Seleccione Edição
Login

Os tesouros arqueológicos escondidos

Pouco visitado, Parque Nacional da Serra da Capivara possui mais de 700 pinturas rupestres catalogadas, com imagens de dança, sexo e animais

  • Pedra furada, símbolo do Parque Nacional da Serra da Capivara, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.
    1Pedra furada, símbolo do Parque Nacional da Serra da Capivara, declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.
  • Vista do Parque Nacional da Serra da Capivara, no interior do Estado do Piauí.
    2Vista do Parque Nacional da Serra da Capivara, no interior do Estado do Piauí.
  • Figuras em ocre mostram o que seriam dois homens com pênis ereto (acima à direita). A imagem dos dois veados (ao centro), tornou-se o símbolo do Parque Nacional: feitas com duas técnicas diferentes, os pesquisadores acreditam que tenham sido desenhadas por dois grupos distintos que viveram na região.
    3Figuras em ocre mostram o que seriam dois homens com pênis ereto (acima à direita). A imagem dos dois veados (ao centro), tornou-se o símbolo do Parque Nacional: feitas com duas técnicas diferentes, os pesquisadores acreditam que tenham sido desenhadas por dois grupos distintos que viveram na região.
  • Figuras rupestres descobertas no Parque Nacional da Serra da Capivara. Na imagens, é possível ver animais da megafauna, como uma possível Macrauchenia (acima ao centro), uma espécie de parente das Lhamas.
    4Figuras rupestres descobertas no Parque Nacional da Serra da Capivara. Na imagens, é possível ver animais da megafauna, como uma possível Macrauchenia (acima ao centro), uma espécie de parente das Lhamas.
  • Figura de animal no Parque Nacional da Serra da Capivara.
    5Figura de animal no Parque Nacional da Serra da Capivara.
  • Figura conhecida como o "beijo", uma emblemática pintura do parque.
    6Figura conhecida como o "beijo", uma emblemática pintura do parque.
  • Figuras antropomorfas que podem representar uma dança.
    7Figuras antropomorfas que podem representar uma dança.
  • Animal representado em uma das paredes do parque.
    8Animal representado em uma das paredes do parque.
  • Ponte feita para que os turistas possam ver as figuras desenhadas nas paredes do parque.
    9Ponte feita para que os turistas possam ver as figuras desenhadas nas paredes do parque.
  • Pesquisadora da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM) trabalha em artefato lítico descoberto durante escavações.
    10Pesquisadora da Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM) trabalha em artefato lítico descoberto durante escavações.
  • Possíveis artefatos líticos que estão sendo pesquisados pela Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM).
    11Possíveis artefatos líticos que estão sendo pesquisados pela Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM).
  • Crânio exposto no Museu do Homem Americano, próximo ao parque. No local, estão expostos os achados mais importantes dos sítios arqueológicos, como um colar usado como adorno para fins cerimoniais usado entre 8.921 e 8.804 anos atrás.
    12Crânio exposto no Museu do Homem Americano, próximo ao parque. No local, estão expostos os achados mais importantes dos sítios arqueológicos, como um colar usado como adorno para fins cerimoniais usado entre 8.921 e 8.804 anos atrás.
  • Esqueleto de uma criança dentro de uma urna funerária encontrado nos sítios arqueológicos do parque e exposto no museu. Em um dos locais, a Toca da Baixa dos Caboclos, foram encontrados nove sepultamentos, sendo seis de crianças, de aproximadamente 360 anos atrás. A grande incidência de crianças mortas pode ser explicada, segundo os pesquisadores, pela incidência de doenças trazidas pelos brancos após a Colonização.
    13Esqueleto de uma criança dentro de uma urna funerária encontrado nos sítios arqueológicos do parque e exposto no museu. Em um dos locais, a Toca da Baixa dos Caboclos, foram encontrados nove sepultamentos, sendo seis de crianças, de aproximadamente 360 anos atrás. A grande incidência de crianças mortas pode ser explicada, segundo os pesquisadores, pela incidência de doenças trazidas pelos brancos após a Colonização.
  • A professora Niède Guidon, 81 anos, que descobriu na década de 70 as pinturas rupestres hoje protegidas pelo Parque Nacional da Serra da Capivara.
    14A professora Niède Guidon, 81 anos, que descobriu na década de 70 as pinturas rupestres hoje protegidas pelo Parque Nacional da Serra da Capivara.
  • Estrutura de lazer vazia no parque. Sem incentivo ao turismo, o local recebeu apenas 19.998 pessoas no ano passado, a maioria em grupos organizados por escolas da região.
    15Estrutura de lazer vazia no parque. Sem incentivo ao turismo, o local recebeu apenas 19.998 pessoas no ano passado, a maioria em grupos organizados por escolas da região.
  • Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, que além das pinturas rupestres é um importante espaço de preservação ambiental, devido a presença de espécies como a sussuarana, tamanduá-mirim e o sagui, entre outros.
    16Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí, que além das pinturas rupestres é um importante espaço de preservação ambiental, devido a presença de espécies como a sussuarana, tamanduá-mirim e o sagui, entre outros.
  • Para fomentar a economia da região e dar empregos para as famílias do entorno do parque, a Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM) ajudou a criar uma fábrica de cerâmicas. As peças coloridas são estampadas com as figuras encontradas nos sítios arqueológicosdo parque. Na foto, as formas usadas para fazer as peças.
    17Para fomentar a economia da região e dar empregos para as famílias do entorno do parque, a Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM) ajudou a criar uma fábrica de cerâmicas. As peças coloridas são estampadas com as figuras encontradas nos sítios arqueológicosdo parque. Na foto, as formas usadas para fazer as peças.
  • Um dos funcionários da fábrica de cerâmica trabalha em uma das peças.
    18Um dos funcionários da fábrica de cerâmica trabalha em uma das peças.
  • Funcionário da fábrica pinta uma peça com uma das figuras do parque. Hoje, as cerâmicas são vendidas para grandes redes como Tok&Stok e Grupo Pão de Açúcar.
    19Funcionário da fábrica pinta uma peça com uma das figuras do parque. Hoje, as cerâmicas são vendidas para grandes redes como Tok&Stok e Grupo Pão de Açúcar.