Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Sete desaparecidos após colisão entre navio de guerra americano e cargueiro

A embarcação chocou-se nas proximidades da costa do Japão com um comerciante com bandeira filipina

O USS Fitzgerald, após o choque
O USS Fitzgerald, após o choque REUTERS

Sete tripulantes de um destróier do Exército americano estão desaparecidos, depois de a embarcação em que estavam viajando, o USS Fitzgerald, ter colidido com um barco de transporte de mercadorias filipino. O choque ocorreu na madrugada de sábado, a aproximadamente 100 quilômetros da cidade japonesa de Yokosuka, próxima a Tóquio, por razões ainda desconhecidas. A Guarda Costeira continua procurando os desaparecidos, enquanto três outras pessoas, entre elas o comandante do destróier, ficaram feridas e foram evacuadas.

Segundo a agência japonesa Kyodo, os três feridos foram transferidos para um hospital militar americano e estão estáveis. O incidente aconteceu aproximadamente às 02h30, horário local de sábado (14h30 de sexta-feira, em Brasília). De acordo com as imagens das emissoras de televisão do Japão, o destróier americano sofreu grande parte dos danos em seu lado estibordo. "O USS Fitzgerald foi danificado na parte de cima e de baixo da linha d'água", especificou a Frota do Pacífico, em um comunicado recolhido pela France Presse. "Continua funcionando com seu motor próprio, mas sua propulsão está limitada".

O cargueiro filipino, chamado ACX Crystal, é muito maior que o destróier americano e sofreu danos mais leves na proa. Sua tripulação, de aproximadamente 20 pessoas, saiu ilesa do acidente. Na embarcação, de 222 metros de largura e com peso de quase 30.000 toneladas, tremulava a bandeira filipina, mas estava sendo operada pela companhia de navegação japonesa Nippon Yusen K.K. O barco transportava mercadorias do porto de Nagoya até a capital Tóquio.

A guarda costeira japonesa enviou cinco navios, dois aviões e uma equipe de emergência à área para ajudar com a localização dos desaparecidos. O Exército americano também enviou um outro destróier, um barco especializado em assistência médica, e dois rebocadores.

Danos na embarcação mercantil
Danos na embarcação mercantil EFE

O USS Fitzgerald dirigia-se à cidade de Yokosuka, situada na baía de Tóquio, onde o exército americano tem uma base naval. O barco militar faz parte do esquadrão de destróieres número 15 e opera normalmente no Pacífico e no Mar do Japão. Entre suas funções, está o controle e o envio de informações sobre os constantes testes de mísseis balísticos que realiza a Coreia do Norte. Está equipado com o avançado sistema de armas Aegis, um potente radar e a capacidade de interceptar mísseis.

A Guarda Costeira do Japão garantiu, por meio de um dos seus oficiais, Yutaka Saito, que as condições meteorológicas no momento da colisão eram boas. No entanto, também alertou que a zona é uma via marítima muito transitada, por estar próxima dos portos mercantis de Tóquio e Yokohama. "O volume de barcos é significativo na área e já aconteceram outros acidentes", afirmou Saito à televisão japonesa NHK. A emissora informa também que o enorme barco com contêineres fez um giro brusco momentos antes da colisão.

Militares americanos e japoneses evacuam um dos marinheiros feridos
Militares americanos e japoneses evacuam um dos marinheiros feridos AP

A Guarda Costeira está investigando o ocorrido junto com a Marinha americana e interrogará os membros da tripulação do ACX Crystal sobre a possibilidade de ter havido negligência profissional. A companhia de navegação japonesa que opera o barco acidentado afirmou, em um comunicado, que "irá cooperar plenamente" com as investigações".

MAIS INFORMAÇÕES