Seleccione Edição
Login

Para não esquecer: fotografias que marcaram a história

Dos protestos estudantis na praça Tiananmen à barbárie da guerra do Vietnã, passando pelo registro histórico de Robert Capa. As imagens que marcaram época

  • Ataque com napalm do exército norte-americano no Vietnã em 8 de junho de 1972. A protagonista da foto é a menina Kim Phuc, que foge ferida com outros menores do povoado de Trang Bang. A imagem, obra de Nick Ut., ganhou o prêmio World Press Photo Vietnam.
    1Ataque com napalm do exército norte-americano no Vietnã em 8 de junho de 1972. A protagonista da foto é a menina Kim Phuc, que foge ferida com outros menores do povoado de Trang Bang. A imagem, obra de Nick Ut., ganhou o prêmio World Press Photo Vietnam.
  • ‘O miliciano ferido’, em Cerro Muriano, Córdoba. A fotografia de Robert Capa, feita em 5 de setembro de 1936, transformou-se num ícone que retrata a Guerra Civil Espanhola por ser capaz de mostrar a morte ‘ao vivo’.
    2‘O miliciano ferido’, em Cerro Muriano, Córdoba. A fotografia de Robert Capa, feita em 5 de setembro de 1936, transformou-se num ícone que retrata a Guerra Civil Espanhola por ser capaz de mostrar a morte ‘ao vivo’. MAGNUM PHOTOS
  • Prêmio World Press Photo 1994. O fotografo norte-americano James Nachtwey, da agência Magnum Photos, obteve o prêmio com sua imagem ‘Hutu mutilado’, que reflete a crueldade da guerra civil em Ruanda no início dos anos noventa, em que morreram centenas de milhares de pessoas.
    3Prêmio World Press Photo 1994. O fotografo norte-americano James Nachtwey, da agência Magnum Photos, obteve o prêmio com sua imagem ‘Hutu mutilado’, que reflete a crueldade da guerra civil em Ruanda no início dos anos noventa, em que morreram centenas de milhares de pessoas. JAMES NACHTWEY
  • A imagem 38 da sequência dos protestos na praça Tiananmen, em Pequim. A foto, de 4 de junho de 1989, mostra um jovem manifestante diante de uma coluna de tanques. O Exército Popular de Libertação reprimiu os protestos pacíficos dos estudantes e provocou centenas de mortes.
    4A imagem 3/8 da sequência dos protestos na praça Tiananmen, em Pequim. A foto, de 4 de junho de 1989, mostra um jovem manifestante diante de uma coluna de tanques. O Exército Popular de Libertação reprimiu os protestos pacíficos dos estudantes e provocou centenas de mortes.
  • A menina Omayra Sánchez, presa na água após a erupção do vulcão ‘Nevado del Ruiz’, em Armero (Colômbia). Essa foto, intitulada ‘A agonia de Omayra Sánchez’, de Frank Fournier, foi a vencedora do World Press Photo 1986.
    5A menina Omayra Sánchez, presa na água após a erupção do vulcão ‘Nevado del Ruiz’, em Armero (Colômbia). Essa foto, intitulada ‘A agonia de Omayra Sánchez’, de Frank Fournier, foi a vencedora do World Press Photo 1986. CONTACT PRESS
  • Um agente leva nos braços uma menina que perdeu um pé no atentado do ETA contra a sede da Guarda Civil em Vic (Barcelona), em 1991, que deixou 10 mortos e centenas de feridos. A fotografia obteve o Prêmio Ortega y Gasset.
    6Um agente leva nos braços uma menina que perdeu um pé no atentado do ETA contra a sede da Guarda Civil em Vic (Barcelona), em 1991, que deixou 10 mortos e centenas de feridos. A fotografia obteve o Prêmio Ortega y Gasset.
  • Mãos brancas por Francisco Tomás y Valiente. Milhares de estudantes da Universidade Autônoma de Madri se manifestaram no campus com as mãos pintadas de branco, em protesto contra o assassinato do catedrático e ex-presidente do Tribunal Constitucional pelo ETA, no dia anterior, em seu gabinete.
    7Mãos brancas por Francisco Tomás y Valiente. Milhares de estudantes da Universidade Autônoma de Madri se manifestaram no campus com as mãos pintadas de branco, em protesto contra o assassinato do catedrático e ex-presidente do Tribunal Constitucional pelo ETA, no dia anterior, em seu gabinete.
  • Foto feita em 1 de fevereiro de 1968. O general Nguyen Ngoc Loan, chefe da Polícia Nacional do Vietnã do Sul, dispara sua pistola contra a cabeça de Nguyen Van Lem (também conhecido como Bay Lop), oficial suspeito de pertencer ao Vietcong, numa rua de Saigon, no início da Ofensiva Tet. A imagem ganhou o Prêmio Pulitzer daquele ano.
    8Foto feita em 1 de fevereiro de 1968. O general Nguyen Ngoc Loan, chefe da Polícia Nacional do Vietnã do Sul, dispara sua pistola contra a cabeça de Nguyen Van Lem (também conhecido como Bay Lop), oficial suspeito de pertencer ao Vietcong, numa rua de Saigon, no início da Ofensiva Tet. A imagem ganhou o Prêmio Pulitzer daquele ano. ASSOCIATED PRESS
  • Uma menina sudanesa que sucumbiu à fome, em 1993, enquanto um abutre a espreita. O autor da fotografia ganhadora do Prêmio Pulitzer, o sul-africano Kevin Carter, suicidou-se em julho de 1994.
    9Uma menina sudanesa que sucumbiu à fome, em 1993, enquanto um abutre a espreita. O autor da fotografia ganhadora do Prêmio Pulitzer, o sul-africano Kevin Carter, suicidou-se em julho de 1994.
  • Profissionais de saúde atendem no hospital de Shifa uma menina palestina ferida em Gaza após a ofensiva israelense no verão de 2014, conhecida como Operação Margem Protetora. Durante quase dois meses, morreram 2.200 palestinos, a maioria civis, e 74 israelenses.
    10Profissionais de saúde atendem no hospital de Shifa uma menina palestina ferida em Gaza após a ofensiva israelense no verão de 2014, conhecida como Operação Margem Protetora. Durante quase dois meses, morreram 2.200 palestinos, a maioria civis, e 74 israelenses. ASSOCIATED PRESS
  • Um policial carrega o corpo de um menino sírio encontrado sem vida pelas autoridades turcas na praia de Bodrum. Aylan Kurdi, de três anos, e seu irmão, também morto no naufrágio de um bote, procediam de Kobane. A imagem foi feita em 2 de setembro e simboliza a gravidade da crise dos refugiados que chegaram em peso à Europa neste verão boreal.
    11Um policial carrega o corpo de um menino sírio encontrado sem vida pelas autoridades turcas na praia de Bodrum. Aylan Kurdi, de três anos, e seu irmão, também morto no naufrágio de um bote, procediam de Kobane. A imagem foi feita em 2 de setembro e simboliza a gravidade da crise dos refugiados que chegaram em peso à Europa neste verão boreal. AP