Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Site de Bob Dylan reconhece seu Nobel e depois se corrige

Uma semana depois de receber o prêmio, cantor ainda não respondeu à Academia Sueca

Livros de Bob Dylan em uma prateleira.
Livros de Bob Dylan em uma prateleira. AFP

“GANHADOR DO PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA”. Em maiúsculas e na primeira frase, o site de Bob Dylan reconheceu, na terça-feira, que o cantor havia ganhado o maior prêmio literário do mundo. Apesar de não ter durado muito. Dentro de poucas hora, os responsáveis pela página a corrigiram, escondendo qualquer referência. Uma situação que escreve um novo capítulo no mistério sobre se o cantor norte-americano aceitará ou não o prêmio.

A frase, que aparecia em uma resenha publicada na quarta-feira para promover o livro The Lyrics: 1961-2012, sobre as letras de suas canções, foi a única admissão pública do prêmio por parte de Dylan, que guarda silêncio desde o dia 13 de outubro. Sua decisão deixou inquieta a própria Academia Sueca, que desistiu de fazer contato com ele após várias tentativas de comunicar a distinção pessoalmente, por e-mail e através de amigos. Sem maiores explicações, a frase foi substituída por um link para comprar o livro.

O silêncio de Dylan, 75 anos, alimentou todo tipo de especulações sobre se o cantor norte-americano vai comparecer para receber o prêmio na cerimônia de entrega, em dezembro, em Estocolmo. Na mesma noite do anúncio, aliás, Dylan se apresentou em um show em Las Vegas no qual não fez menção nenhuma ao acontecimento.

Site de Bob Dylan reconhece seu Nobel e depois se corrige

No entanto, Sara Danius, secretária-permanente da Academia Sueca, afirmou não estar preocupada, apesar de ainda não se saber se o músico aceitará o prêmio (que chega a mais de 800.000 euros) ou irá a Estocolmo recebê-lo no próximo dia 10 de dezembro. “Acredito que ele virá. Se não quiser vir, ele não vem. Será uma grande festa, de qualquer maneira”, disse Danius.

A Academia Sueca concedeu o Nobel a Dylan por ter criado “novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música norte-americana”, segundo o documento divulgado na semana passada. Um precedente de recusa ao Nobel de Literatura cabe ao francês Jean-Paul Sartre, que, contrário a todo tipo de distinção, não o aceitou em 1964. Seu nome, no entanto, figura na lista de ganhadores.

MAIS INFORMAÇÕES