Seleccione Edição
Login
O cárcere 'Prison Inside Me' em Hongcheon, Coreia do Norte.
O cárcere 'Prison Inside Me' em Hongcheon, Coreia do Norte. REUTERS

Simular a vida em uma cadeia para escapar da realidade, a nova moda coreana

10 fotos

Precisando de uma pausa? Na Coreia do Sul, pessoas que querem se libertar do cotidiano estão se trancando em um simulador de cadeia. "Depois de estar na prisão, as pessoas dizem: 'Isso não é uma prisão. A verdadeira prisão é a que voltamos”, diz o co-fundador da 'Prison Inside Me'

  • Há quem acredite que as prisões são uma maneira de escapar das responsabilidades da vida cotidiana. Na Coréia do Sul, quando você precisa de uma pausa, você pode entrar numa espécie de prisão simulada.
    1Há quem acredite que as prisões são uma maneira de escapar das responsabilidades da vida cotidiana. Na Coréia do Sul, quando você precisa de uma pausa, você pode entrar numa espécie de prisão simulada. REUTERS
  • Desde 2015, o espaço 'Prison Inside Me', no nordeste de Hongcheon, acolheu mais de 2.000 presos, muitos deles funcionários de escritório com problemas de estresse.
    2Desde 2015, o espaço 'Prison Inside Me', no nordeste de Hongcheon, acolheu mais de 2.000 presos, muitos deles funcionários de escritório com problemas de estresse. REUTERS
  • Os clientes pagam cerca de 90 dólares para passar 24 horas trancados em uma cela.
    3Os clientes pagam cerca de 90 dólares para passar 24 horas trancados em uma cela. REUTERS
  • As regras são rigorosas. Prisioneiros não podem se comunicar com outras pessoas ou usar telefones celulares ou relógios.
    4As regras são rigorosas. Prisioneiros não podem se comunicar com outras pessoas ou usar telefones celulares ou relógios. REUTERS
  • Os clientes recebem um uniforme azul, um cobertor de ioga, um jogo de chá, uma caneta e um caderno.
    5Os clientes recebem um uniforme azul, um cobertor de ioga, um jogo de chá, uma caneta e um caderno. REUTERS
  • O cardápio inclui batata-doce cozida no vapor e milkshake de banana para o jantar, e mingau de arroz no café da manhã.
    6O cardápio inclui batata-doce cozida no vapor e milkshake de banana para o jantar, e mingau de arroz no café da manhã. REUTERS
  • O co-fundador da prisão disse à Reuters que a inspiração veio do marido, que trabalhava 100 horas por semana. "Ele disse que preferiria ficar em confinamento solitário por uma semana para descansar e se sentir melhor".
    7O co-fundador da prisão disse à Reuters que a inspiração veio do marido, que trabalhava 100 horas por semana. "Ele disse que preferiria ficar em confinamento solitário por uma semana para descansar e se sentir melhor". REUTERS
  • Os sul-coreanos trabalharam 2.024 horas em média em 2017, a terceira posição depois do México e da Costa Rica, em uma pesquisa com 36 países membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Internacional (OCDE).
    8Os sul-coreanos trabalharam 2.024 horas em média em 2017, a terceira posição depois do México e da Costa Rica, em uma pesquisa com 36 países membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Internacional (OCDE). REUTERS
  • Para incentivar as pessoas a trabalhar menos e ganhar mais, o governo aumentou o salário mínimo e reduziu o dia de trabalho de 68 para 52 horas por semana.
    9Para incentivar as pessoas a trabalhar menos e ganhar mais, o governo aumentou o salário mínimo e reduziu o dia de trabalho de 68 para 52 horas por semana. REUTERS
  • "Depois de estar na prisão, as pessoas dizem: 'Isso não é uma prisão. A verdadeira prisão é a que voltamos ”, diz o co-fundador da 'Prison Inside Me'.
    10"Depois de estar na prisão, as pessoas dizem: 'Isso não é uma prisão. A verdadeira prisão é a que voltamos ”, diz o co-fundador da 'Prison Inside Me'. REUTERS