Android

Marshmallow: Novo Android, com “M”

Google revela o nome final do próximo sistema operacional móvel: “Marshmallow”

Estátua de um boneco do Android com um marshmallow.
Estátua de um boneco do Android com um marshmallow.

Marshmallow. Assim se chamará a próxima versão do Android, que será lançada dentro de poucas semanas. Durante a última conferência dos desenvolvedores do Google, foi dada apenas uma pista: o nome do novo sistema operacional móvel começaria com “M”. Foram feitas então as apostas que, ao meio-dia da segunda-feira, se encerraram com o anúncio oficial.

O Google mantém a tradição. A cada nova versão do Android, atribui ao ela o nome de algum doce cuja primeira letra corresponda às letras do alfabeto, pela ordem. De Lollipop (“pirulito”), passa-se a Marshmallow. Já tiveram seu lugar Donut (“rosquinha”), Éclair (“bomba de chocolate”), Ice-Cream Sandwich (“sanduíche de sorvete”)... A letra “K” trouxe polêmica, porque a gigante da tecnologia optou por fazer um acordo com uma marca comercial e chamar a versão de Kit-Kat.

A lógica aponta que a nova versão do sistema operacional chegará com um novo celular, uma atualização do Nexus 5 cujas imagens já estão sendo vazadas em sites especializados. Mais uma vez, os proprietários das versões limpas do Android, ou seja os aparelhos Nexus, Moto E, G e Moto X, serão os primeiros em que se poderá baixar o software, cujo nome técnico é Android 6. O Google convidou os desenvolvedores que se dedicam a criar aplicativos a já baixá-lo para adaptar o conteúdo.

MAIS INFORMAÇÕES

Entre as grandes apostas desse software está um consumo bem mais controlado da bateria, assim como o controle sobre as partes do telefone acessíveis pelos aplicativos. Assim, será possível permitir que o WhatsApp receba mensagens, mas não tenha acesso à câmera ou ao GPS.

A aposta mais revolucionária é o recurso Now on Tap, uma adaptação do Google Now, o assistente pessoal inteligente, dentro dos aplicativos. Isso significa que se o assistente for aberto na parte superior da tela enquanto se usa o Spotify, ele fará buscas dentro deste aplicativo. A mesma coisa acontece que o usuário toca no nome de um ator enquanto lê sobre ele em algum site.

Com o objetivo de manter sua fatia de mercado nos países emergentes, o Google fez um esforço para reduzir as exigências técnicas mínimas para poder atualizar os celulares. Só é necessário que os aparelhos tenham 512 MB de memória RAM. O Android já funciona em mais de 1,3 bilhão de equipamentos, entre celulares e tablets, em todo o mundo.