Seleccione Edição
Login

Quatro anos do terremoto do Haiti

No dia 12 de janeiro de 2010, às 16:53 hora local, um terremoto de 7,2 graus na escala Richter, com epicentro na capital Porto Príncipe, sacudiu o Haiti. Durante mais de duas semanas dois fotógrafos do EL PAÍS trabalharam na capital haitiana documentando o desastre

  • Um homem, coberto pela bandeira haitiana, caminha pelas ruínas da catedral de Porto Príncipe (17012010).
    1Um homem, coberto pela bandeira haitiana, caminha pelas ruínas da catedral de Porto Príncipe (17/01/2010).
  • Uma criança ferida chora no hospital provisório no aeroporto de Porto Príncipe (15012010).
    2Uma criança ferida chora no hospital provisório no aeroporto de Porto Príncipe (15/01/2010).
  • Um grupo caminha ao lado das ruínas em chamas do Ministério da Justiça, poucos dias após o terremoto (16012010).
    3Um grupo caminha ao lado das ruínas em chamas do Ministério da Justiça, poucos dias após o terremoto (16/01/2010).
  • Participantes de uma equipe de resgate russa tiram a uma jovem que estava presa entre os escombros de sua casa, na rua Delmas de Porto Príncipe (16012010).
    4Participantes de uma equipe de resgate russa tiram a uma jovem que estava presa entre os escombros de sua casa, na rua Delmas de Porto Príncipe (16/01/2010).
  • Nos dias posteriores ao terremoto, os saques se espalharam na zona comercial da capital haitiana (17012010).
    5Nos dias posteriores ao terremoto, os saques se espalharam na zona comercial da capital haitiana (17/01/2010).
  • Saques a lojas e locais comerciais em Porto Príncipe (17012010).
    6Saques a lojas e locais comerciais em Porto Príncipe (17/01/2010).
  • A violência tomou os bairros comerciais. Na imagem, um homem com pistola vigia enquanto os saqueadores roubam o que conseguem levar (17012010).
    7A violência tomou os bairros comerciais. Na imagem, um homem com pistola vigia enquanto os saqueadores roubam o que conseguem levar (17/01/2010).
  • Vista de uma rua comercial de Porto Príncipe durante os dias seguintes ao terremoto (17012010).
    8Vista de uma rua comercial de Porto Príncipe durante os dias seguintes ao terremoto (17/01/2010).
  • Distribuição de comida em um bairro próximo ao aeroporto de Porto Príncipe (18012010).
    9Distribuição de comida em um bairro próximo ao aeroporto de Porto Príncipe (18/01/2010).
  • Um grupo de haitianos vítimas do terremoto faz fila para pegar água no bairro marginal de Citei du Soleil, em Porto Príncipe (22012010).
    10Um grupo de haitianos vítimas do terremoto faz fila para pegar água no bairro marginal de Citei du Soleil, em Porto Príncipe (22/01/2010).
  • Um policial reprime com golpes a desordem em uma fila de entrega de alimentos no bairro de Citei du Soleil em Porto Príncipe (26012010).
    11Um policial reprime com golpes a desordem em uma fila de entrega de alimentos no bairro de Citei du Soleil em Porto Príncipe (26/01/2010).
  • Um policial aponta a um jovem no chão durante uma jornada de distúrbios e saques na zona comercial de Porto Príncipe (18012010).
    12Um policial aponta a um jovem no chão durante uma jornada de distúrbios e saques na zona comercial de Porto Príncipe (18/01/2010).
  • Um helicóptero do Exército dos Estados Unidos aterrissa nos jardins do destruído palácio presidencial haitiano (19012010).
    13Um helicóptero do Exército dos Estados Unidos aterrissa nos jardins do destruído palácio presidencial haitiano (19/01/2010).
  • Integrantes da Cruz Vermelha holandesa tentam estabelecer a ordem entre os refugiados que vivem no acampamento de Nan Charles (19012010).
    14Integrantes da Cruz Vermelha holandesa tentam estabelecer a ordem entre os refugiados que vivem no acampamento de Nan Charles (19/01/2010).
  • Um homem protege-se com uma máscara no acampamento de refugiados de Nan Charles (19012010).
    15Um homem protege-se com uma máscara no acampamento de refugiados de Nan Charles (19/01/2010).
  • Milhares de pessoas se aglomeram nos velhos barcos oxidados no porto de Porto Príncipe, procurando refúgio ou para tentar sair da cidade (19012010).
    16Milhares de pessoas se aglomeram nos velhos barcos oxidados no porto de Porto Príncipe, procurando refúgio ou para tentar sair da cidade (19/01/2010).
  • Após o terremoto, o número de crianças órfãs incrementou-se de forma expressiva. Na imagem, seis crianças do orfanato Lhe Coeur de Marie que estavam em trâmite de adoção por pessoas de vários países europeus (22012010).
    17Após o terremoto, o número de crianças órfãs incrementou-se de forma expressiva. Na imagem, seis crianças do orfanato Lhe Coeur de Marie que estavam em trâmite de adoção por pessoas de vários países europeus (22/01/2010).
  • Uma vítima do terremoto é atendida no hospital de Frère em Porto Príncipe (20012010).
    18Uma vítima do terremoto é atendida no hospital de Frère em Porto Príncipe (20/01/2010).
  • O estado de uma rua do centro de Haiti dias após o terremoto.
    19O estado de uma rua do centro de Haiti dias após o terremoto.
  • A polícia tenta controlar um grupo de haitianos que estavam na fila de uma delegacia de Citei du Soleil (Porto Príncipe) para conseguir comida procedente da República Dominicana (26012010).
    20A polícia tenta controlar um grupo de haitianos que estavam na fila de uma delegacia de Citei du Soleil (Porto Príncipe) para conseguir comida procedente da República Dominicana (26/01/2010).
  • Após o terremoto, o fornecimento de eletricidade ficou suspenso em quase toda a capital haitiana. Caminhar pela cidade à noite não era seguro (27012010).
    21Após o terremoto, o fornecimento de eletricidade ficou suspenso em quase toda a capital haitiana. Caminhar pela cidade à noite não era seguro (27/01/2010).
  • Uma mulher estende roupa em um varal improvisado entre os escombros na localidade de Légoane, na periferia de Porto Príncipe (22012010).
    22Uma mulher estende roupa em um varal improvisado entre os escombros na localidade de Légoane, na periferia de Porto Príncipe (22/01/2010).
  • O cadáver de um homem em uma rua de Porto Príncipe após mais de uma semana do terremoto (20012010).
    23O cadáver de um homem em uma rua de Porto Príncipe após mais de uma semana do terremoto (20/01/2010).
  • As tentativas da polícia para evitar os saques e o trânsito entre as ruínas dos edifícios eram geralmente infrutíferas (19012010).
    24As tentativas da polícia para evitar os saques e o trânsito entre as ruínas dos edifícios eram geralmente infrutíferas (19/01/2010).
  • Uma criança toma banho em frente ao Palácio Presidencial do Haiti, onde milhares de vítimas viveram durante meses em um acampamento improvisado na rua (22012010).
    25Uma criança toma banho em frente ao Palácio Presidencial do Haiti, onde milhares de vítimas viveram durante meses em um acampamento improvisado na rua (22/01/2010).
  • Diante da impossibilidade de recolher e enterrar todos os cadáveres, muitos corpos foram queimados na rua para evitar o contágio e a transmissão de doenças.
    26Diante da impossibilidade de recolher e enterrar todos os cadáveres, muitos corpos foram queimados na rua para evitar o contágio e a transmissão de doenças.
  • Área monitorada pela missão brasileira no Haiti, onde moradores da capital vivem próximos a depósitos de lixo e sem saneamento.
    27Área monitorada pela missão brasileira no Haiti, onde moradores da capital vivem próximos a depósitos de lixo e sem saneamento. ABr
  • No acampamento Jean Marie Vincent, militares das tropas brasileiras da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti patrulham por causa das eleições, em novembro de 2010.
    28No acampamento Jean Marie Vincent, militares das tropas brasileiras da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti patrulham por causa das eleições, em novembro de 2010. ABr
  • O hospital psiquiátrico da previdência pública ficou abandonado após o terremoto. Na foto, Mars Andkline, um dos internados, posa na sua habitação semanas depois do terremoto (30012010).
    29O hospital psiquiátrico da previdência pública ficou abandonado após o terremoto. Na foto, Mars Andkline, um dos internados, posa na sua habitação semanas depois do terremoto (30/01/2010).
  • Um jovem caminha nu pelas ruas de Porto Príncipe várias semanas depois do terremoto (03012010). Esta fotografia foi premiada com o Prêmio Ortega e Gasset de Jornalismo Gráfico de 2011.
    30Um jovem caminha nu pelas ruas de Porto Príncipe várias semanas depois do terremoto (03/01/2010). Esta fotografia foi premiada com o Prêmio Ortega e Gasset de Jornalismo Gráfico de 2011.