“Ferramos tudo”, diz diretor da Volkswagen nos EUA sobre fraude

“Pagaremos o que tivermos que pagar”, afirma em sua primeira aparição após escândalo

O principal executivo da Volkswagen nos Estados Unidos, Michael Horn, pediu reiteradas desculpas pelo escândalo de falsificação das emissões de poluentes nos seus carros a diesel nos EUA, que veio à tona na sexta-feira, e se comprometeu a recuperar a confiança dos consumidores norte-americanos.

“Ferramos tudo”, disse ele após admitir o erro. “Fomos desonestos com a EPA [agência federal de proteção ambiental], fomos desonestos com o conselho da ARB [agência californiana de controle da qualidade do ar], fomos desonestos com todos vocês”, afirmou Michael Horn.

Mais informações

“Precisamos arrumar os carros para evitar que isso volte a acontecer, e precisamos fazer isso direito. Esse tipo de comportamento vai totalmente contra os nossos valores”, declarou ele na noite de segunda-feira no Brooklyn (Nova York), durante o evento de apresentação de uma nova versão do modelo Passat, com a participação do roqueiro Lenny Kravitz.

Horn e outro executivo do grupo cancelaram uma entrevista a jornalistas que havia sido previamente combinada e se recusaram a responder perguntas, na primeira aparição pública de um alto executivo da Volkswagen nos Estados Unidos desde que o escândalo estourou. A EPA e a ARB da Califórnia informaram na sexta-feira que a Volkswagen havia instalado em mais de meio milhão de veículos um dispositivo que servia para burlar os controles de emissões de partículas poluentes.

Lenny Kravitz foi a grande atração do evento da Volkswagen nesta segunda-feira.
Lenny Kravitz foi a grande atração do evento da Volkswagen nesta segunda-feira.Desiree Navarro (WireImage)

“Estamos comprometidos em fazer o que deve ser feito e a começar a restaurar a confiança”, afirmou Horn. “Pagaremos o que tivermos que pagar”, acrescentou.

O maior fabricante de automóveis da Europa pode sofrer multas de bilhões de dólares, além de processos penais contra seus executivos e um golpe para a sua imagem que arruinaria os planos de alavancar suas vendas nos EUA. O Departamento de Justiça norte-americano está promovendo uma investigação criminal, segundo fontes oficiais familiarizadas com o assunto.

Mais poluição

A empresa vendeu versões a diesel de veículos das marcas Volkswagen e Audi com um software que só ativa completamente os controles de poluentes quando o carro está sendo submetido a testes de emissões. Durante o uso normal no trânsito, os carros poluíam 10 a 40 vezes acima dos limites legais, segundo a EPA.

Os modelos afetados incluem as versões a diesel do Passat, assim como o VW Beetle, o Jetta e o Golf. O Audi A3 também está sendo investigado. No mês passado, os modelos a diesel representaram 23% das vendas da marca VW nos EUA, segundo nota da companhia à imprensa.

A cotação da Volkswagen despencou nesta segunda-feira na Bolsa de Frankfurt, chegando ao seu valor mínimo em três anos, com uma queda próxima a 20% durante a jornada – o que representa uma redução de 15,6 bilhões de euros (70 bilhões de reais) no seu valor de mercado.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: