Seleccione Edição
Login

“Mães, joguei por vocês”, diz Serena Williams na primeira final após dar à luz

Filha da tenista nasceu em setembro de 2017. Seis meses depois, ela chegou à final de Wimbledon

Serena Williams, ao final da partida contra Angelique Kerber em Wimbledon.
Serena Williams, ao final da partida contra Angelique Kerber em Wimbledon. AP

Serena Williams chegou à sua décima final de Wimbledon neste sábado, 14 de julho. Foi sua primeira final num torneio desde que deu à luz sua primeira filha, em setembro de 2017. No parto, segundo suas próprias palavras nesta reportagem da CNN, esteve perto de morrer. “Muitas mães por aí afora estão se perguntando como você fez isto. Você é uma super-heroína, uma supermãe”, disse-lhe uma jornalista depois da partida, que perdeu para a alemã Angelique Kerber. Esta foi a resposta da norte-americana:

Não, sou apenas eu. É tudo o que posso ser. A todas as mães por aí, joguei por vocês. Eu tentei

Ao pronunciar estas palavras, Williams se emociona, como se vê a partir dos 39 segundos.

Williams começa a entrevista dizendo-se “muito feliz” por ter chegado “tão longe”. “Foi um torneio impressionante para mim. Obviamente, é uma decepção, mas não posso estar decepcionada. Tenho tantas razões para viver. Literalmente, acabo de começar e estou desejando”, acrescenta. Williams ganhou Wimbledon sete vezes e, ao todo, conseguiu 23 títulos do Grande Slam ao longo da sua carreira.

Deu seus primeiros passos... Eu estava treinando e perdi isso. Chorei.

Na entrevista coletiva posterior, Williams insistiu na mesma mensagem: “Realmente, faz só duas semanas tudo era uma loucura para mim. Sinto que estou dando os passos na direção correta. Dei um gigantesco em Wimbledon, mas minha viagem acaba de começar. Só tenho que seguir adiante.”

Williams voltou às quadras em março, seis meses depois de dar à luz sua filha Olympia, e após quase um ano sem competir. “Antes de jogar quase comecei a chorar; sentia saudade da minha filha”, disse a tenista. Para a norte-americana, uma das melhores da história, estar afastada da filha durante os períodos de competição está sendo muito complicado. Em 7 de julho, durante as primeiras rodadas de Wimbledon, publicou a seguinte mensagem no Twitter, lamentando ter perdido os primeiros passos de Olympia.

Muitas pessoas lhe mostraram seu apoio na mesma rede social, assim como fizeram quando contou o quanto sofreu durante o parto: “Quase morro depois de dar à luz minha filha, Olympia. Mas me considero afortunada. Embora tenha tido uma gravidez simples, minha filha nasceu por uma cesárea de emergência depois que o ritmo cardíaco dela caiu dramaticamente durante as contrações. A cirurgia não teve problemas”, contou em fevereiro à CNN, um mês antes de voltar às quadras.

As complicações surgiram 24 horas depois: “Começou com uma embolia pulmonar, que é uma condição pela qual uma ou mais artérias dos pulmões se bloqueiam. Pelo meu histórico médico, tive medo”. A tosse intensa por causa dos problemas respiratórios fez os pontos da cesárea abrirem, e ela teve que ser novamente operada. “Passei as seis primeiras semanas da minha maternidade na cama.”

No mesmo texto, Williams lamenta que outras mulheres não recebam o tratamento médico que ela pode se permitir: “Segundo a Unicef, a cada ano 2,6 milhões de recém-nascidos morrem [no mundo antes de completar um ano de vida]. Mais de 80% por causas evitáveis. Sabemos que há soluções simples, como o acesso a recursos médicos, contato pele com pele, remédios básicos, água limpa e boa alimentação, mas não fazemos o que nos toca. Não estamos à altura para ajudar as mulheres do mundo.”

MAIS INFORMAÇÕES