Bob Hoskins, que estrelou "Uma Cilada para Roger Rabbit", morre aos 71 anos

O intérprete, conhecido por seus papéis de gângsteres e indicado a um Oscar, brilhou também na comédia e no gênero de aventuras

REUTERS LIVE (reuters_live)

O ator Bob Hoskins (condado de Suffolk, sudeste de Inglaterra, 1942) morreu aos 71 anos de uma pneumonia, segundo informou seu agente. O britânico, conhecido por seus papéis de gângsteres, também foi muito popular ao dar vida ao detetive Eddie Valiant no clássico de animação Uma cilada para Roger Rabbit, de 1988. "Estamos desolados pela perda de nosso querido Bob", manifestaram em um comunicado sua mulher, Linda, e seus filhos, Alex, Sarah, Rosa y Jack.

Hoskins começou sua carreira, —que se estendeu por trinta anos—, nos anos 1970 no teatro e na televisão, e começou a despontar no cinema com sua encarnação do gângster Harold Shand junto de Helen Mirren em The Long Good Friday (1980) e em Mona Lisa (1986), um papel que lhe valeu a nomeação ao Oscar como melhor ator. Também brilhou na comédia ou no gênero de aventuras com Super Mario Bros (1993) ou Hook (1991), em que trabalhou às ordens de Steven Spielberg. Outros dos títulos ao longo de sua carreira são Cotton Club (1984), Sirenas (1990), Nixon (1995) ou Atrás das linhas inimigas (2001), em uma combinação de grandes produções de Hollywood com projetos independentes.

O ator, filho de um caminhoneiro com uma cozinheira que também foi professora de creche, deixou a escola quando tinha 15 anos, mas já com uma forte paixão pela literatura e pela língua que seu professor de inglês tinha insuflado nele. Sua intenção era conseguir um espaço sobre os palcos dos teatros, mas durante um longo tempo teve que ganhar a vida em diversos trabalhos. Finalmente, sua primeira incursão como ator respondeu a uma casualidade, segundo relatava: acompanhava um amigo em um casting, e se viu repentinamente lendo os papéis estimulado por um dos produtores. Ficou com o papel.

Entre os prêmios que obteve em sua carreira destaca o Globo de Ouro de Melhor Ator e o Prêmio BAFTA na mesma categoria, ambos reconhecimentos por seu papel no filme Mona Lisa. Recebeu assim mesmo o reconhecimento a toda sua trajetória no Festival de San Sebastian de 2002, ao receber o Prêmio Donostia. Em agosto de 2012 Hoskins anunciou sua aposentadoria da atuação e revelou que sofria da doença de Parkinson.