Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

China lança sua primeira sonda não tripulada com destino à Lua

Um veículo com rodas, batizado de 'Yutu' (Coelho de Jade), registrará imagens do satélite

O foguete Longa Marcha 3B que foi lançado à Lua.
O foguete Longa Marcha 3B que foi lançado à Lua. AP

A China lançou sua primeira sonda de exploração desenhada para posar chão da Lua; a aterrissagem será em duas semanas, conforme o plano. A saída da Chang E3, uma sonda não tripulada, que leva um módulo de descida por um veículo com rodas chamado Yutu, foi lançado com um foguete Longa Marcha 3B (o mais potente da frota chinesa) do Centro de Lançamento de Satélites de Xinchang, no centro do país. O lançamento aconteceu às 15h30 de Brasília (1h30 da madrugada do dia 2, na China).

Yutu, cujo nome provém de um mito chinês sobre uma lebre branca que vive na lua com a deusa lunar Chang’e, está desenhado para aterrissar na lua e funcionar por três meses, segundo a agência Xinhua. É um robô muito eficiente de 140 quilos com seis rodas, que pode suportar as amplas mudanças de temperatura da lua. A pesar da escassa informação que adiantam as autoridades chinesas, parece que o local eleito para a aterrissagem é Sinus Iridium, uma planície de lava basáltica em uma cratera de 235 quilômetros de diâmetro, segundo o informe Space.com. Não se realizava uma descida controlada na superfície lunar há 37 anos, desde a missão Luna 24 soviética.

Ilustração da missão Chang E3 na Luna, com um módulo de descenso e um veículo rodante.
Ilustração da missão Chang E3 na Luna, com um módulo de descenso e um veículo rodante.

Este lançamento marca uma meta importante no programa de exploração espacial chinês, que tem como objetivo fazer explorações preparatórias, criar uma estação espacial permanente em 2020 e enviar finalmente uma pessoa à lua na próxima década.

O subdiretor do programa de exploração lunar, Li Benzheng, descreveu a missão Change E3 como um desafio com grandes riscos para o programa espacial chinês. Pequim vê seu programa espacial, de gerenciamento militar, como uma mostra, tanto do seu poder tecnológico e posição global, como do sucesso do Partido Comunista para tirar  o país da pobreza.

Esta é a terceira missão lunar da China, e sua primeira tentativa de aterrissagem suave na lua. A primeira missão Chang´e, chamada assim por uma deusa chinesa, se colocou em órbita lunar em 2007. A segunda colocou-se em órbita em 2010 e 2011, e depois continuou no espaço mais profundo. O programa espacial do país asiático enviou seu primeiro astronauta ao espaço em 2003. Desde então, completou quatro missões tripuladas e pôs em funcionamento um laboratório espacial.