Seleccione Edição
Login

Greve geral na Venezuela começa com confrontos violentos e ruas vazias

Primeiro dia da paralisação de 48 horas terminou com uma pessoa morta. EUA anunciaram sanções

  • As ruas da Venezuela voltaram a ser palco de violentos confrontos entre manifestantes e forças de segurança nesta quarta-feira
    1As ruas da Venezuela voltaram a ser palco de violentos confrontos entre manifestantes e forças de segurança nesta quarta-feira AFP
  • A oposição convocou uma greve de 48 horas para exigir que o Governo de Nicolás Maduro cancele a eleição de uma Assembleia Constituinte marcada para o próximo domingo
    2A oposição convocou uma greve de 48 horas para exigir que o Governo de Nicolás Maduro cancele a eleição de uma Assembleia Constituinte marcada para o próximo domingo AFP
  • Ao longo do dia, estradas foram bloqueadas em todo o país e houve registros de confrontos
    3Ao longo do dia, estradas foram bloqueadas em todo o país e houve registros de confrontos REUTERS
  • O Ministério Público confirmou a morte de um homem de 30 anos, identificado como Rafael Vergara, mas em especificar a circunstância do ocorrido. Na semana passada, outra paralisação, de 24 horas, terminou com cinco mortos
    4O Ministério Público confirmou a morte de um homem de 30 anos, identificado como Rafael Vergara, mas em especificar a circunstância do ocorrido. Na semana passada, outra paralisação, de 24 horas, terminou com cinco mortos EFE
  • Segundo a organização Foro Penal Venezuelano, 50 pessoas foram presas nos protestos desta quarta-feira
    5Segundo a organização Foro Penal Venezuelano, 50 pessoas foram presas nos protestos desta quarta-feira REUTERS
  • A União Europeia exigiu medidas urgentes à Venezuela antes das eleições da Assembleia. A Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, afirmou que as eleições podem polarizar ainda mais o país e aumentar o risco de confrontos
    6A União Europeia exigiu medidas urgentes à Venezuela antes das eleições da Assembleia. A Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, afirmou que as eleições podem polarizar ainda mais o país e aumentar o risco de confrontos AFP
  • A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, defendeu as sanções anunciadas nesta quarta-feira por seu país contra 13 funcionários e ex-funcionários venezuelanos e alertou o Governo vai estudar novas medidas. "Os EUA vão manter todas as opções sobre a mesa, incluindo a de fazer sanções a qualquer pessoa que participar da Assembleia Constituinte”
    7A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, defendeu as sanções anunciadas nesta quarta-feira por seu país contra 13 funcionários e ex-funcionários venezuelanos e alertou o Governo vai estudar novas medidas. "Os EUA vão manter todas as opções sobre a mesa, incluindo a de fazer sanções a qualquer pessoa que participar da Assembleia Constituinte” AFP
  • A criatividade tem sido uma arma dos manifestantes venezuelanos. Na imagem, Wuilly Arteaga toca violino durante confronto contra forças de segurança do Governo
    8A criatividade tem sido uma arma dos manifestantes venezuelanos. Na imagem, Wuilly Arteaga toca violino durante confronto contra forças de segurança do Governo AP
  • Apesar da violenta repressão do Governo, a oposição deu, mais uma vez, uma demonstração de força após três meses de protestos de rua
    9Apesar da violenta repressão do Governo, a oposição deu, mais uma vez, uma demonstração de força após três meses de protestos de rua REUTERS
  • Nesta quarta-feira, os chavistas começaram a encerrar sua campanha eleitoral para a eleição da Assembleia Nacional Constituinte em meio à greve convocada pela oposição
    10Nesta quarta-feira, os chavistas começaram a encerrar sua campanha eleitoral para a eleição da Assembleia Nacional Constituinte em meio à greve convocada pela oposição EFE
  • Uma das lideranças que fizeram o chamado para os protestos de hoje foi Leopoldo López, que pediu aos cidadãos que continuem com os atos, mas através de "ações pacíficas luta organizada"
    11Uma das lideranças que fizeram o chamado para os protestos de hoje foi Leopoldo López, que pediu aos cidadãos que continuem com os atos, mas através de "ações pacíficas luta organizada" REUTERS