Seleccione Edição
Login

Bradesco compra HSBC Brasil e se consolida como segundo maior banco

Operação, de 4,73 bilhões de dólares, ajuda a reduzir ativos de risco do banco britânico

A sede de HSBC, no coração do distrito financeiro de Londres. Ampliar foto
A sede de HSBC, no coração do distrito financeiro de Londres. REUTERS

O banco britânico HSBC chegou a um acordo para vender ao Bradesco a totalidade de seu negócio no Brasil por 4,73 bilhões de euros (17,73 bilhões de reais) em espécie, segundo comunicado da entidade. O acordo ainda depende do aval das autoridades brasileiras. A transação permitirá a redução dos ativos de risco do HSBC em 33,63 bilhões de euros (126,02 bilhões de reais) de um total previsto de 263,63 bilhões de euros (987,92 bilhões de reais). “Anunciamos em 9 de junho que buscávamos uma série de ações para gerar mais valor aos nossos acionistas”, disse Stuart Gulliver, executivo chefe do HSBC, que frisou que a operação implica “um sólido resultado financeiro e o rápido cumprimento de uma das ações declaradas”.

Para o Bradesco, a compra garante maior ganho de escala, principalmente no mercado corporativo e de pessoas físicas de alta renda, além de um reforço em sua posição de segundo maior banco privado do país, atrás apenas do Itaú-Unibanco. No ranking do Banco Central, o Bradesco consta com ativos totais n valor de 234 bilhões de euros (883,434 bilhões de reais), enquanto o Itaú tem 296,197 bilhões de euros (1,117 trilhão de reais). O HSBC soma 44,5 bilhões de euros em ativos (167.970 bilhões de reais). Segundo o banco brasileiro, seus acionistas terão incremento no lucro por ação a partir de 2017 com essa operação. Hoje a rede do HSBC é a sétima no ranking do setor, por ativos.

Os bancos Santander e o Itaú também estariam no páreo para comprar o HSBC, mas a oferta do Bradesco foi a mais agressiva. Segundo o jornal Valor, o mercado esperava uma proposta de 3,6 bilhões de euros pelos ativos do banco britânico.

O HSBC informou que nos primeiros seis meses do ano obteve lucro líquido atribuído de 8,74 bilhões de euros (32,75 bilhões de reais), 1,3% a menos do que no mesmo período de 2014, enquanto sua renda operacional líquida foi de 28,64 bilhões de euros (107,29 bilhões de reais), 7,4% a mais.

No segundo trimestre, o HSBC obteve lucro líquido atribuído de 3,93 bilhões de euros (14,72 bilhões de reais), 3,9% a menos do que um ano atrás. As rendas operacionais líquidas da entidade aumentaram 13,6%, chegando a 14,71 bilhões de euros (55,11 bilhões de reais).

O banco britânico vai manter seus serviços para grandes corporações, dentro do objetivo “de otimizar sua rede global e reduzir a complexidade”. Nessa estratégia consta também a venda de seus negócios na Turquia, outro mercado onde considera que não tem capacidade para competir. Espera-se o corte de 50.000 empregos para 2017 para continuar reduzindo custos.

MAIS INFORMAÇÕES