Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Malala Yousafzai é feminista graças a Emma Watson

Atriz entrevistou a ganhadora do prêmio Nobel da Paz durante estreia de documentário

Emma Watson e Malala
Emma Watson e Malala

Emma Watson não para de surpreender com sua versatilidade. Mostrou agora sua faceta como entrevistadora e o fez com a prêmio Nobel da Paz Malala Yousafzai. Ambas têm mais do que a juventude em comum, 25 e 18 anos respectivamente. São mulheres comprometidas em alcançar a igualdade feminina e grandes ativistas pelos direitos humanos, sobretudo com uma grande missão: promover a educação. O encontro ocorreu em Londres como parte da divulgação do documentário Ele Me Chamou de Malala.

Após uma breve introdução na qual Watson exaltou o trabalho da jovem ativista veio a primeira pergunta: “Qual é a meta que gostaria que sua fundação (Malala Found) alcançasse?”, perguntou a atriz e embaixadora da ONU a Yousafzai. Com uma voz doce, sotaque paquistanês e detalhadamente, mas com a convicção que a caracteriza respondeu: “Que todas as crianças tenham acesso a melhor educação possível para que tenham as ferramentas que lhes permitam alcançar seus sonhos...”.

E é justamente a luta por defender o direito à educação, sobretudo nos países islâmicos, que a fez merecedora de um prêmio Nobel da Paz em 2014. A admiração entre ambas é notável. Watson exaltou a todo momento o trabalho e paixão de Malala Yousafzai. “Hoje conheci Malala. Ela é absolutamente elegante, encantadora e inteligente. Isso pode ser óbvio, mas me surpreendeu ainda mais pessoalmente”, escreveu a atriz em seu perfil do Facebook, onde publicou a entrevista.

Ele Me Chamou de Malala é um retrato íntimo de Malala Yousafzai e um desafio aos radicais islâmicos por defender o direito à educação. O documentário do aclamado diretor Davis Guggenheim mostra como Malala, seu pai Ziauddin e sua família estão comprometidos com a luta pela formação de todas as adolescentes de todo o mundo. Justamente, Watson aborda na entrevista a importância do pai de Malala em sua causa. “Meu pai é um exemplo para todos os pais e homens em geral... Se queremos igualdade, os homens devem lutar e apoiar quem busca essa igualdade. Precisamos caminhar juntos”, disse a prêmio Nobel.

Mas talvez o momento mais emocionante da entrevista tenha sido quando Emma Watson e Malala Yousafzai falaram sobre feminismo. “A palavra feminista é um pouco difícil. Quando a ouvi pela primeira vez, escutei conotações negativas e poucas positivas. Tive dúvidas em me definir ou não como feminista. Mas depois escutei seu discurso [o de Watson] e percebi que não há mal nenhum em me definir como feminista. De modo que sim, sou feminista e todas deveríamos ser porque a palavra feminismo não é outra coisa a não ser igualdade”, disse Yousafzai. Como era de se esperar Watson não só apoiou a jovem ativista como também lhe afirmou que se sentia muito honrada pelas palavras dispensadas a ela.

Watson fez questão de exaltar o trabalho de Yousafzai. “Ela tem a convicção e a determinação necessárias que muitas vezes é difícil de encontrar, mas que, principalmente, ainda mantém mesmo com todo o sucesso obtido. E por último... Ela tem um sentido de zen / calma / paz que transmite ao seu redor”, escreveu a intérprete de Hermione Granger na saga Harry Potter.

MAIS INFORMAÇÕES