Seleccione Edição
Login

Apple promete surpresas para 2014

Tim Cook, conselheiro delegado, enviou uma carta aos trabalhadores com os planos

Tim Cook, conselheiro delegado da Apple.
Tim Cook, conselheiro delegado da Apple. Bloomberg

"Nestas festas, mais de 10 milhões de pessoas, de todas as partes do mundo, vão ter um produto da Apple pela primeira vez. Todos esses momentos cheios de magia e ilusão são possíveis graças a vocês", assim começa a carta de Tim Cook, conselheiro delegado de Apple a seus empregados. No texto, ele enfatiza alguns dos ganhos deste ano: montar os computadores nos Estados Unidos, oferecer gratuitamente o sistema operacional OS X Mavericks, lançar o iOS 7 e pôr no mercado o iPad Air e o modelo Mini com tela de alta definição. O executivo enfatizou ainda a meta conseguida pela AppStore, de mais de 50 bilhões de downloads. Embora não se trata de benefícios conquistados só em 2013, mas de uma soma do que aconteceu nos últimos cinco, desde sua estreia.

O mais importante da carta, no entanto, não é o passado, mas a tentativa de motivação de seus trabalhadores em 2014: "Temos muitas expectativas, isto inclui grandes planos que vão encantar nossos clientes". O que se espera é tanto um iPad como um iPhone com tela de maior tamanho.

2013 foi um bom ano no econômico para a empresa. Também pensando nos planos de futuro, por fim a Apple conseguiu a aprovação para a construção de sua nova sede. A primeira das metas se tornará uma realidade em 17 de janeiro, quando Apple começará a vender seus celulares com a principal operadora de telefonia de China, que conta com 763 milhões de assinantes.

Cook, que se considera "a pessoa mais afortunada do mundo por trabalhar com todos vocês [funcionários] nesta impressionante empresa", tem que enfrentar alguns desafios, como a previsibilidade de suas apresentações.

Durante o ano de 2013 faltou algo de magia. O sucessor de Steve Jobs já prometeu no último outono uma primavera carregada de surpresas. Esperava-se que elas seriam algum tipo de aparelho novo, uma nova categoria de produto, como já fizeram com iPhone, iPod e iPad. No entanto, os consumidores tiveram que se conformar com o muito brilhante, melhorado e ligeiro iPad Air ou com um iPhone 5S com melhor processador, câmera e bateria.

Todas esperanças estavam colocadas em um relógio de pulso ou algum tipo de dispositivo para vestir. A contratação de uma diretora da Burberry apontava nesta direção. A televisão segue sendo outra das matérias pendentes. Seria lógico que Apple TV, seu complemento com um menor preço, se renovasse com reconhecimento de voz e movimento, algo que já fazem as consoles Xbox One y PlayStation 4.

Jobs, fundador e alma de Apple, tem sido acusado por suas escassas ou desconhecidas contribuições filantrópicas. Resulta lógico o destaque às "centenas de milhões de dólares" entregues a Cruz Vermelha para mitigar a catástrofe das Filipinas ou ao fato de que a Apple segue sendo a que mais contribui para um fundo criado por várias empresas para lutar contra o HIV.

MAIS INFORMAÇÕES