Seleccione Edição
Login
MEMÓRIA

Morre o bicampeão da seleção Nilton Santos aos 88 anos

Ele foi eleito em 2000 pela Fifa o melhor lateral esquerdo da história. Santos atuou com a camisa canarinho nas Copas de 1950, 54, 58, e 62

O jogador brasileiro bicampeão mundial de futebol Nilton Santos.
O jogador brasileiro bicampeão mundial de futebol Nilton Santos. DIARIO AS

“Não à toa Nilton Santos era conhecido como a Enciclopédia do Futebol. Ele entendia tudo do esporte, era generoso e um amigo e jogador exemplar. Nos cinco anos que passamos juntos no Botafogo (entre 1958 e 1963), ele foi o melhor maestro, e o clube, uma grande universidade.”

Assim, Amarildo Tavares Teixeira, ex-companheiro do heróico defensor da seleção brasileira, definiu Santos, que morreu aos 88 anos na Fundação Bela Vista, no Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira, em decorrência de uma infecção pulmonar. Santos já vinha sofrendo com problemas de saúde há alguns anos.

Ele foi protagonista de uma época de ouro tanto no time carioca Botafogo quanto na seleção brasileira. Pelo Botafogo, disputou 718 partidas, até hoje o recorde no clube, em sua passagem de 1948 a 1964, e dividiu o gramado com outros ícones, como Garrincha, Zagallo, companheiros também na seleção, onde jogou as Copas de 1950, 54, 58 e 62. Nesses dois últimos Mundiais, foi campeão com a seleção brasileira.

O livro O Velho e a Bola, que reúne crônicas esportivas escritas pelo jornalista Maneco Muller para o extinto Última Hora, narra a participação de Santos na fatídica derrota do Brasil para o Uruguai na Copa de 1950. Santos era reserva e na época não havia substituições. "Ele sai do estádio do Maracanã e fica dando voltas ao seu redor, só ouvindo as reações. Quando o joga acaba, ele volta para confortar os colegas”, disse ao diário esportivo Lance o jornalista Rafael Casé, que fez a seleção das crônicas.

“Ele não era um jogador de marcar muitos gols, mas os poucos que marcou eram sempre muito bonitos”, disse Teixeira. E acrescentou: “Não são só os botafoguenses que estão enlutados, mas todos os brasileiros.” Em 2000, Santos recebeu da Fifa o prêmio de melhor lateral esquerdo da história.