Seleccione Edição
Login
Independentistas se manifestam em Madri: “Autodeterminação não é delito”

Independentistas se manifestam em Madri: “Autodeterminação não é delito”

10 fotos

A marcha, convocada pela Assembleia Nacional Catalã (ANC) e pelo Culturalmnium Cultural, reivindica o direito de decidir e é um ato de protesto contra o julgamento dos líderes que conduziram referendo considerado ilegal

  • A cabeça da manifestação pró-independência pelas ruas de Madri com o slogan "A autodeterminação não é um crime. Democracia é decidir". Cerca de 56.000 pessoas passaram pelo Paseo del Prado desde a Plaza de Atocha até Cibeles, de acordo com o cálculo feito por este jornal, embora o Governo tenha reduzido o número para 18.000 e a Assembleia Nacional da Catalunha fale de 120.000 pessoas.
    1A cabeça da manifestação pró-independência pelas ruas de Madri com o slogan "A autodeterminação não é um crime. Democracia é decidir". Cerca de 56.000 pessoas passaram pelo Paseo del Prado desde a Plaza de Atocha até Cibeles, de acordo com o cálculo feito por este jornal, embora o Governo tenha reduzido o número para 18.000 e a Assembleia Nacional da Catalunha fale de 120.000 pessoas. AFP
  • O presidente da Generalitat (o governo regional catalão), Quim Torra (direita), participa da manifestação independentista contra o julgamento do 'procés', o processo independentista da região, pelo centro de Madri. Em 2017, os líderes catalães organizaram um referendo pela independência considerado ilegal pelo governo espanhol, e são julgados por isso desde o mês passado.
    2O presidente da Generalitat (o governo regional catalão), Quim Torra (direita), participa da manifestação independentista contra o julgamento do 'procés', o processo independentista da região, pelo centro de Madri. Em 2017, os líderes catalães organizaram um referendo pela independência considerado ilegal pelo governo espanhol, e são julgados por isso desde o mês passado. Efe
  • Manifestantes empunham bandeiras 'esteladas' na Praça de Colón durante a manifestação contra o julgamento de 'procés' pelas ruas de Madri. Mais de 500 agentes, incluindo a polícia de choque e unidades especializadas, cuidam da segurança do protesto, que foi frequentado principalmente por pessoas da Catalunha, apesar de haver manifestantes de Euskadi, Galícia e Andaluzia.
    3Manifestantes empunham bandeiras 'esteladas' na Praça de Colón durante a manifestação contra o julgamento de 'procés' pelas ruas de Madri. Mais de 500 agentes, incluindo a polícia de choque e unidades especializadas, cuidam da segurança do protesto, que foi frequentado principalmente por pessoas da Catalunha, apesar de haver manifestantes de Euskadi, Galícia e Andaluzia. AP
  • Centenas de pessoas diante do palácio de Cibeles, sede da Prefeitura de Madri, durante a manifestação contra o julgamento do 'procés'. A marcha, ameaçada pelo potencial surgimento de grupos da extrema direita, é motivada pelo do julgamento 'procés', o processo de independência catalão, que ocorre desde fevereiro na Suprema Corte,. O ex-presidente da Assembleia catalã Jordi Sànchez e o presidente da associação catalã Òmnium, Jordi Cuixart, estão sendo julgados em Madri.
    4Centenas de pessoas diante do palácio de Cibeles, sede da Prefeitura de Madri, durante a manifestação contra o julgamento do 'procés'. A marcha, ameaçada pelo potencial surgimento de grupos da extrema direita, é motivada pelo do julgamento 'procés', o processo de independência catalão, que ocorre desde fevereiro na Suprema Corte,. O ex-presidente da Assembleia catalã Jordi Sànchez e o presidente da associação catalã Òmnium, Jordi Cuixart, estão sendo julgados em Madri. EFE
  • A manifestação ocorreu sob o lema “A autodeterminação não é um crime. Democracia é decidir ', neste sábado em Madri.
    5A manifestação ocorreu sob o lema “A autodeterminação não é um crime. Democracia é decidir ', neste sábado em Madri. Efe
  • Várias pessoas seguraram bandeiras espanholas enquanto assistiam aos manifestantes da marcha contra o julgamento dos 'procés' que seguiu através do centro de Madri. Doze dirigentes independentistas da Catalunha são réus no Tribunal Supremo, em Madri, pelas acusações de promover e executar uma consulta separatista ilegal em 2017
    6Várias pessoas seguraram bandeiras espanholas enquanto assistiam aos manifestantes da marcha contra o julgamento dos 'procés' que seguiu através do centro de Madri. Doze dirigentes independentistas da Catalunha são réus no Tribunal Supremo, em Madri, pelas acusações de promover e executar uma consulta separatista ilegal em 2017
  • Manifestantes independentistas portam bandeiras 'esteladas' pelas ruas da capital madrilenha.
    7Manifestantes independentistas portam bandeiras 'esteladas' pelas ruas da capital madrilenha. REUTERS
  • Participantes na manifestação contra o julgamento do processo de independência catalão no Tribunal Supremo, junto à sede da Prefeitura de Madri neste sábado.
    8Participantes na manifestação contra o julgamento do processo de independência catalão no Tribunal Supremo, junto à sede da Prefeitura de Madri neste sábado. Reuters
  • Os manifestantes portam bandeiras 'esteladas' e um laço amarelo durante a marcha independentista pelas ruas da capital, neste sábado.
    9Os manifestantes portam bandeiras 'esteladas' e um laço amarelo durante a marcha independentista pelas ruas da capital, neste sábado. Efe
  • A marcha independentista catalã.
    10A marcha independentista catalã.