VERNE

O efeito “impeachment” no Google

O termo subiu nas pesquisas desde o anúncio do processo de destituição da presidenta brasileira

Fernando Bizerra Jr. / EFE

Mais informações

O Senado brasileiro abriu na quinta-feira o impeachment contra Dilma Rousseff e a afastou do poder. O início do processo de destituição da presidenta do Governo brasileiro foi anunciado no início de dezembro de 2015. Desde então, os meios de comunicação de língua espanhola de todo o mundo usaram esse termo em inglês. Também despertou um interesse incomum entre os usuários da Internet, que usam o Google para entender o significado da palavra.

O vocábulo se refere a uma figura do direito britânico, norte-americano e de outros países anglo-saxões que permite processar altos cargos políticos com o objetivo de conseguir sua destituição. Conforme mostrado neste gráfico do Google Trends, a frequência de busca da palavra na Espanha aumentou em 2016 em comparação com os 12 anos anteriores.

A tendência é muito semelhante se comparado ao gráfico global.

Analisando o último ano de pesquisas do Google, os três picos de interesse destacados coincidem com os destaques do processo de impeachment da presidenta brasileira. Em seguida, comparamos com a cronologia da cobertura realizada no EL PAÍS nos últimos meses.

O primeiro desses picos, que inclui as pesquisas no Google entre 29 de novembro e 5 de dezembro de 2015, coincide com o anúncio do processo e os artigos posteriores explicando as consequências do que acontece no Brasil.

Entre 13 e 19 de março de 2016 notamos um novo interesse no termo. Naqueles dias, ocorrem no Brasil fortes manifestações a favor e contra a destituição.

Também durante esses dias explode a polêmica sobre a nomeação e posse do ex-presidente e aliado de Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva, como ministro da Casa Civil. O posto, equivalente ao de primeiro-ministro e, portanto, o mais relevante no Governo brasileiro, lhe concede foro privilegiado. Isto implica um nível de imunidade que permite evitar a justiça pelas suspeitas de corrupção que pairam sobre ele.

O terceiro pico que disparou de maneira definitiva a presença de impeachment no buscador vai de 17 a 23 abril de 2016, coincidindo com o dia D deste processo.

A Fundación de Español Urgente (Fundéu) publicou em seu site um artigo abordando o equivalente apropriado a este termo anglo-saxão, por causa de suas inúmeras aparições na imprensa espanhola durante o caso de Dilma Rousseff. “As expressões processo de destituição e procedimento de destituição são apropriadas para se referir ao procedimento conhecido em inglês como impeachment”, explica.

“Outras alternativas, que podem ser adequadas em função do ordenamento jurídico de cada país, são julgamento político, julgamento de ilegalidade ou processo político. Se optar pela palavra em inglês, recomenda-se escrever em itálico ou, na falta, entre aspas: impeachment”, diz a instituição.

Em outras ocasiões, as palavras usadas no ambiente político como casta – popularizada pelo líder de Podemos, Pablo Iglesias – e a italiana sorpasso – em referência a uma eventual dança de votos nas próximas eleições espanholas – também afetaram o gráfico de pesquisa do Google.

Busca na Espanha da palavra 'casta'

Buscas no Google Espanha da palavra 'sorpasso'