Seleccione Edição
Login
Tutankamon
Um visitante observa o sarcófago de Tutancamón. REUTERS

O declínio do faraó

9 fotos

O turismo de massa se tornou uma grande ameaça para o túmulo do faraó Tutancâmon, localizado no Vale dos Reis, perto de Luxor (Egito), depois de mais de 3.000 anos de conservação

  • Tutancâmon viu como seu túmulo, no Vale dos Reis (Egito), foi seriamente ameaçado após cem anos de turismo em massa.
    1Tutancâmon viu como seu túmulo, no Vale dos Reis (Egito), foi seriamente ameaçado após cem anos de turismo em massa. AFP
  • Desde 2009, uma equipe de especialistas internacionais realizou um trabalho de restauração do túmulo subterrâneo, descoberto em 1922 pelo arqueólogo britânico Howard Carter.
    2Desde 2009, uma equipe de especialistas internacionais realizou um trabalho de restauração do túmulo subterrâneo, descoberto em 1922 pelo arqueólogo britânico Howard Carter. AFP
  • O cientista Neville Agnew liderou uma equipe de cerca de 25 especialistas que trabalharam no local, composta por arqueólogos, arquitetos, engenheiros e microbiologistas. Interrompido por um tempo após a revolução egípcia de 2011 e a instabilidade política que se seguiu, o projeto realizado pelo Getty Conservation Institute (GCI) de Los Angeles (EUA) foi retomado mais tarde e acabou de terminar.
    3O cientista Neville Agnew liderou uma equipe de cerca de 25 especialistas que trabalharam no local, composta por arqueólogos, arquitetos, engenheiros e microbiologistas. Interrompido por um tempo após a revolução egípcia de 2011 e a instabilidade política que se seguiu, o projeto realizado pelo Getty Conservation Institute (GCI) de Los Angeles (EUA) foi retomado mais tarde e acabou de terminar. EFE
  • A primeira etapa foi um estudo exaustivo, em particular sobre o estado das famosas pinturas de parede amarelas e ocre que decoram a câmara funerária. Na imagem, dois turistas observam as pinturas na parede do túmulo do rei Tutancâmon.
    4A primeira etapa foi um estudo exaustivo, em particular sobre o estado das famosas pinturas de parede amarelas e ocre que decoram a câmara funerária. Na imagem, dois turistas observam as pinturas na parede do túmulo do rei Tutancâmon. REUTERS
  • "100 anos de visitas, depois de estar selado por 3.000! Você pode imaginar o impacto sobre o estado do túmulo?", comentou Neville Agnew, durante a inauguração após 10 anos de trabalho de restauração.
    5"100 anos de visitas, depois de estar selado por 3.000! Você pode imaginar o impacto sobre o estado do túmulo?", comentou Neville Agnew, durante a inauguração após 10 anos de trabalho de restauração. AFP
  • Embora as peças mais bonitas do tesouro de Tutancâmon estejam no museu egípcio no Cairo, a tumba abriga a múmia do faraó em uma gaveta de vidro sem oxigênio.
    6Embora as peças mais bonitas do tesouro de Tutancâmon estejam no museu egípcio no Cairo, a tumba abriga a múmia do faraó em uma gaveta de vidro sem oxigênio. REUTERS
  • Em paralelo, os arquitetos redesenharam a plataforma onde os visitantes estão localizados, para afastá-los da frágil parede. Um grupo de turistas observa o sarcófago de ouro da 18ª dinastia, o faraó Tutancâmon (1332-1323 aC).
    7Em paralelo, os arquitetos redesenharam a plataforma onde os visitantes estão localizados, para afastá-los da frágil parede. Um grupo de turistas observa o sarcófago de ouro da 18ª dinastia, o faraó Tutancâmon (1332-1323 aC). AFP
  • Desenhos egípcios antigos adornam a parede recém-renovada do túmulo de Tutancâmon. As cores brilhantes da tumba de Tutancâmon, o mais famoso faraó do Egito, recuperaram seu brilho e esplendor graças ao projeto de restauração que foi estendido por quase uma década.
    8Desenhos egípcios antigos adornam a parede recém-renovada do túmulo de Tutancâmon. As cores brilhantes da tumba de Tutancâmon, o mais famoso faraó do Egito, recuperaram seu brilho e esplendor graças ao projeto de restauração que foi estendido por quase uma década. REUTERS
  • "Depois deste soberbo trabalho, deveríamos limitar o número de visitantes", afirmou o arqueólogo egípcio Zahi Hawass, parte da equipe que levou a cabo os trabalhos de conservação. Na imagem, vista do interior da tumba de Tutancâmon, nesta quinta-feira em Luxor.
    9"Depois deste soberbo trabalho, deveríamos limitar o número de visitantes", afirmou o arqueólogo egípcio Zahi Hawass, parte da equipe que levou a cabo os trabalhos de conservação. Na imagem, vista do interior da tumba de Tutancâmon, nesta quinta-feira em Luxor. EFE