Em recesso, Cunha se defende de críticas por ‘travar’ ajuste fiscal

Eduardo Cunha sai em defesa própria disparando 12 posts seguidos na rede social: "Jamais neguei apoio a nenhuma medida do ajuste"

Eduardo Cunha, no Congresso.
Eduardo Cunha, no Congresso. Luis Macedo (Câmara dos Deputados)

Mesmo durante o recesso da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha não tira os olhos do Twitter. Tampouco das notícias que envolvem seu nome ou sua gestão na presidência da Casa.

Nesta sexta-feira pela manhã, Cunha publicou 12 posts seguidos no microblog. O disparo de tuítes foi para se defender das críticas que vem sofrendo por ‘travar’ medidas do ajuste fiscal do Governo.

Anunciado no início do ano, o pacote de medidas de alívio para a crise econômica é feito de algumas mudanças que precisam passar pela aprovação da Câmara, como o repatriamento de 30 bilhões de reais aos cofres da União e a alteração da desoneração da folha de pagamento para diversos setores da economia.

Mais informações

O atraso na aprovação dessas medidas está combinado com propostas que vão na contramão do aperto de cintos nas contas. Em março, por exemplo, a Câmara aprovou o aumento de 60% no salário do Judiciário, validado pelo Senado em junho. O reajuste foi vetado pela presidenta Dilma Rousseff nesta semana. O Governo teve, portanto, que rever a meta do reajuste fiscal, por perceber que não haveria tempo hábil para fechar as contas no azul até o final do ano.

“Bom dia a todos. Quero deixar bem claro que jamais neguei apoio a nenhuma medida do chamado ajuste fiscal”, disparou Cunha no primeiro post da série.

“Sabemos que a situação econômica é grave e todos devem tentar ajudar para não agravar ainda mais”, publicou, seguido de: “Mas é preciso que o Governo faça a sua parte. Por exemplo cortar gastos de custeio e não aumentar juros desnecessariamente”, finalizou.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: