‘L’Homme au Gibus’, de Pablo Picasso, comprado por 320 reais

Um jovem norte-americano de 25 anos ganha em uma rifa beneficente de Sotheby's um quadro do pintor avaliado em 2,3 milhões de reais

'L’Homme au Gibus', de Pablo Ruiz Picasso
'L’Homme au Gibus', de Pablo Ruiz Picasso

Jeffrey Gonano, um jovem norte-americano de 25 anos fã de arte, adquiriu nesta quarta-feira por 140 dólares (320 reais) um quadro do pintor Pablo Ruiz Picasso avaliado no mercado em 2,3 milhões de reais. E o fez de uma forma muito peculiar. Em setembro uma rifa benéfica começou a ser feita pela  internet e tinha como prêmio o L'Homme au Gibus, aguada que o artista pintou em 1914.

Assim, o bilhete premiado, de número 747815, foi sorteado por um sistema de computador nesta quarta-feira com a supervisão da Sotheby's e era um dos 50.000 que foram vendidos on-line a 325 reais cada um (ao todo foram arrecadados 16,3 milhões de reais) com o objetivo de reunir fundos para a Associação Internacional para Salvar Tiro (IAST em suas sigla em inglês), dedicada à preservação da cidade de Tiro, no sul do Líbano, patrimônio mundial da Unesco desde 1984. É a primeira vez que um projeto desta natureza é realizado.

Gonano explicou que estava buscando um quadro para pendurar em uma parede de sua casa, quando leu uma notícia que dizia que L'Homme au Gibus seria sorteado na Sotheby's. "Estava buscando arte e pensei que o quadro poderia servir", explicou à Reuters por telefone Gonano, que é gerente de projetos de uma firma de extintores contra incêndios. Apesar do enorme valor de sua nova aquisição, Gonano prometeu não vender a obra, ao menos por enquanto.

Os organizadores da rifa afirmaram que participaram compradores da França, da Alemanha e até do Irã e do Quirguistão, além de um número particularmente grande de norte-americanos.

O pequeno quadro mede 30,5 x 24 centímetros e leva a assinatura de Picasso em seu canto superior direito; pertence à fase cubista do pintor, e foi comprado pela IAST de uma galeria de arte de Nova York com a ajuda de um importante crédito bancário. Os organizadores dizem que pagaram pela obra pouco menos da estimativa de 2,3 milhões de reais feita por especialistas da Sotheby's.

A apresentadora de televisão franco-libanesa Péri Cochin foi quem teve a ideia. A mãe dela fundou em 1980 a IAST na sede da Unesco em Paris. Cochin via como esgotada a fórmula dos jantares beneficentes, e então recorreu a Olivier Picasso, neto do artista. Por que não organizar uma rifa? A venda foi autorizada pelo neto do famoso pintor espanhol, Olivier Picasso, que disse que seu avô teria ficado encantado ao saber que sua obra seria usada para um fim benéfico.

Graças aos fundos conseguidos por esta loteria do cubismo dois projetos serão iniciados em Tiro. Um deles pretende revitalizar a tradição artesã da cidade e, com isto, facilitar a independência de mulheres, jovens e deficientes físicos que trabalham com cristal, madeira ou cerâmica. O outro projeto consistirá em uma rede de e-learning entre universidades do Mediterrâneo que vai estudar a civilização fenícia.