_
_
_
_

O euro fecha 2013 como a moeda de referência mais forte

O dólar recua 4%, o real cai 16,6% e o iene despenca 21% ante a divisa única europeia

Amanda Mars

Ao longo da chamada crise do euro, a que nunca pareceu estar sofrendo o problema é a própria moeda única: a divisa se manteve forte ante o dólar e em 2013 ainda ficou como a moeda mais robusta entre as grandes. Todas, salvo a coroa dinamarquesa, que praticamente empatou (avanço irrisório de 0,01%), têm perdido valor frente ao euro.

Em tempos de luta pela recuperação, trata-se de uma conquista de duvidosa fortuna, já que encarece e penaliza as exportações aos países fora da zona do euro. O dólar norte-americano caiu 4% em relação à divisa europeia, enquanto o iene japonês sofreu a maior perda, despencando 21%, só superado pelo rand sul-africano, que encolheu 22,5% frente ao euro.

Esta queda se deve a planos de expansão monetária sem precedentes que foram lançados pelo Banco do Japão (central) a fim de lutar contra a deflação. As medidas, que buscam duplicar o balanço do banco em 2014, puniram a cotação da moeda e conseguiram fazer com que os preços subissem no país para 1,2% em novembro, o nível mais alto em cinco anos.

O franco suíço também retrocedeu ante o euro (1,6%), assim como a libra esterlina (2,2%), a coroa norueguesa (12%) ou o real brasileiro (16,6%). O peso mexicano também recuou (5,35%).

O Banco Central Europeu (BCE), mais precavido quanto a estímulos do que o japonês e o Federal Reserve (banco central dos EUA), manteve o euro forte.

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo

¿Quieres añadir otro usuario a tu suscripción?

Si continúas leyendo en este dispositivo, no se podrá leer en el otro.

¿Por qué estás viendo esto?

Flecha

Tu suscripción se está usando en otro dispositivo y solo puedes acceder a EL PAÍS desde un dispositivo a la vez.

Si quieres compartir tu cuenta, cambia tu suscripción a la modalidad Premium, así podrás añadir otro usuario. Cada uno accederá con su propia cuenta de email, lo que os permitirá personalizar vuestra experiencia en EL PAÍS.

En el caso de no saber quién está usando tu cuenta, te recomendamos cambiar tu contraseña aquí.

Si decides continuar compartiendo tu cuenta, este mensaje se mostrará en tu dispositivo y en el de la otra persona que está usando tu cuenta de forma indefinida, afectando a tu experiencia de lectura. Puedes consultar aquí los términos y condiciones de la suscripción digital.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_