Seleccione Edição
Login
Papa Francisco visita o Chile
Protesto do movimento Laicos de Osorno em Santiago do Chile AP
9 fotos

Papa Francisco chega ao Chile em meio a protestos

O país escolhido para sua sexta viagem à América Latina registrou abusos sexuais cometidos por dezenas de sacerdotes, o que prejudica a imagem da Igreja Católica

  • Um membro do movimento Laicos de Osorno durante uma manifestação contra o Sacerdote Fernando Karadima, e seu protegido, o bispo de Osorno, Juan Barros, em frente à Catedral de Santiago no Chile
    1Um membro do movimento Laicos de Osorno durante uma manifestação contra o Sacerdote Fernando Karadima, e seu protegido, o bispo de Osorno, Juan Barros, em frente à Catedral de Santiago no Chile AP
  • Membros o movimento Laicos de Osorno seguram cartazes com a imagem do sacerdote Fernando Karadime e do bispo Juan Barros, implicados em um escândalo de pedofilia que suscitou numerosos protestos no país
    2Membros o movimento Laicos de Osorno seguram cartazes com a imagem do sacerdote Fernando Karadime e do bispo Juan Barros, implicados em um escândalo de pedofilia que suscitou numerosos protestos no país AP
  • Manifestação do movimento Laicos de Osorno contra o acobertamento do escândalo dos abusos sexuais de menores no país. Os protestos acontecem em meio à chegada do Papa Francisco ao país que, a princípio, não se reunirá com as vítimas dos sacerdotes
    3Manifestação do movimento Laicos de Osorno contra o acobertamento do escândalo dos abusos sexuais de menores no país. Os protestos acontecem em meio à chegada do Papa Francisco ao país que, a princípio, não se reunirá com as vítimas dos sacerdotes AP
  • Homem passa em frente a uma pichação contra as despesas da visita do Papa, "10 bilhões para o Papa (para viajar) e nós morremos em nossas cidades", em Santiago de Chile. A presidenta chilena, Michelle Bachelet, pediu aos cidadãos que recebam o Papa em um "clima de respeito", horas depois do ataque a três igrejas com bombas
    4Homem passa em frente a uma pichação contra as despesas da visita do Papa, "10 bilhões para o Papa (para viajar) e nós morremos em nossas cidades", em Santiago de Chile. A presidenta chilena, Michelle Bachelet, pediu aos cidadãos que recebam o Papa em um "clima de respeito", horas depois do ataque a três igrejas com bombas AP
  • Membros do grupo Laicos de Osorno durante um protesto contra o Bispo de Osorno, Juan Barros, e o sacerdote Karadima
    5Membros do grupo Laicos de Osorno durante um protesto contra o Bispo de Osorno, Juan Barros, e o sacerdote Karadima REUTERS
  • Ativistas protestam pelos direitos da mulheres em frente à Catedral de Santiago
    6Ativistas protestam pelos direitos da mulheres em frente à Catedral de Santiago AFP
  • Protestos em frente à Catedral de Santiago contra o Bispo de Osorno
    7Protestos em frente à Catedral de Santiago contra o Bispo de Osorno AP
  • Vista aérea do palácio presidencial, o Palácio de La Moneda, em Santiago, onde a presidenta Michelle Bachelet receberá o Papa Francisco
    8Vista aérea do palácio presidencial, o Palácio de La Moneda, em Santiago, onde a presidenta Michelle Bachelet receberá o Papa Francisco AFP
  • Homem caminha em frente a um dos cartazes de boas vindas ao Papa Francisco que foram espalhados por Santiago
    9Homem caminha em frente a um dos cartazes de boas vindas ao Papa Francisco que foram espalhados por Santiago AFP