Seleccione Edição
Login
Copa do Mundo 2014

Enner Valencia dá asas ao Equador

O time de Reinaldo Rueda vira com dois gols do atacante do Pachuca

A vitória mantém os equatorianos com chances de classificação para a próxima fase

Enner Valencia celebra seu segundo gol. Ampliar foto
Enner Valencia celebra seu segundo gol. REUTERS

Os dois gols de Enner Valencia deram à seleção equatoriana sua primeira vitória nesta Copa. Com grande esforço, o time do Equador conseguiu desmontar a estrutura defensiva da seleção hondurenha. Os dois gols do atacante do Pachuca permitiram que o time de Reinaldo Rueda chegue ainda com chances de classificação ao último jogo da primeira fase, contra a França. Uma falta lateral batida por Walter Ayoví serviu para que Enner Valencia cabeceasse a bola em direção à  segunda trave, marcando seu segundo e decisivo gol do confronto, que representou a virada numa partida que estava muito complicada para o Equador. O atacante equatoriano, de 24 anos, já tem três gols nesta Copa – é o único goleador da sua seleção. Valencia marcou nas seis partidas que disputou pelo Equador até hoje.

HONDURAS 1 X EQUADOR 2

Honduras: Valladares; Beckeles, Bernárdez, Figueroa, Izaguirre (Juan Carlos García, min. 46) ; Boniek García (Chávez, min. 84), Garrido (Mario Martínez, min. 71), Claros, Espinoza; Bengtson e Costly.

Equador: Domínguez; Paredes, Guagua, Erazo, Ayoví; Antonio Valencia, Noboa, Minda (Gruezo, min. 84), Montero (Achilier, min. 91); Caicedo (Méndez, min. 82) e Enner Valencia.

Gols: 0 x 1, min. 31, Costly; 1 x 1, min. 34, Enner Valencia; 2 x 1, min. 65, Enner Valencia.

Árbitro: Benjamin Williams (Austrália). Advertiu Victor Bernárdez, Figueroa, Antonio Valencia, Jefferson Montero e Enner Valencia.

40.000 espectadores no Arena da Baixada.

As falhas defensivas marcaram o primeiro tempo. Um erro na defesa do Equador levou ao primeiro gol do jogo. O atacante hondurenho Carlos Costly partiu em velocidade e, com um chute potente, não perdoou diante de Domínguez. O atacante, de 31 anos, conseguiu romper a maldição dos hondurenhos. A equipe centro-americana ficou a 5 minutos de bater seu recorde de mais tempo sem marcar em Copas. Honduras havia passado em branco nas suas cinco últimas partidas em Mundiais e continua sem comemorar nenhuma vitória em sua trajetória no torneio. O último gol de Honduras havia sido na Copa da Espanha, em 1982, contra a Irlanda do Norte. Ainda assim, continuam sem ter nenhuma vitória em sua trajetória em mundiais.

Mas a alegria dos hondurenhos durou muito pouco. O empate dos equatorianos não demorou. Um chute cruzado de Paredes bateu em um zagueiro, que se distrai e deixa o rebote para Valencia, que se esticou e empurrou para dentro. Um gol decisivo no desenrolar do confronto. E, ao final da primeira etapa, veio o gol anulado de Honduras. A cabeçada de Costly na trave acabou sendo mandada para o gol por Bengtson. O árbitro australiano Benjamin Williams anulou o gol ao Bengtson por ter visto toque de mão. O domínio territorial foi do Equador, e as saídas em contra-ataque, de Honduras. Os hondurenhos se encontravam mais cômodos atrás. Os equatorianos quase não ameaçavam.

O atacante equatoriano marcou os três gols de sua seleção no Mundial

O segundo tempo começou com uma grande chance hondurenha. O goleiro equatoriano realizou uma ponte incrível depois de um chute de Beckeles que ia no ângulo. Então Honduras deu um pouco de pausa no jogo, diante de um Equador que começava a sentir o peso da obrigação de vencer. Os equatorianos tinham dificuldades em conectar seus atacantes. E, assim, os equatorianos reclamaram um possível pênalti sobre Caicedo. O atacante entrou na área evitando perder o equilíbrio, mas caiu ao chão após se chocar com um jogador hondurenho.

O segundo gol de Valencia se tornou decisivo. A partir daí, o domínio foi esmagador por parte do Equador. O placar poderia ser mais volumoso. O Equador teve um gol anulado por causa de uma falta de Antonio Valencia no início da jogada. Os hondurenhos, esgotados pelo esforço do primeiro tempo, conseguiram apenas alguns lançamentos à distância, e olhe lá. Foram um rival digno, mas praticamente já não têm mais chances de classificação. Com esta trabalhada vitória, os equatorianos se refazem da derrota contra a Suíça na primeira rodada, por 2 x 1. E jogarão a classificação para as oitavas contra a todo-poderosa França, que goleou a Suíça por 5 x 2, com um Benzema estelar.

MAIS INFORMAÇÕES