque argentino Diego Maradona foi ainda mais contundente e disse que a punição foi “uma vergonha”. “Quem eles acham que são?”, perguntou Maradona aos dirigentes da FIFA em seu programa “De Zurda” (De canhota, em português), diariamente veiculado pela emissora venezuelana Telesur, desde o Rio de Janeiro. “Quem ele matou? Isso é futebol, é esporte de contato…”, continuou Maradona. “Por que não mandam ele para Guantânamo?”.

A punição ao camisa 9 da Celeste provocou uma forte indignação em seu país. O presidente José Mujica, que também criticou duramente a decisão, foi pessoalmente ontem ao aeroporto receber Suárez para mostrar apoio ao jogador, ainda que tenha ido embora devido ao atraso do voo que transportava o atacante desde o Brasil. Nesta tarde, espera-se que o treinador uruguaio Óscar Tabarez se pronuncie.