Seleccione Edição
Login
Mais de 800 bombeiros lutam contra os incêndios em Portugal

Mais de 800 bombeiros lutam contra os incêndios em Portugal

16 fotos

O fogo deixou cerca de 20 feridos (oito bombeiros e 12 civis), segundo balanço atualizado apresentado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil

  • Bombeiros lutam contra o fogo nas redondezas da localidade de Sarnada, próximo de Mação.
    1Bombeiros lutam contra o fogo nas redondezas da localidade de Sarnada, próximo de Mação. efe
  • Os incêndios declarados em Vila de Rei, Mação e Sertã deixaram cerca de 20 feridos (oito bombeiros e 12 civis), segundo balanço atualizado apresentado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil. Na imagem, vizinhos da cidade portuguesa de Vila de Rei.
    2Os incêndios declarados em Vila de Rei, Mação e Sertã deixaram cerca de 20 feridos (oito bombeiros e 12 civis), segundo balanço atualizado apresentado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil. Na imagem, vizinhos da cidade portuguesa de Vila de Rei. Efe
  • Um hidroavião combate fogo em Relva neste domingo.
    3Um hidroavião combate fogo em Relva neste domingo. AFP
  • Um grupo de bombeiros que trabalham na extinção do incêndio florestal na área de Sarnadas, Portugal.
    4Um grupo de bombeiros que trabalham na extinção do incêndio florestal na área de Sarnadas, Portugal. AFP
  • Um bombeiro trabalha na extinção do incêndio florestal em Sarnada, Portugal.
    5Um bombeiro trabalha na extinção do incêndio florestal em Sarnada, Portugal. EFE
  • Uma mulher reage após o avanço das chamas na cidade portuguesa de Sarnada.
    6Uma mulher reage após o avanço das chamas na cidade portuguesa de Sarnada. EFE
  • Um bombeiro cai no chão durante as obras de extinção do incêndio florestal na área da Sarnada, Portugal.
    7Um bombeiro cai no chão durante as obras de extinção do incêndio florestal na área da Sarnada, Portugal. efe
  • Uma casa destruída pelas chamas na área de Relva, neste domingo.
    8Uma casa destruída pelas chamas na área de Relva, neste domingo. AFP
  • Cinco incêndios florestais no centro de Portugal mobilizaram 1.000 bombeiros no domingo. Na imagem, o pessoal de emergência trabalha no incêndio perto da cidade de Amendoa.
    9Cinco incêndios florestais no centro de Portugal mobilizaram 1.000 bombeiros no domingo. Na imagem, o pessoal de emergência trabalha no incêndio perto da cidade de Amendoa. AFP
  • As autoridades tiveram que evacuar parcialmente uma aldeia por precaução, conforme indicado pela Defesa Civil, que informou que sete bombeiros foram feridos e uma pessoa teve de ser transportada de helicóptero para um hospital em Lisboa com queimaduras de primeiro e segundo graus. Na imagem, vizinhos do incêndio florestal na área de Amendoa.
    10As autoridades tiveram que evacuar parcialmente uma aldeia por precaução, conforme indicado pela Defesa Civil, que informou que sete bombeiros foram feridos e uma pessoa teve de ser transportada de helicóptero para um hospital em Lisboa com queimaduras de primeiro e segundo graus. Na imagem, vizinhos do incêndio florestal na área de Amendoa. AFP
  • Os fortes ventos dificultam a extinção das chamas, que começaram no sábado à tarde em Castelo Branco, uma cidade a 225 quilômetros a nordeste da capital do país, Lisboa. Na imagem, bombeiros no incêndio florestal perto de Amendoa.
    11Os fortes ventos dificultam a extinção das chamas, que começaram no sábado à tarde em Castelo Branco, uma cidade a 225 quilômetros a nordeste da capital do país, Lisboa. Na imagem, bombeiros no incêndio florestal perto de Amendoa. AFP
  • Os incêndios florestais foram dirigidos a Mação, um município perto da cidade de Santarém, onde as temperaturas devem chegar a 34 graus neste domingo. Na imagem, os vizinhos de Amendoa ajudam no trabalho de extinção.
    12Os incêndios florestais foram dirigidos a Mação, um município perto da cidade de Santarém, onde as temperaturas devem chegar a 34 graus neste domingo. Na imagem, os vizinhos de Amendoa ajudam no trabalho de extinção. AFP
  • Um vizinho de MAção reclamou numa estação de televisão portuguesa que não há bombeiros suficientes no solo. "Temos que lutar contra as chamas", assegurou. Na imagem, os bombeiros trabalham ao lado das chamas na área de Amendoa.
    13Um vizinho de MAção reclamou numa estação de televisão portuguesa que não há bombeiros suficientes no solo. "Temos que lutar contra as chamas", assegurou. Na imagem, os bombeiros trabalham ao lado das chamas na área de Amendoa. AFP
  • O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou em comunicado que acompanha de perto a situação e se solidarizou com os afetados. Na imagem, um vizinho ajuda no trabalho de extinção em Amendoa.
    14O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou em comunicado que acompanha de perto a situação e se solidarizou com os afetados. Na imagem, um vizinho ajuda no trabalho de extinção em Amendoa. AFP
  • As autoridades, por sua vez, indicaram que esperam controlar o fogo nas primeiras horas deste domingo. Na imagem, um vizinho ajuda nos trabalhos de extinguir o fogo na área de Amendoa.
    15As autoridades, por sua vez, indicaram que esperam controlar o fogo nas primeiras horas deste domingo. Na imagem, um vizinho ajuda nos trabalhos de extinguir o fogo na área de Amendoa. AFP
  • Em junho de 2017, um devastador incêndio florestal na cidade central de Pedrógão Grande acabou com a vida de 64 pessoas e feriu mais de 250. O incêndio foi o pior desastre na história moderna de Portugal.
    16Em junho de 2017, um devastador incêndio florestal na cidade central de Pedrógão Grande acabou com a vida de 64 pessoas e feriu mais de 250. O incêndio foi o pior desastre na história moderna de Portugal. AFP