Copa do Mundo 2014 | SELEÇÃO DO URUGUAI

A mordida vai a julgamento

A FIFA abre processo disciplinar contra Luis Suárez, que mordeu Chiellini e tem até as 17h de hoje para apresentar argumentos e tentar evitar uma sanção

Suárez e Chiellini, depois da mordida.VÍDEO: ATLAS // FOTO: T. GENTILE (REUTERS)

Perde sua disposição, seu instinto, aquilo que o distingue na área rival para preparar a perna e inventar um arremate qualquer, aquilo que faz dele um dos melhores atacantes do mundo. Para Luis Suárez (Salto, Uruguai, 1987), pelo menos enquanto estiver em campo, fazem sentido as palavras de Bill Shankly, lendário técnico do Liverpool, que instaurou o Boot Room – cubículo onde se transpirava linimento e álcool, uma vez que ali se decidiam táticas e treinos – e que deixou uma frase para a posteridade: "O futebol não é uma questão de vida e morte, é muito mais do que isso".

Excessivo por definição e instalado nos limites da violência por gosto, Suárez, atacante do Liverpool e do Uruguai, fez jus ao apelido de Canibal que ganhou na Holanda e continuou na Inglaterra, agora em destaque na Copa do Mundo no Brasil. Outra dentada; outra punição, uma vez que a FIFA abriu um processo disciplinar por morder o zagueiro italiano Chiellini. Enquanto não sai a resolução da organização, aguarda-se a alegação do uruguaio, que tem até às 17 horas desta quarta-feira para justificar o injustificável.

Para Luis Suárez não há tons de cinza nem meio termo, sempre passional até o fim. Não admira que tenha deixado seu país por amor com destino à Holanda – viajou a Groningen para ficar perto de sua namorada Sofía, agora esposa e mãe de seus filhos, que vivia em Barcelona. Os gols o catapultaram para o Ajax (não sem antes uma confusão burocrática) e a distintiva garra charrua também lhe rendeu o primeiro deslize. Foi num clássico contra o PSV, por um desentendimento com Otman Bakkal, meteu-lhe uma mordida no ombro. "Me arrependo muito, foi o instinto do momento", disse ele sobre a agressão. Castigada sua consciência, a Eredivisie também o puniu com sete jogos.

Mas o calor do momento, a adrenalina e o amor pela bola vencem o jogador reincidente. Na Inglaterra, e já com a camisa do Liverpool, Suárez repetiu a agressão numa partida contra o Chelsea, com Ivanovic como vítima. "Estava com fome?" perguntou em sua conta no Twitter o meio-campista do Manchester United, Rio Ferdinand, depois de ver a mordida no bíceps do zagueiro adversário. Uma crítica em meio à cascata de indignação que se viu na Inglaterra, certamente satisfeita após as 10 partidas de sanção.

O instinto de Luis Suárez, em qualquer caso, nem sempre é nocivo, uma vez que na última Copa do Mundo, nas quartas de final contra Gana, usou a mão dentro da área para evitar um gol contra e, assim, classificar o Uruguai para a semifinal depois de vencer a partida nos pênaltis. "Eu coloquei a mão porque era gol certo e nada é mais importante que lutar pelo Uruguai", disse então o futebolista expulso de campo e ausente na semifinal. Agora, em vez da mão, usou os dentes e a FIFA parece disposta a puni-lo. "Abriu-se um processo por uma aparente violação dos artigos 48 e 57 do Código Disciplinar", diz o comunicado da organização internacional; "o jogador e a federação uruguaia são convidados a argumentar sua posição e entregar toda prova documental que considerarem relevante."

O primeiro a falar foi o técnico Óscar Washington Tabárez: "Eu gostaria de ver as fotos novamente, porque não vi ação. Eu não sei o que aconteceu. O árbitro não viu nada. Não vou comentar mais. Criou-se há muito tempo uma atmosfera sobre o jogador. Já foi punido e prometeu passar outra imagem". Mas não passou essa imagem para Chiellini, embora o próprio jogador tenha tentado minimizar o problema. "São coisas do jogo, que acontecem em campo e nada mais. Somos todos jogadores de futebol e não devemos dar importância a isso", brandiu o pistoleiro, apelido que lhe deram por comemorar seus gols simulando tiros para o alto. "Vi uma briga, nada mais. Coisas do futebol e é preciso falar de futebol", declarou Godin, herói da partida, goleador contra a Itália. Chiellini também se posicionou em declarações ao Sky Sport: "A FIFA protege Luis Suárez; é um trapaceiro e sempre se safa porque a FIFA quer que os melhores jogadores estejam na Copa. Quero ver se têm a coragem de fazer o que deve ser feito baseando-se no vídeo".

Enquanto não sai a resolução, os memes - imagens e mensagens satíricas nas redes sociais -- sobre Suárez são inesgotáveis, com imagens retocadas de Hannibal Lecter por toda parte. Mas a imprensa toma as rédeas. " Suárez volta a morder", diz o L'Equipe. "Tubarão III", diz o Daily Express. "Dente por dente?", pergunta o Olé. "Pior do que Tyson," declara a La Gazzetta dello Sport. "Possui uma mente perigosa que não pode ser reconectada", diz o Daily Mail. "Escreve seu nome na infâmia da Copa do Mundo", sentencia o The Guardian. Agora, a palavra é da FIFA.

Arquivado Em: